Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Compartilhe
    avatar
    Simplesmente Gian
    Veterano Nv.22
    Veterano Nv.22

    Karma Karma : 298
    Posts Posts : 936

    Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por Simplesmente Gian em Sab 20 Ago 2016, 23:31

    Por favor, entendam que esse tópico é apenas para apresentação geral da franquia como um todo com o objetivo de permitir discussões a seu respeito.
     

    1993. No meio do auge da Guerra Fria dos consoles Nintendo vs Sega, a Nintendo faz uma fantástica demonstração do que seu pequeno notável SNES pode fazer com o chip Super FX, que acelerava imagens gráficas, gerando Star Fox, o primeiro jogo 3D da história e o primeiro jogo de uma série querida pelos fãs, mesmo com seus altos e baixos e barrel rolls.
     
    O primeiro jogo da série tinha um plot simples, que serviu de base para os jogos subsequentes que abordariam o mesmo estilo: Fox McCloud é o comandante da Força Estelar Star Fox. Sua missão é defender o Lylat System das forças de Andross.

     
    Simples, mas o foco não era a história, o foco era a jogabilidade. Para aquela época, Star Fox chutou bundas com a movimentação até então inédita.
     

    E continuou chutando com Star Fox 64, já em 1997, principalmrnte após a introdução do Rumble Pak.
    Os paks eram acessórios que eram encaixados na parte de trás do controle. Esse, em específico, permitia que o controle vibrasse, algo bem comum pra hj, mas outra inovação pra época, e as voice acting dos personagens
    (Como não esquecer do Peppy dizendo "do a barrel roll" incontáveis vezes ou as incontáveis vezes que seus amigos/um bando de incompetentes pediam sua ajuda?)
     

    Depois de alguns anos, vimos a primeira aventura de Fox fora das naves (não 100% das vezes, mas 90% das vezes) como um presente de despedida da RARE, uma das subsidiárias mais queridas pelos fãs, que foi comprada pela Microsoft e foi completamente reformulada.





     (Zelda é você?)

    Star Fox Adventures, do GameCube, foi lançado em 2002 e foi uma aventura bem inesperada ao estilo Zelda estrelando nossa querida raposa, que se passa na Dinosaur Planet, que está em pedaços e cabe ao Fox e seu time reintegrá-lo.

    Spoiler:
    O jogo, originalmente, se chamaria Dinosaur Planet e seria lançado no fim de vida do N64, mas o projeto passou por muitas mudanças, desde a realocação do projeto para o GC, as interfências da Nintendo em relação ao encaixe do jogo dentro do universo Star Fox, a reescrita do plot, as semelhanças de universos, a Krystal, que foi mantida (Amém), o número de pessoas no projeto, já que, inicialmente, Dinosaur Planet estava sendo desenvolvido simultaneamente com Jet Force Gemeni, logo após o lançamento de Diddy Kong Racing, a posterior introdução da ideia de mundo aberto, entre outros.


     

    Alguns anos depois,mais especificamente em 2005, o Gamecube, já em fim de carreira, receberia outro jogo da raposa mas, ao contrário do Adventures, remetendo ao estilo clássico, só que com expansões, com uma nova trama e novos modos de jogo: Star Fox Assault.
     

    Assault apresentou uma trama bem sci-fi, mudanças súbitas de ritmo, alternando entre fases de nave, fases a pé, fases com tanque, fases nas naves dos outros, ao estilo Rail Shooter, a possibilidade de alternar livremente entre os veículos, um modo multiplayer, um modo Sobrevivência, mas acabou deixando a desejar devido às quebras de ritmo, apesar do jogo oferecer um sistema de medalhas que não ajudou muito.
     

    Depois do GameCube, veio o DS, um novo jogo da série e um PEDIDO de DESCULPAS. Star Fox Command veio em 2006 e expandiu a série, a começar pelo enredo, que segue os eventos de Assault: Devido à uma nova ameaça alignijina, a equipe, antes separada, deve voltar à ativa para defender o Lylat System mais uma vez. 
     


    Dessa vez, a jogabilidade se destacou. O jogo, mesmo com o estilo clássico, desenrola-se como um grande jogo de Xadrez: a cada turno, você deve definir o caminho de suas naves para a base inimiga, enquanto deve defender sua " nave mãe". Se duas naves se encontrarem, ou sua nave inventar de tomar uma base inimiga, o jogo muda e volta à jogabilidade por um certo período de tempo.

