Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    [Análise de Tendência] Remaster e Remakes

    Compartilhe
    avatar
    Simplesmente Gian
    Veterano Nv.22
    Veterano Nv.22

    Karma Karma : 298
    Posts Posts : 936

    [Análise de Tendência] Remaster e Remakes

    Mensagem por Simplesmente Gian em Dom 16 Out 2016, 22:04


    Esse texto é o primeiro de uma série de textos que abordarão algumas políticas recentes e/ou muito abordadas pelas empresas do Mercado de Games.

    Atualmente, nos vemos rodeados de remakes e remasters, que, além de serem comumente confundidos, se tornaram uma fonte de renda para grandes desenvolvedoras, o que, por outro lado, saturou o mercado com esses "jogos retrô com cara nova".

    The Fringe Challenge:



    Fora isso, em meio a essa enxurrada, existem remasters e/ou remakes que são justificáveis, enquanto outros não apresentam mudanças que justifiquem a compra, desconsiderando a incompatibilidade de jogo com plataforma.

    Qual a diferença entre remasters e remakes? O que, na sua opinião, torna um jogo elegível que pode receber um R/R? Vamos ver isso agora.

    Que os jogos começem.

    Uma analogia e uma exemplificação

    Vamos pensar nos jogos originais como bolos. Remaster seria como aplicar uma nova camada de cobertura no bolo e vendê-lo como novo e Remake seria refazer o bolo com novos ingredientes e novos recursos que, anteriormente, não estavam disponíveis.

    Tá bom, parei.
    Mas a analogia tem razão em relação aos principais pontos dos Remasters e Remakes, mas vamos ver isso dentro do mercado de games.

    Peguemos por exemplo o Resident Evil original de PS1. O jogo recebeu um REMAKE para o Nintendo GameCube por parte de um contrato de exclusividade BigN-Capcom na época que abrangeu, também, Resident Evil 0 e Resident Evil 4, esse último temporariamente.


    Foi um REMAKE porque pegou o de PlayStation 1 como base, mas em cima de uma nova engine pra aproveitar o potencial do cubo roxo, eles refizeram os cenários e as modelagens dos personagens, incluíram animações em CGI, adicionaram uma nova zona a ser explorada e, consequentemente, uma expansão na história original.


    Até aí tudo bem.
    O problema está em relação aos remasters porque existem casos que são justificáveis e casos de jogos recém-saídos do forno sendo "remasterizados"
    .


    É curioso o caso de The Last of Us porque ele mais um port para PS4 do que uma remasterização mesmo. Como, segundo a Sony, a divergência entre arquiteturas entre o PS3 torna a retrocompatibilidade algo pouco provável, o que, consequentemente, torna o TLoURemastered algo meio justificável.


    Uma opinião

    Embora devemos admitir que é um saco ter que pagar de novo por um jogo que você jogou ano passado só para ter acesso a ele em uma nova plataforma, as desenvolvedoras querem lucro e, de preferência, de maneira rápida, mas sem gastar muito.

    Eu até entendo o lado das desenvolvedoras de console. Elas querem baratear o console para conseguir conseguir lucro com ele. Pelo menos a Microsoft tá corrigindo isso com a disponibilidade gradual de jogos para retrocompatibilidade do Xbox 360 no Xbox One e a Nintendo, desde o Wii/DS (pelo menos nas primeiras versões, desconsiderando, assim, o Virtual Console e o DS Lite e DS) foi de oferecer retrocompatibilidade nativa.


    O caso da Nintendo


    No caso da Nintendo, as recentes re-interações da franquia The Legend of Zelda são os principais exemplos dessa dualidade R-R, mas elas são casos um tanto quanto diferenciados porque os jogos não seguem os termos Remaster e remakes à sua maneira, como no caso de Twilight Princess HD, que é considerado um Remaster da versão de GC, que teve como principal mudança a modelagem dos personagens, mas também contou com mudanças em relação à quantidade de lágrimas a serem coletadas, uma carteira mais larga, uma zona separada do jogo acessada via amiibo (The Cave of Shadows) e outras coisinhas aqui e alí.

    Essas mudanças são significativas (Remake), mas não conseguem justificar a compra do jogo, sendo tratado como um "port-Remaster" do jogo, a não ser que você não gosta dos "controles de movimentos" da versão de Wii, mas isso é pra outra hora.


    Conclusões

    Por fim, devemos reconhecer que, no meio da enxurrada de games desse tipo, existem os que são justificáveis, mas são justificáveis à sua maneira. Seja pela falta de retrocompatibilidade, seja pela idade mesmo, há muito tempo existe tal tipo de jogo e, enquanto houver público que compre, eles ainda estarão presentes.


    Última edição por Giant Luck(a) em Seg 17 Out 2016, 22:15, editado 1 vez(es)
    avatar
    Lucas_XY
    Special Blast
    Special Blast

    Karma Karma : 527
    Posts Posts : 1601

    Re: [Análise de Tendência] Remaster e Remakes

    Mensagem por Lucas_XY em Dom 16 Out 2016, 23:27

    Ótimo texto, Gian.

    Esse Last of Us Remastered é um dos casos mais bizarros que tem (se não for O mais bizarro), o mesmo jogo relançado um ano depois para uma plataforma diferente, pelo mesmo preço padrão (talvez eu esteja enganado nessa parte)...
    O engraçado é que eu já vi pessoas da fanbase da Nintendo pedindo coisas semelhantes pro NX (ao menos o tempo seria maior, não um ano, rs) como sair portando a maioria da biblioteca first-party recente do Wii U pro console incógnita. Vai entender esses consumidores, né... Mas claro, não seria nem um pouco uma má ideia se fosse aplicada de uma forma não mercenária e tosca; por exemplo, dando MK8 no NX caso a pessoa pudesse justificar a compra do mesmo no sucessor do Wii.

