Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    [Pré-análise] : Planet Explorers

    Compartilhe
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    [Pré-análise] : Planet Explorers

    Mensagem por vits em Sab 21 Fev 2015, 02:13


    Hoje eu vou comentar um pouco sobre uma das melhores propostas de jogos que temos na Steam Early Acess, estou falando de Planet Explorers, jogo de RPG com pitadas de exploração combate e toneladas de construção.



    O jogo começa com um sistema de criação de personagens bem robusto, ainda que em fase alpha, temos diversas opções de personalização, que variam desde uma mudanças no estilo de cabelo, até mudanças na forma e tamanho de membros do corpo. Logo após criarmos e nomearmos nosso personagem, somos jogados em uma espécie de treinamento, onde um robô está encarregado de nós mostrar os conceitos básicos do jogo, tais como a coleta de plantas, o combate e a construção de bases; vale lembrar que esse tutorial não é obrigatório e o jogador pode pular para ação logo de cara.

    Após sairmos da sala de treinamento é que temos o verdadeiro início do jogo, estamos a bordo de uma grande nave, cuja a missão é levar um grupo de colonizadores para o planeta Maria, que pode vir a ser a nova morada da raça humana. Infelizmente as coisas não saem como deveriam e somos obrigados a abandonar a nave em um “bote salva-vidas”, que acaba caindo no planeta, dando incio as aventuras do nosso protagonista.

    (Mapa total, a borda representa a área atualmente jogável)

    Agora no controle do personagem, temos um mundo imenso para explorar, para ilustrar o quão grande é esse mundo, ele vai possuir em seu lançamento aproximadamente 136Km^2 isso é mais ou
    4,5 vezes o tamanho do mapa de Xenoblade Chronicles (segundo o GameFaqs), não sei dizer o quanto desse mapa está atualmente disponível e jogável, mas posso confirmar que é uma parcela considerável. Os npcs que encontramos servem para nos fornecer quests, que variam desde missões de escolta, busca, caça até coisas mais complexas como a construção de abrigos. É nessas missões que sentimos a parte “alpha” do jogo, a maioria dos personagens ainda não possui voz e as quests são um pouco confusas já que o jogo não disponibiliza marcados para todas elas (se você jogou Dark Souls, isso provavelmente não vai te incomodar).

    A principal recompensa que recebemos ao concluir essas missões são as receitas, que por meio de uma máquina chama “Replicator”, pode transformar materiais comuns nos mais diversos tipos de equipamentos. Temos uma dezena de armaduras diferentes para construir, assim como armas de fogo e armas brancas, veículos como carros e aviões também são parte do pacote e podem ser montados. Todo esse equipamento é necessário para sobreviver em Maria, que conta com diversos tipos de criaturas perigosas, algumas que podem matar o protagonista com um simples golpe e outros mais amigáveis.


    Ao matar animais o jogador pode coletar recursos deles, como carne (moeda usada pelos npcs), pele, ossos e outras partes do animal, que podem ser convertidas em comida (usada para manter o nível de stamina) ou ingredientes para armas, armaduras e remédios (parecido com Monster Hunter). O jogador também pode minerar, pedras como mármore e veios de ferro, latão, cobre e muitos outros estão disponíveis e podem ser localizados com a ajuda de um “radar” e coletar madeira e outros componentes de arvores, esses materiais são usados principalmente para a fabricação de outros matérias e confecção de bases.

    Infelizmente ainda estamos falando de um produto que se encontra em estado “inicial” de desenvolvimento, isso quer dizer que existem uma série de aspectos que precisam ser polidos antes do lançamento oficial, alguns deles incluem:

    • Falta de voz nos NPCs.

    • Falta de vida no cenário, os animais e plantas estão lá, mas faltam efeitos climáticos, um maior povoamento e coisas do gênero.

    • Problema com as quests, algumas não possuem marcador e como não existe nenhuma espécie de enciclopédia ingame, missões de caça e coleta são extremamente frustrantes.

    • Começo lento, você precisa de mais ou menos uma hora dentro do jogo pra começar a fazer coisas realmente interessantes.

    • Diversidade de combate, agora você tem apenas dois modos melee (que funciona muito mal) e ranged (que é plenamente funcional). Mas bater e correr fica chato depois de um tempo, faltam armadilhas, vantagens e desvantagens climáticas e de terreno, etc...

    • Apresentação pobre, o jogo como um todo não impressiona, os gráficos são simples e a história superficial. Precisam dar uma bela polida nesses aspectos antes de lançarem para o grande público.


    Mas mesmo com esses pequenos problemas, o que temos hoje é um jogo em alpha estupidamente completo, que faz uso de algumas das melhores características de jogos já consagrados, como Monster Hunter, Xenoblade e Minecraft, mas adequando-as as suas próprias ideias. O jogo também tenta dar uma boa dose de poder ao jogador, permitindo que ele crie seus próprios designs para armas (apesar de ainda não estar completo) e diversas ferramentas para auxilia-lo na aventura. Também é importante lembrar que a desenvolvedora pretende oferecer três modos de jogo diferentes o Story (campanha principal, mapa de 136Km^2) o modo Adventure (mapas gerados aleatoriamente, com objetivos próprios e suporte a multiplayer) e o modo Build (mapas menores, mas com recursos ilimitados e suporte a multiplayer, onde o objetivo é construir).

    No final eu fiquei encantando e impressionado com o jogo, mas por conta de seu estado de desenvolvimento, eu recomendaria para aqueles que se interessaram, que esperem o lançamento oficial que deve ocorrer no final deste ano para computadores e talvez em um futuro não tão distante para consoles de mesa. Mas se você é daqueles que não sabe esperar e quiser ajudar a desenvolvedora a finalizar o projeto, o jogo atualmente custa R$ 45,99 (R$ 22,9 em promoção) na Steam.


    Pagina da Steam:Planet Explorers
    Website:http://planetexplorers.pathea.net/
    Página do Kickstarter:Kickstarter.PlanetExplorers
    [Trailer]:



    Última edição por vits em Sab 21 Fev 2015, 10:24, editado 1 vez(es)
    avatar
    Visionnaire
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 1278
    Posts Posts : 1842

    Re: [Pré-análise] : Planet Explorers

    Mensagem por Visionnaire em Sab 21 Fev 2015, 09:53

    Bacana! Ótimo artigo! Pelo que li o jogo me pareceu isso também, mistura de Monster Hunter com Xenoblade, porém com um mundo enorme. A proposta é boa, admito, porém vou seguir seu conselho e esperar o jogo ser finalizado antes de me aventurar.

      Data/hora atual: Seg 21 Ago 2017, 12:59