    Spoiler:
    Originalmente, o jogo se chamaria Digidrive e foi desenvolvido pela Q-Games, a mesma responsável pelo remake pra 3DS de Star Fox 64, em parceria com a Nintendo EAD, que cederam as ideias do nunca lançado Star Fox 2 de Super Nintendo
     

    O Wii e o 3DS não tiveram seus jogos solo. O Wii recebeu Star Fox 64 no Virtual Console. O 3DS recebeu um remake.


     
    O Wii U recebeu as mais recentes EDIÇÕES do jogo: Star Fox Zero e Star Fox Guard. Zero não expandiu a série, servindo como introdução ao universo para os mais novatos, apesar da introdução de um novo modelo de nave que permite alternância entre nave e uma "galinha" / nave andante. Guard seria como um spin-off, já que é um tower defense protagonizado por Slippy Toad e seu pai.

    Spoiler:
    Star Fox Guard foi inicialmente introduzido como Project Guard, um dos projetos do Myiamoto, junto com o próprio Star Fox Zero e o Project Giant Robot, que até agora não foi lançado, em 2014.
    Star Fox Zero teve como ponto de partida ideias conceituais de uma edição do jogo que nunca foi lançada para o Wii.


    Enfim, Star Fox é ora amada, ora odiada, ora em cima, ora em baixo, mas sempre com meios alternativos para atingir o coração dos fãs.
     

    "Fox, do a barrel roll"


    Última edição por gian.luca em Dom 21 Ago 2016, 11:44, editado 2 vez(es)
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por vits em Dom 21 Ago 2016, 02:23

    Só uma coisa, que o primeiro Star Fox não é exatamente 3D e muito menos o primeiro jogo da categoria, ele usa um sistema de gráficos vetoriais em conjunto com "up-dow scale" de objetos, passando a impressão de um título 3D, mas na realidade ele não possui um eixo Z propriamente dito. Existem inumeros outros jogos que caem na mesma categoria, mas que foram feitos antes Battlezone (1980), Driller (1987), Castle Master (1990) e  Ultima Underworld (1992) são outros exemplos de jogos que usam dos mesmos truques para fazer o efeito 3D.

    Agora falando da série como um todo, Star Fox tem seu ponto mais forte na simplicidade, o primeiro título era um shooter on rails e absurdamente divertido por conta disso. Star Fox 64 foi outro jogo que simplesmente pegou essa forma, melhorou os visuais e adicionou muito pouco, novamente um jogo simples que qualquer um poderia pegar e se divertir.

    Já os jogos do Gamecube.... Star Fox Adventures nem era para ser um título dessa franquia, mas sim uma franquia completamente nova, no final colocaram o logo de Star Fox apenas para tentar capitalizar no nome da mesma. O resultado é um jogo que não é ruim, mas que não tem absolutamente nada a ver com os jogos clássicos da franquia. Star Fox Assault tenta levar a série as raízes e quase consegue, as partes de combate espacial são boas, mas o combate terrestre é ridiculamente ruim, no final o título ficaria muito melhor sem essas seções.

    O jogo do DS, Star Fox Command foi o primeiro jogo que eu tive para esse console, ele troca o tradicional on rails da franquia por arenas de combate e um pouco de estratégia. Ele também possui a maior dosagem de "plot" que qualquer outro jogo da franquia, com múltiplos finais e ampla variedade de personagens e ações. Na teoria o jogo parece excelente, mas os controles são no mínimo problemáticos e apesar do jogo ter múltiplos finais, você precisa terminar alguns deles para liberar as opções dos demais, o que tira todo a graça das múltiplas opções, já que no final você vai acabar vendo todos os finais, mesmo que essa não seja a sua intenção.

    E finalmente Star Fox Zero, como eu queria ter gostado desse jogo, ele é um remake do jogo original então a sua história é bastante linear, mas mesmo assim ele tinha tudo para ser a versão definitiva do jogo. Mas, como infelizmente parece ser um padrão com a Nintendo, eles tinham que mexer no "core" da franquia, com um esquema de controles que é completamente ilógico, desnecessário e pouco divertido. Claro, você pode se acostumar com os controles e eventualmente usa-los de forma decente, mas não estamos falando de uma mecânica de jogo, mas sim de toda a base da jogabilidade, a ideia de ter que se "acostumar" com ela é simplesmente ridícula e vai contra toda a simplicidade e acessibilidade dos jogos anteriores.

    O jogo ainda tenta adicionar certa variedade com o Landmaster, o Gyrowing e o Walker, que até cumprem o seu papel e realmente proporcionam uma jogabilidade diferente, mas que no final das contas, poderiam ter sido muito melhor aproveitas caso os controles e level design fossem mais interessantes. Quando você soma todos esses fatores, Star Fox Zero não passa de uma decepção, cheio de boas ideias, mas com uma base completamente deturpada e longe daquilo que os fãs gostavam na franquia.