    Concordo com o seu texto inteiro, exceto a parte de que os "casos da Nintendo são um tanto quanto diferenciado", apenas Twilight Princess HD fugiu a regra, um Remaster com mudanças sutis. Outros como Wind Waker HD, Ocarina of Time 3D e Majoras Mask 3D se encaixam perfeitamente em remake, não tem um meio termo de "remaster com mudanças".
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: [Análise de Tendência] Remaster e Remakes

    Mensagem por vits em Seg 17 Out 2016, 07:16

    Acho que desde que exista uma demanda pelo jogo, remasters e remakes possuem um motivo para existir. Pessoalmente, eu acho que eles são uma ótima ferramenta para apresentar um título clássico a um novo público, assim como tapar buracos na biblioteca de um console.

    O problema surge quando as desenvolvedoras são preguiçosas, fazendo mínimas atualizações visuais no jogo (Zelda TP e TLoU) ou simplesmente refazendo a mesma história diversas vezes (Star Fox, Star Fox 64 e Star Fox Zero). E sejamos sinceros, ser uma empresa preguiçosa é uma rota tão absurdamente confortável, que a maioria das desenvolvedoras opta por ela. Mesmo porque, muitas vezes, não é necessário criar um remaster de fato, basta portar a versão disponível para computadores, como foi feito com DMC e mais recentemente Bioshock Infinite.

    Hoje em dia, acredito que a empresa que melhor trabalha com esse tipo de conteúdo é a Microsoft, tanto Gears of War Ultimate quanto Rare Replay são ótimos exemplos da prática, títulos refeitos para o novo console, mas que mantém todas as características do original, adicionando algumas novidades e principalmente cobrando um preço abaixo do restante dos jogos da plataforma.


    Última edição por vits em Seg 17 Out 2016, 15:11, editado 1 vez(es)
    avatar
    Arthimura
    Veterano Nv.8
    Veterano Nv.8

    Karma Karma : 343
    Posts Posts : 577

    Re: [Análise de Tendência] Remaster e Remakes

    Mensagem por Arthimura em Seg 17 Out 2016, 10:15

    Não entendo o ódio por remasters, pra mim eles só acrescentam. Se eles não existem, você não tem opção de jogá-los, se existem, você escolhe se compra ou não. Como exatamente ter a opção é ruim?  Hm


    Eu gosto de remasters porque dá pra jogar vários jogos que eu não joguei na época e também re-jogar os jogos que eu gostei em qualidade superior em aparelhos modernos. Além disso, é bem comum lançarem coleções inteiras pelo preço de um único lançamento atual ou mais barato, então tem um custo-benefício ótimo, você leva vários jogos excelentes por um preço em conta.


    Além disso, quem faz os remasters são times secundários ou então empresas especializadas em remasterizações, então os remasters não concorrem com jogos inéditos.


    No caso do Twilight Princess HD mesmo, a versão de Wii era inferior à versão do Game Cube, então só de disponibilizar a melhor versão no Wii U com HD nativo e suporte widescreen já justifica o remaster. As melhorias gráficas, melhorias de QoL no gameplay, conteúdo novo e amiibo do Wolflink e Midna são a cereja no bolo, é uma boa oferta por $50. Se a economia do Brasil está toda cagada e por isso é caro por aqui, já é outra história.


    Remakes eu gosto quando conseguem ser fiéis à obra original, e de preferência, superiores. Exemplos de bons remakes são o Resident Evil: Remake e o Ocarina of Time 3D e Majora's Mask 3D. Exemplo de remake ruim é o Metal Gear Solid: Twin Snakes, que mesmo ele existindo ainda é melhor jogar o original de PS1.


    @Lucas_XY


    O The Last of Us Remastered lançou por $50 com todas as DLCs inclusas, melhorias gráficas e photo mode, então foi uma ótima oferta pros consumidores que não tinham jogado ainda. Lembro de uma entrevista que falaram que na verdade foi um inferno portar o The Last of Us pra PS4, porque muita coisa estava programada em baixo nível especificamente pro hardware do PS3, então tiveram que reprogramar um monte de coisa. O problema é que, como o jogo era recente, foi muito trabalho pra pouco resultado.


    @vits


    Nossa, os remasters da Microsoft estão longe de serem bons, no NeoGaf o que você mais encontra são reclamações da Master Chief Collection, falam que até hoje é toda bugada e que o multiplayer mal funciona.
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: [Análise de Tendência] Remaster e Remakes

    Mensagem por vits em Seg 17 Out 2016, 15:27

    @Arthimura, Nossa, os remasters da Microsoft estão longe de serem bons, no NeoGaf o que você mais encontra são reclamações da Master Chief Collection, falam que até hoje é toda bugada e que o multiplayer mal funciona.

    Você está certo, eu pensei em Rare Replay, com seu pacote de remasters e ports e escrevi a Collection do Master Chief. Esse último é realmente uma lastima, com apenas dois jogos funcionando razoavelmente bem e um deles nem fazia parte do pacote inicial. Mas dentre dentre todos os jogos do gênero publicados pela empresa, acredito que ela esteja fazendo um ótimo trabalho, com apenas essa mancha feia para estragar o curriculum dela.

    Conteúdo patrocinado

    Re: [Análise de Tendência] Remaster e Remakes

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg 21 Ago 2017, 23:01