Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    [Review] Mighty No. 9

    Compartilhe
    avatar
    Captain_J_Sheridan
    Membro Nv.2
    Membro Nv.2

    Karma Karma : 57
    Posts Posts : 47

    [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Captain_J_Sheridan em Qua 22 Jun 2016, 21:40

    Postado originalmente no blog Na Balada do Mario Bros


    Mighty No. 9 é o novo jogo do criador de Mega Man, Keiji Inafune, após a sua saída da Capcom, já que a empresa se recusava a criar novos games do robô azul. O custo da produção foi bancado por uma campanha de financiamento coletivo no site Kickstarter e o desenvolvimento levou quase 3 anos, com muitos atrasos. Agora Mighty No. 9 finalmente chegou e o resultado pode não ser o que jogadores esperavam.

    DASHDASHDASH

    A estrutura de Mighty No. 9 começa bem semelhante à de Mega Man. Andar, pular e atirar enquanto atravessa fases repletas de inimigos e enfrenta chefes. Por sua vez você ganha armas desses chefes que pode utilizar depois para matar outros chefes com mais facilidade. Até aí tudo está perfeitamente de acordo com o que um fã de Mega Man poderia querer.


    As coisas começam a desandar com a introdução de uma mecânica de "Dash", que permite deslizar pelo chão ou ar e é essencial para matar os inimigos. Os tiros praticamente não matam inimigos, apenas os enfraquecem e permite que você use o Dash para finalizá-los. Algumas vezes isso quebra o ritmo da ação e detrai a função do combate em si.

    O sistema de Dash é bem complexo. Ao absorver certos inimigos, de acordo com a cor, você recebe bônus no seu ataque, velocidade, tanques reserva de energia e mais, além de haver todo uma profundidade ao absorver vários inimigos ao mesmo tempo para criar combos.

    Os controles não são totalmente precisos e isso é um pouco desagradável em um clone de Mega Man. Às vezes eles escorregam, outras vezes fica complicado de se manter em cima de uma plataforma, nem sempre dá pra saber onde o Dash vai deixar você ou se é possível se pendurar naquela plataforma em específico (sim, você pode se pendurar em bordas), pois em algumas não é possível.


    Not that Mighty

    O design das fases é onde realmente o jogo determina sua mediocridade. A maioria delas são corredores lineares para se ir da esquerda para a direita sem qualquer variação, às vezes com um mínimo desvio para obter algo inútil. Não há nenhum tipo de item secreto no jogo que valorize a exploração e nem áreas que só podem ser acessadas com a habilidade especial de algum chefe.

    Há muitos elementos que lembram o design de Mega Man 9 e 10, como uma grande quantidade de "One Hit Kills", situações nas quais um mero toque de leve em um circuito aberto irá matar você, como os clássicos espinhos de Mega Man. Essas situações estão por toda parte, muitas vezes exageradas e denotam uma certa inexperiência que confunde a dificuldade de um desafio com algo barato, injusto.

    Para não dizer que não houve nada criativo, a fase do Mighty No. 8, Countershade foi algo bem diferente do resto do jogo. O personagem, um atirador sniper, esconde-se pela fase e faz o jogador procurar por ele, seguindo sua mira laser. Apesar disso, a fase dura um pouco demais e chega a ser cansativa.


    Um conto preto no branco

    A história toma um pouco de espaço no jogo, quase incomoda, mas é deixada de lado na maior parte do tempo. O nível está meio "Knack", com cientistas supostamente inteligentes que não são nada inteligentes e personagens com personalidades nada carismáticas. Há até mesmo personagens chamados White e Black para deixar tudo bem simples, apesar de haver uma pequena surpresa aí.

    O robô Beck não tem o apelo de Mega Man, ele é usado pelo Dr. White mais como uma ferramenta do que agindo por conta própria como uma criatura consciente. A assistente Call por sua vez não tem nenhuma personalidade se comparada com Roll. Pelo menos os outros robôs Mighty Numbers são interessantes, com personalidades artificiais que variam de divertidas a irritantes.