    No final, fica claro que Star Fox possui uma mecânica simples, que fez sucesso justamente por ser simples, a Nintendo até pode inventar e tentar criar novas ideias em cima dela, mas se ao fazer isso, ela também vier a ignorar as origens da franquia, o resultado serão sempre jogos medíocres, que ficam aquém das expectativas dos fãs.
    avatar
    Simplesmente Gian
    Veterano Nv.22
    Veterano Nv.22

    Karma Karma : 298
    Posts Posts : 936

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por Simplesmente Gian em Dom 21 Ago 2016, 09:25

    @vits , não era necessário jogar na cara a falta de informação.
    Atualizei com algumas curiosidades de desenvolvimento.
    Feliz?
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por vits em Dom 21 Ago 2016, 09:55

    gian.luca escreveu:@vits , não era necessário jogar na cara a falta de informação.
    Atualizei com algumas curiosidades de desenvolvimento.
    Feliz?

    Amigo, minha intenção não era te ofender, mas sim corrigir um erro que foi apresentado durante o seu texto. Um fórum funciona exatamente dessa forma, as pessoas trocam argumentos, complementam as informações uns dos outros e discutem sobre assuntos que lhes interessam. Neutral
    avatar
    Simplesmente Gian
    Veterano Nv.22
    Veterano Nv.22

    Karma Karma : 298
    Posts Posts : 936

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por Simplesmente Gian em Dom 21 Ago 2016, 10:18

    @vits escreveu:
    gian.luca escreveu:@vits , não era necessário jogar na cara a falta de informação.
    Atualizei com algumas curiosidades de desenvolvimento.
    Feliz?

    Amigo, minha intenção não era te ofender, mas sim corrigir um erro que foi apresentado durante o seu texto. Um fórum funciona exatamente dessa forma, as pessoas trocam argumentos, complementam as informações uns dos outros e discutem sobre assuntos que lhes interessam. Neutral
    Se é pra isso dar certo, então é melhor eu me controlar. Obrigado

    By the way, o quão ruim foi o texto? o quão ruim é a jogabilidade de Command? Já chegou a jogar o Assault? Sei lá, a proposta do Assault é boa, mas a execução deixa a mecânica quebrada. As notas do Assault são medianas, mas acho que estão dentro da média dos jogos da série:
    Assault:                          Adventures:                Command:
                 
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por vits em Dom 21 Ago 2016, 10:46

    gian.luca escreveu:
    @vits escreveu:
    gian.luca escreveu:@vits , não era necessário jogar na cara a falta de informação.
    Atualizei com algumas curiosidades de desenvolvimento.
    Feliz?

    Amigo, minha intenção não era te ofender, mas sim corrigir um erro que foi apresentado durante o seu texto. Um fórum funciona exatamente dessa forma, as pessoas trocam argumentos, complementam as informações uns dos outros e discutem sobre assuntos que lhes interessam. Neutral
    Se é pra isso dar certo, então é melhor eu me controlar. Obrigado

    By the way, o quão ruim foi o texto? o quão ruim é a jogabilidade de Command? Já chegou a jogar o Assault? Sei lá, a proposta do Assault é boa, mas a execução deixa a mecânica quebrada. As notas do Assault são medianas, mas acho que estão dentro da média dos jogos da série:
    Assault:                          Adventures:                Command:
                 

    O texto não está ruim, serve para dar um patamar sobre a franquia, que era a sua intenção inicial, então acho que está bom.

    Quanto ao Command, o problema do jogo é a limitação do DS, como esse console não tem um analógico eles tentaram emular um usando a tela touch, então o jogo acaba ficando bastante desconfortável, com o d-pad servindo para as ações, o L para atirar e a stylus para controlar a nave. Depois de alguns minutos de jogo, esse esquema de controle acaba incomodando, se você jogou Kid Icarus do 3DS, a sensação é bem parecida.

    O Assault eu joguei algumas vezes no Cubo e terminei via emulador, gosto das fases espaciais do jogo, acho que elas transmitem muito bem a essência do Star Fox, os visuais são bonitos e o voice acting é o melhor da série. Mas ai chega as fases no chão, aquele atirar e correr fica velho muito rápido e ao contrário das fases espaciais, no chão o layout é bem tosquinhos, com cenários bastante sem vida e muita repetição de objetivos. Não considero um jogo ruim, em suma, não considero nenhum Star Fox ruim, mas acho que ele poderia ser muito melhor se tivessem focado nas fases espaciais ou se tivessem tentado fazer as fases no chão parecerem mais como uma campanha e não um agregado de arenas, onde você atira em tudo que aparece pela frente.
    avatar
    Q. Maxis
    Membro Nv.4
    Membro Nv.4

    Karma Karma : 12
    Posts Posts : 65

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por Q. Maxis em Dom 21 Ago 2016, 10:49

    O Star Fox mais recente que joguei foi o Adventures e o que é Star Fox de fato foi o 64. Eu preferiria que o Adventures continuasse sendo uma franquia original pois o jogo não tem nada a ver com Star Fox e parecia que seria bom por si próprio.
     
    Acho que a única coisa que pode ser considerada boa que o Adventures adicionou a Star Fox foi a Krystal como personagem mas também acho que ela seria melhor como personagem principal de outra franquia como era pra ser, ela parecia ter potencial para isso, hoje ela só lembrada na hora de ser shippada com o Fox e para contentar furries, até o Star Fox Zero resolveu esquecê-la.

    Existe por aí um jogo beta do que seria Star Fox 2 para o Snes, ele que introduziu o conceito da Arwing se tranformar em 'galinha' e também duas personagens novas que a Nintendo resolveu excluir da série (Miyu e Fay), dá para achá-lo na internet (eu não sei se seria considerado pirataria falar desse jogo aqui pois a Nintendo nunca o lançou e nunca o lançará provavelmente...).

    Muito bom esse tópico, SF64 e o SF do Snes sempre foram alguns dos meus jogos favoritos, eu espero que as críticas ao atual Star Fox Zero não façam a Nintendo enterrar a franquia de novo...
    avatar
    Simplesmente Gian
    Veterano Nv.22
    Veterano Nv.22

    Karma Karma : 298
    Posts Posts : 936

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por Simplesmente Gian em Dom 21 Ago 2016, 11:43

    @Q. Maxis escreveu:
    Eu preferiria que o Adventures continuasse sendo uma franquia original pois o jogo não tem nada a ver com Star Fox e parecia que seria bom por si próprio.

    Sinceramente, era melhor a Nintendo ter deixado Dinosaur Planet como Dinosaur Planet, não como Star Fox Adventures. As semelhanças são muitas? São.
    Mas, vai que a gente teria mais uma franquia foda da Big N ao invés de um Spin-Off de Star Fox. Não desmerecendo a franquia, mas ela já sofreu muito por causa das variações de jogabilidade.
    avatar
    Q. Maxis
    Membro Nv.4
    Membro Nv.4

    Karma Karma : 12
    Posts Posts : 65

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por Q. Maxis em Dom 21 Ago 2016, 12:15

    gian.luca escreveu:
    Sinceramente, era melhor a Nintendo ter deixado Dinosaur Planet como Dinosaur Planet, não como Star Fox Adventures. As semelhanças são muitas? São.
    Mas, vai que a gente teria mais uma franquia foda da Big N ao invés de um Spin-Off de Star Fox. Não desmerecendo a franquia, mas ela já sofreu muito por causa das variações de jogabilidade.

    Sim, o duro é que acho que daí Dinosaur Planet seria propriedade da Rare e iria junto com ela com a venda para a Microsoft, lá acho que ela ficaria esquecida por um tempo, como a Microsoft fez com várias franquias da Rare, e também muitos dos desenvolvedores originais caíram fora após a venda. Talvez a franquia original já estivesse condenada mesmo mas Star Fox Adventures continua sendo um bom jogo, só não é a escolha certa para quem quer jogar Star Fox mesmo.
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por vits em Dom 21 Ago 2016, 12:17

    gian.luca escreveu:
    @Q. Maxis escreveu:
    Eu preferiria que o Adventures continuasse sendo uma franquia original pois o jogo não tem nada a ver com Star Fox e parecia que seria bom por si próprio.

    Sinceramente, era melhor a Nintendo ter deixado Dinosaur Planet como Dinosaur Planet, não como Star Fox Adventures. As semelhanças são muitas? São.
    Mas, vai que a gente teria mais uma franquia foda da Big N ao invés de um Spin-Off de Star Fox. Não desmerecendo a franquia, mas ela já sofreu muito por causa das variações de jogabilidade.