    Um detalhe curioso é que os robôs inimigos não são destruídos, então após vencê-los, Beck os salva. COm isso eles se tornam novamente seus amigos e aparecem em certas fases para dar conselhos e alterar um pouco o fluxo dos eventos. Isso cria algumas das melhores situações do jogo, como a fase final em que todos se unem para lutar juntos.

    Às vezes há diálogos no meio da fase e eles chegam a atrapalhar devido à posição da janela, o que faz parecer que ninguém testou o jogo para reclamar disso. Não são tantos a ponto de me fazer odiar o jogo, mas há momentos em que eu definitivamente preferiria que eles não estivessem lá.

    Ataque da Pizzas

    Graficamente o jogo claramente teve alguns downgrades e hoje está apenas aceitável, com base na versão PlayStation 4 usada na review. Algo menos aceitável é a forma como a boca dos personagens não se move durante as cenas, o que deu um aspecto amador ao jogo. Alguns efeitos, especificamente as explosões, são simplesmente horríveis e chegam a parecer pizzas (nunca é tão ruim quanto a imagem abaixo, no entanto).


    A taxa de quadros é em sua maioria estável, com algumas quedas. Se você tentar usar certas armas em certos locais também há quedas drásticas. Um efeito em particular, o "Bloom", que faz certas fontes de luz parecerem mais brilhantes, pode ser desligado no menu e isso ajudou bastante a manter a fluidez do jogo na minha experiência.

    Conclusão

    Apesar de listar muitas coisas negativas a experiência de jogar Mighty No. 9 em si não foi ruim. Há momentos em que você não está pensando nos defeitos e ele realmente parece um bom jogo de Mega Man, assim como há outros em que claramente é algo diferente e nem sempre bom. A frustração causada pelas mortes instantâneas é um problema sério, mas pode ser controlada ao aumentar o seu número de vidas nas opções, para, ironicamente, 9 vidas.


    Às vezes os pequenos defeitos de Mighty No. 9 se reúnem para formar um grande Megazord. Por exemplo, quando você precisa dar um dash, escorrega porque o controle é um pouco frouxo e cai em uma pilha de circuitos abertos que matam você de primeira e estavam ocultos por uma janela de diálogo, aí você sente que o jogo merece todo o ódio que recebe na internet. Porém, essa sensação não dura.

    A campanha principal tem por volta de 3 horas e conta com uma grande quantidade de modos extras, porém nem todos relevantes. Esses modos tem toda a cara de "Meta Extra" de campanha de financiamento coletivo, como desafios, desafios cooperativos, modo só de chefões e até corrida online.

    Eu me diverti bastante com Mighty No. 9 e também me frustrei bastante, não é um jogo excepcional e nem é um jogo incompetente. Depois de 3 anos com certeza as pessoas não esperavam um jogo meramente razoável. Como a internet apenas lida com extremos muitos críticos aproveitaram a rejeição do público para jogar Beck e Inafune debaixo de um caminhão, pois esse tipo de espetáculo gera mais audiência.

    No entanto, em um mundo sem Mega Man, a existência de Mighty No. 9 não é apenas melhor do que nada, é uma esperança de que velhos robôs possam evoluir.

    Nota: 7 / 10



    avatar
    Brake
    Administrador
    Administrador

    Karma Karma : 1550
    Posts Posts : 3712

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Brake em Qua 22 Jun 2016, 21:48

    Tópico movido para a área Outros Consoles. Agradecimentos ao @vits pelo aviso.
    avatar
    Captain_J_Sheridan
    Membro Nv.2
    Membro Nv.2

    Karma Karma : 57
    Posts Posts : 47

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Captain_J_Sheridan em Qua 22 Jun 2016, 21:54

    @Brake escreveu:Tópico movido para a área Outros Consoles. Agradecimentos ao @vits pelo aviso.