    Também concordo, seria mais uma franquia nova para a coleção de jogos do Game Cube, o que é sempre bom. Fora que é pouco provável que a Nintendo venha a tentar revisitar a formula do Star Fox Adventures, mas se o jogo tivesse ficado como Dinossaur Planet, a IP provavelmente pertenceria a RARE e por consequência talvez tivéssemos um Dinossaur Planet 2 no Xbox 360.
    avatar
    rafagamer
    Membro Nv.8
    Membro Nv.8

    Karma Karma : 52
    Posts Posts : 102

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por rafagamer em Dom 21 Ago 2016, 15:04

    @vits escreveu:
    Só uma coisa, que o primeiro Star Fox não é exatamente 3D e muito menos o primeiro jogo da categoria, ele usa um sistema de gráficos vetoriais em conjunto com "up-dow scale" de objetos, passando a impressão de um título 3D, mas na realidade ele não possui um eixo Z propriamente dito. Existem inumeros outros jogos que caem na mesma categoria, mas que foram feitos antes Battlezone (1980), Driller (1987), Castle Master (1990) e  Ultima Underworld (1992) são outros exemplos de jogos que usam dos mesmos truques para fazer o efeito 3D.

    Agora falando da série como um todo, Star Fox tem seu ponto mais forte na simplicidade, o primeiro título era um shooter on rails e absurdamente divertido por conta disso. Star Fox 64 foi outro jogo que simplesmente pegou essa forma, melhorou os visuais e adicionou muito pouco, novamente um jogo simples que qualquer um poderia pegar e se divertir.

    Já os jogos do Gamecube.... Star Fox Adventures nem era para ser um título dessa franquia, mas sim uma franquia completamente nova, no final colocaram o logo de Star Fox apenas para tentar capitalizar no nome da mesma. O resultado é um jogo que não é ruim, mas que não tem absolutamente nada a ver com os jogos clássicos da franquia. Star Fox Assault tenta levar a série as raízes e quase consegue, as partes de combate espacial são boas, mas o combate terrestre é ridiculamente ruim, no final o título ficaria muito melhor sem essas seções.

    O jogo do DS, Star Fox Command foi o primeiro jogo que eu tive para esse console, ele troca o tradicional on rails da franquia por arenas de combate e um pouco de estratégia. Ele também possui a maior dosagem de "plot" que qualquer outro jogo da franquia, com múltiplos finais e ampla variedade de personagens e ações. Na teoria o jogo parece excelente, mas os controles são no mínimo problemáticos e apesar do jogo ter múltiplos finais, você precisa terminar alguns deles para liberar as opções dos demais, o que tira todo a graça das múltiplas opções, já que no final você vai acabar vendo todos os finais, mesmo que essa não seja a sua intenção.

    E finalmente Star Fox Zero, como eu queria ter gostado desse jogo, ele é um remake do jogo original então a sua história é bastante linear, mas mesmo assim ele tinha tudo para ser a versão definitiva do jogo. Mas, como infelizmente parece ser um padrão com a Nintendo, eles tinham que mexer no "core" da franquia, com um esquema de controles que é completamente ilógico, desnecessário e pouco divertido. Claro, você pode se acostumar com os controles e eventualmente usa-los de forma decente, mas não estamos falando de uma mecânica de jogo, mas sim de toda a base da jogabilidade, a ideia de ter que se "acostumar" com ela é simplesmente ridícula e vai contra toda a simplicidade e acessibilidade dos jogos anteriores.

    O jogo ainda tenta adicionar certa variedade com o Landmaster, o Gyrowing e o Walker, que até cumprem o seu papel e realmente proporcionam uma jogabilidade diferente, mas que no final das contas, poderiam ter sido muito melhor aproveitas caso os controles e level design fossem mais interessantes. Quando você soma todos esses fatores, Star Fox Zero não passa de uma decepção, cheio de boas ideias, mas com uma base completamente deturpada e longe daquilo que os fãs gostavam na franquia.

    No final, fica claro que Star Fox possui uma mecânica simples, que fez sucesso justamente por ser simples, a Nintendo até pode inventar e tentar criar novas ideias em cima dela, mas se ao fazer isso, ela também vier a ignorar as origens da franquia, o resultado serão sempre jogos medíocres, que ficam aquém das expectativas dos fãs.

    Só discordo em relação ao Zero. Achei um jogaço e pra mim redefiniu a jogabilidade. "Se acostumar" não é um argumento ridiculo, faz parte da evolução. Sem contar que apesar de tudo, a jogabilidade continua muito parecida, EXTREMAMENTE parecida. Não percebemos isso de cara, MAS É. O problema é que no incio tentamos focalizar as 2 telas e mirar cada inimigo com o movimento do gamepad... NÃO É PRA JOGAR ASSIM! Você tem que jogar olhando pra televisão, com sua mãozinha quieta, como qualquer outro Star Fox, fazendo apenas PEQUENAS correções (que faz olhando pra TV mesmo), sendo grande parte das vezes desnecessárias. No All-Rage Mode sim que em ALGUNS MOMENTOS você focaliza no gamepad, mas são momentos que voce pode esquecer a TV.
    avatar
    Hoshi no Kirby
    Dream Lander
    Dream Lander

    Karma Karma : 406
    Posts Posts : 871

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por Hoshi no Kirby em Dom 21 Ago 2016, 15:24

    Bom tópico, explicou bem cada jogo da franquia! Acho que poderia ter falado um pouco mais em algumas partes, mas em geral o tópico ficou muito bem informativo!

    Eu nunca cheguei a jogar algum jogo da franquia, mas planejo futuramente comprar o Star Fox Zero. Ouvi muita gente falar que ele é melhor para os novatos na franquia, então deve servir bem pra mim.
    avatar
    Pedrock
    Veterano Nv.35
    Veterano Nv.35

    Karma Karma : 350
    Posts Posts : 1401

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por Pedrock em Dom 21 Ago 2016, 16:05

    Seu tópico ficou muito bom @gian.luca
    Os únicos jogos da série que joguei foram os Star Fox de SNES e 64 (nesse caso, o de 3DS também). Adorei o de 64, joguei muito no VC do Wii, mas no 3DS não cheguei a 6 horas de jogo :v.
    Adoraria jogar o Star Fox Adventures... dizem que ele é um rip-off de Ocarina of Time.
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por vits em Dom 21 Ago 2016, 16:13

    @rafagamer escreveu:
    @vits escreveu:
    Só uma coisa, que o primeiro Star Fox não é exatamente 3D e muito menos o primeiro jogo da categoria, ele usa um sistema de gráficos vetoriais em conjunto com "up-dow scale" de objetos, passando a impressão de um título 3D, mas na realidade ele não possui um eixo Z propriamente dito. Existem inumeros outros jogos que caem na mesma categoria, mas que foram feitos antes Battlezone (1980), Driller (1987), Castle Master (1990) e  Ultima Underworld (1992) são outros exemplos de jogos que usam dos mesmos truques para fazer o efeito 3D.

    Agora falando da série como um todo, Star Fox tem seu ponto mais forte na simplicidade, o primeiro título era um shooter on rails e absurdamente divertido por conta disso. Star Fox 64 foi outro jogo que simplesmente pegou essa forma, melhorou os visuais e adicionou muito pouco, novamente um jogo simples que qualquer um poderia pegar e se divertir.

    Já os jogos do Gamecube.... Star Fox Adventures nem era para ser um título dessa franquia, mas sim uma franquia completamente nova, no final colocaram o logo de Star Fox apenas para tentar capitalizar no nome da mesma. O resultado é um jogo que não é ruim, mas que não tem absolutamente nada a ver com os jogos clássicos da franquia. Star Fox Assault tenta levar a série as raízes e quase consegue, as partes de combate espacial são boas, mas o combate terrestre é ridiculamente ruim, no final o título ficaria muito melhor sem essas seções.

    O jogo do DS, Star Fox Command foi o primeiro jogo que eu tive para esse console, ele troca o tradicional on rails da franquia por arenas de combate e um pouco de estratégia. Ele também possui a maior dosagem de "plot" que qualquer outro jogo da franquia, com múltiplos finais e ampla variedade de personagens e ações. Na teoria o jogo parece excelente, mas os controles são no mínimo problemáticos e apesar do jogo ter múltiplos finais, você precisa terminar alguns deles para liberar as opções dos demais, o que tira todo a graça das múltiplas opções, já que no final você vai acabar vendo todos os finais, mesmo que essa não seja a sua intenção.

    E finalmente Star Fox Zero, como eu queria ter gostado desse jogo, ele é um remake do jogo original então a sua história é bastante linear, mas mesmo assim ele tinha tudo para ser a versão definitiva do jogo. Mas, como infelizmente parece ser um padrão com a Nintendo, eles tinham que mexer no "core" da franquia, com um esquema de controles que é completamente ilógico, desnecessário e pouco divertido. Claro, você pode se acostumar com os controles e eventualmente usa-los de forma decente, mas não estamos falando de uma mecânica de jogo, mas sim de toda a base da jogabilidade, a ideia de ter que se "acostumar" com ela é simplesmente ridícula e vai contra toda a simplicidade e acessibilidade dos jogos anteriores.

    O jogo ainda tenta adicionar certa variedade com o Landmaster, o Gyrowing e o Walker, que até cumprem o seu papel e realmente proporcionam uma jogabilidade diferente, mas que no final das contas, poderiam ter sido muito melhor aproveitas caso os controles e level design fossem mais interessantes. Quando você soma todos esses fatores, Star Fox Zero não passa de uma decepção, cheio de boas ideias, mas com uma base completamente deturpada e longe daquilo que os fãs gostavam na franquia.