    Reviews de jogos multiplataforma que também saem em consoles Nintendo não podem ficar no fórum "Nintendo"? Apenas exclusivos?
    avatar
    Brake
    Administrador
    Administrador

    Karma Karma : 1550
    Posts Posts : 3712

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Brake em Qua 22 Jun 2016, 22:00

    @Captain_J_Sheridan escreveu:
    @Brake escreveu:Tópico movido para a área Outros Consoles. Agradecimentos ao @vits pelo aviso.
    Reviews de jogos multiplataforma que também saem em consoles Nintendo não podem ficar no fórum "Nintendo"? Apenas exclusivos?
    Normalmente sim, mas é que você utilizou a versão PS4 para essa análise, por isso coube mais a esta área. Wink
    avatar
    Captain_J_Sheridan
    Membro Nv.2
    Membro Nv.2

    Karma Karma : 57
    Posts Posts : 47

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Captain_J_Sheridan em Qua 22 Jun 2016, 22:03

    @Brake escreveu:
    @Captain_J_Sheridan escreveu:
    @Brake escreveu:Tópico movido para a área Outros Consoles. Agradecimentos ao @vits pelo aviso.
    Reviews de jogos multiplataforma que também saem em consoles Nintendo não podem ficar no fórum "Nintendo"? Apenas exclusivos?
    Normalmente sim, mas é que você utilizou a versão PS4 para essa análise, por isso coube mais a esta área. Wink

    É o mesmo jogo no Wii U, mas ok
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por vits em Qua 22 Jun 2016, 22:12

    Gostei da análise, não entrou a fundo nos méritos técnicos do game, mas deu uma boa perspectiva do que se trata e principalmente deixou bem claro que é um artigo de opinião, expressando como se sentiu com a experiência, o que é algo sempre bom em reviews. Ademais, pontos extras por finalizar com uma "chave de ouro", mesmo que tenha sido uma um pouco cafona.  Razz
    avatar
    Sanksuel
    Veterano Nv.31
    Veterano Nv.31

    Karma Karma : 466
    Posts Posts : 1156

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Sanksuel em Qua 22 Jun 2016, 22:59

    @Captain_J_Sheridan escreveu:
    @Brake escreveu:
    @Captain_J_Sheridan escreveu:
    @Brake escreveu:Tópico movido para a área Outros Consoles. Agradecimentos ao @vits pelo aviso.
    Reviews de jogos multiplataforma que também saem em consoles Nintendo não podem ficar no fórum "Nintendo"? Apenas exclusivos?
    Normalmente sim, mas é que você utilizou a versão PS4 para essa análise, por isso coube mais a esta área. Wink

    É o mesmo jogo no Wii U, mas ok
    ao que parece a versão do WiiU tem mais queda de frames, isso faz diferença na hora de jogar



    obs: não sei se isso é verdade, mas muita gente comenta então pode considerar
    avatar
    Sheik
    Toilette Princess
    Toilette Princess

    Karma Karma : 524
    Posts Posts : 4340

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Sheik em Qua 22 Jun 2016, 23:32

    É, tirando a IGN, acho que as notas estão nesse aspecto mesmo. MEDÍOCRE!!!!
    O jogo é divertido, quisá eu compre numa promoção.
    avatar
    Robert Prado
    Underwear Hero
    Underwear Hero

    Karma Karma : 5131
    Posts Posts : 6134

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Robert Prado em Qua 22 Jun 2016, 23:50

    Adorei o Review, acho que prefiro este tipo do que aqueles mais técnicos.

    O jogo de PS4 tem platina?
    avatar
    Felipe_Vieir4
    Special Blast
    Special Blast

    Karma Karma : 1799
    Posts Posts : 4209

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Felipe_Vieir4 em Qui 23 Jun 2016, 06:09

    @Robert Prado escreveu:Adorei o Review, acho que prefiro este tipo do que aqueles mais técnicos.

    O jogo de PS4 tem platina?
    Fui olhar no MyPst e aparentemente tem sim

    O jogo parece mais um plataforma genérico mesmo, acho que com tantas outras opções dispoíveis, eu não compraria. Mas bela análise!

    Conteúdo patrocinado

    Re: [Review] Mighty No. 9

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qui 17 Ago 2017, 05:04