    No final, fica claro que Star Fox possui uma mecânica simples, que fez sucesso justamente por ser simples, a Nintendo até pode inventar e tentar criar novas ideias em cima dela, mas se ao fazer isso, ela também vier a ignorar as origens da franquia, o resultado serão sempre jogos medíocres, que ficam aquém das expectativas dos fãs.

    Só discordo em relação ao Zero. Achei um jogaço e pra mim redefiniu a jogabilidade. "Se acostumar" não é um argumento ridiculo, faz parte da evolução. Sem contar que apesar de tudo, a jogabilidade continua muito parecida, EXTREMAMENTE parecida. Não percebemos isso de cara, MAS É. O problema é que no incio tentamos focalizar as 2 telas e mirar cada inimigo com o movimento do gamepad... NÃO É PRA JOGAR ASSIM! Você tem que jogar olhando pra televisão, com sua mãozinha quieta, como qualquer outro Star Fox, fazendo apenas PEQUENAS correções (que faz olhando pra TV mesmo), sendo grande parte das vezes desnecessárias. No All-Rage Mode sim que em ALGUNS MOMENTOS você focaliza no gamepad, mas são momentos que voce pode esquecer a TV.

    Concordo que redefiniu a jogabilidade, antes ela era boa, acessível a todos os tipos de jogadores. Agora ela é ruim, exigindo que o jogador se acostume com um sistema completamente sem fundamento, que não oferece vantagem alguma em relação ao original e que nem ao menos é considerado divertido pela grande maioria dos jogadores e fãs da franquia.

    Desculpa, mas para ser uma "evolução" ela deveria melhorar o que foi feito anteriormente e nisso Star Fox Zero falha miseravelmente, além de não ser tão preciso quanto os jogos anteriores, a nova mecânica fornece zero - dai o nome do jogo - vantagens em relação a clássica. Se tivessem mantido ela apenas para aquele modo co-op até era entendível, mas implementa-la no modo singleplayer foi uma das decisões mais sem fundamento da Nintendo nós últimos anos e olha que a competição é forte, com Paper Mario sem RPG e Mario Party com carrinho na disputa.
    avatar
    rafagamer
    Membro Nv.8
    Membro Nv.8

    Karma Karma : 52
    Posts Posts : 102

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por rafagamer em Dom 21 Ago 2016, 16:49

    @vits escreveu:
    @rafagamer escreveu:
    @vits escreveu:
    Só uma coisa, que o primeiro Star Fox não é exatamente 3D e muito menos o primeiro jogo da categoria, ele usa um sistema de gráficos vetoriais em conjunto com "up-dow scale" de objetos, passando a impressão de um título 3D, mas na realidade ele não possui um eixo Z propriamente dito. Existem inumeros outros jogos que caem na mesma categoria, mas que foram feitos antes Battlezone (1980), Driller (1987), Castle Master (1990) e  Ultima Underworld (1992) são outros exemplos de jogos que usam dos mesmos truques para fazer o efeito 3D.

    Agora falando da série como um todo, Star Fox tem seu ponto mais forte na simplicidade, o primeiro título era um shooter on rails e absurdamente divertido por conta disso. Star Fox 64 foi outro jogo que simplesmente pegou essa forma, melhorou os visuais e adicionou muito pouco, novamente um jogo simples que qualquer um poderia pegar e se divertir.

    Já os jogos do Gamecube.... Star Fox Adventures nem era para ser um título dessa franquia, mas sim uma franquia completamente nova, no final colocaram o logo de Star Fox apenas para tentar capitalizar no nome da mesma. O resultado é um jogo que não é ruim, mas que não tem absolutamente nada a ver com os jogos clássicos da franquia. Star Fox Assault tenta levar a série as raízes e quase consegue, as partes de combate espacial são boas, mas o combate terrestre é ridiculamente ruim, no final o título ficaria muito melhor sem essas seções.

    O jogo do DS, Star Fox Command foi o primeiro jogo que eu tive para esse console, ele troca o tradicional on rails da franquia por arenas de combate e um pouco de estratégia. Ele também possui a maior dosagem de "plot" que qualquer outro jogo da franquia, com múltiplos finais e ampla variedade de personagens e ações. Na teoria o jogo parece excelente, mas os controles são no mínimo problemáticos e apesar do jogo ter múltiplos finais, você precisa terminar alguns deles para liberar as opções dos demais, o que tira todo a graça das múltiplas opções, já que no final você vai acabar vendo todos os finais, mesmo que essa não seja a sua intenção.

    E finalmente Star Fox Zero, como eu queria ter gostado desse jogo, ele é um remake do jogo original então a sua história é bastante linear, mas mesmo assim ele tinha tudo para ser a versão definitiva do jogo. Mas, como infelizmente parece ser um padrão com a Nintendo, eles tinham que mexer no "core" da franquia, com um esquema de controles que é completamente ilógico, desnecessário e pouco divertido. Claro, você pode se acostumar com os controles e eventualmente usa-los de forma decente, mas não estamos falando de uma mecânica de jogo, mas sim de toda a base da jogabilidade, a ideia de ter que se "acostumar" com ela é simplesmente ridícula e vai contra toda a simplicidade e acessibilidade dos jogos anteriores.

    O jogo ainda tenta adicionar certa variedade com o Landmaster, o Gyrowing e o Walker, que até cumprem o seu papel e realmente proporcionam uma jogabilidade diferente, mas que no final das contas, poderiam ter sido muito melhor aproveitas caso os controles e level design fossem mais interessantes. Quando você soma todos esses fatores, Star Fox Zero não passa de uma decepção, cheio de boas ideias, mas com uma base completamente deturpada e longe daquilo que os fãs gostavam na franquia.

    No final, fica claro que Star Fox possui uma mecânica simples, que fez sucesso justamente por ser simples, a Nintendo até pode inventar e tentar criar novas ideias em cima dela, mas se ao fazer isso, ela também vier a ignorar as origens da franquia, o resultado serão sempre jogos medíocres, que ficam aquém das expectativas dos fãs.

    Só discordo em relação ao Zero. Achei um jogaço e pra mim redefiniu a jogabilidade. "Se acostumar" não é um argumento ridiculo, faz parte da evolução. Sem contar que apesar de tudo, a jogabilidade continua muito parecida, EXTREMAMENTE parecida. Não percebemos isso de cara, MAS É. O problema é que no incio tentamos focalizar as 2 telas e mirar cada inimigo com o movimento do gamepad... NÃO É PRA JOGAR ASSIM! Você tem que jogar olhando pra televisão, com sua mãozinha quieta, como qualquer outro Star Fox, fazendo apenas PEQUENAS correções (que faz olhando pra TV mesmo), sendo grande parte das vezes desnecessárias. No All-Rage Mode sim que em ALGUNS MOMENTOS você focaliza no gamepad, mas são momentos que voce pode esquecer a TV.

    Concordo que redefiniu a jogabilidade, antes ela era boa, acessível a todos os tipos de jogadores. Agora ela é ruim, exigindo que o jogador se acostume com um sistema completamente sem fundamento, que não oferece vantagem alguma em relação ao original e que nem ao menos é considerado divertido pela grande maioria dos jogadores e fãs da franquia.

    Desculpa, mas para ser uma "evolução" ela deveria melhorar o que foi feito anteriormente e nisso Star Fox Zero falha miseravelmente, além de não ser tão preciso quanto os jogos anteriores, a nova mecânica fornece zero - dai o nome do jogo - vantagens em relação a clássica. Se tivessem mantido ela apenas para aquele modo co-op até era entendível, mas implementa-la no modo singleplayer foi uma das decisões mais sem fundamento da Nintendo nós últimos anos e olha que a competição é forte, com Paper Mario sem RPG e Mario Party com carrinho na disputa.
    É isso que você não está entendendo. Você pode jogar Star Fox Zero INTEIRO a visão de primeira pessoa, sem dar uma unica balançada nele, como se fosse um outro Star Fox normal, com exceto alguns chefes, que você precisa mirar em alguns pontos (e mesmo assim dá pra jogar bem sem isso, o gamepad só facilita, como facilitaria nos outros jogos da série), assim como as partes de usar o Direct-I (que também pode ser feito em . A unica vez que é necessário ver em primiera pessoa REALMENTE são as fazer que precisa do  no ultimo chefe, que tem uma "parede" que aparece pra "camera" mas não "pra você", então tem que ver em primeira pessoa para saber onde passar (e mesmo assim pode jogar olhando pra uma tela só, basta mudar a visão com o "-")

    E a jogabilidade não trás maleficio nenhum, já que ela não é obrigatória. e sim SÓ TRAS VANTAGENS, pois você pode simplesmente ignora-la (se quiser),  pode tirar vantagem na precisão dos tiros (se tiver competencia), ou usa-la só quando achar benéfico pra você (se tiver bom senso)

    Conteúdo patrocinado

    Re: Star Fox: uma franquia de altos, baixos e barrel rolls

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg 11 Dez 2017, 07:29