Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    [Análise] Plants vs. Zombies Garden Warfare 2

    Compartilhe
    avatar
    Felipe_Vieir4
    Special Blast
    Special Blast

    Karma Karma : 1799
    Posts Posts : 4209

    [Análise] Plants vs. Zombies Garden Warfare 2

    Mensagem por Felipe_Vieir4 em Qua 11 Maio 2016, 21:44

    Informações no tópico oficial: link

     Introdução 


    Sem dúvidas, meu gênero favorito de jogos não é shooter. Não consigo gostar de jogos como COD e Battlefield, mas há não muito tempo atrás, quando a EA disponibilizou o primeiro Plants vs. Zombies Garden Warfare de graça, eu vi algo diferente nele. Não sei muito bem o que, mas esse jogo de fato me divertiu.

    E foi com essa lembrança que eu vi, no dia 23 de Fevereiro desse ano, o jogo Plants vs. Zombies Garden Warfare 2 ser lançado para PS4, Xbox ONE e PC. Jogo baixado, lembranças das horas divertidas com o primeiro em mente, hora de iniciar. Será que eu iria me divertir tanto quanto no primeiro?

    Antes de mais nada, posso adiantar que sim.

     Gameplay

    A primeira novidade é também a mais evidente: o gramado de batalha. Esqueça ficar subindo e descendo o ponteiro sobre opções de um menu, agora o menu é um mundo completo, com diversas atividades para fazer. Devo admitir que isso é bem mais legal do que eu achei que seria (pelo menos na primeira vez), o mapa não é muito grande, mas também não é pequeno. Salas secretasesconde-esconde e pequenos desafios marcam presença ao lado de jogos de tiro ao alvo, busca por gnomos e um modo onde você precisa defender a área central de infinitas hordas de zumbis de inteligência artificial, além de muitas outras coisas.


    A experiência nessa área ao todo é bem divertida, mas depois de um certo tempo acaba caindo na mesmice. Você terá sempre os zumbis de um lado, e as plantas do outro. Apesar de que o gramado de batalha deixe de ser algo que te motive a ir jogar, continua sendo algo divertido para pequenos passeios durante as sessões de jogatina online.

    Ainda no gramado de batalha, uma das novidades desse jogo é o modo história: sendo 3 personagens novos para cada classe (3 para as plantas e 3 para os zumbis), o modo história é formado por pequenas missões dadas por esses personagens. As primeiras 6 vem de um representante "genêrico", depois você deve cumprir 4 para cada um desses personagens, e então as últimas 6.


    A sua missão é se tornar um agente, e deve cumprir todas essas missões para atingir sua meta. O modo história não apresenta nada que mude o jeito que você joga, mas traz propostas bem interessantes. A que eu mais gostei era uma missão do Coronel Milho, onde você tinha que dar cobertura para o Agente Ranzinza (que ia seguir por terra) através de um avião. Não é um modo que faça o jogo valer a pena (é relativamente curto), mas é uma boa adição pro jogo.

    E finalmente chegamos ao online: é aqui que o jogo mostra para o que veio. Os modos de jogo são iguais aos do PvZ GW 1, mas os mapas dessa versão são novos, além de um remake de um mapa do jogo original, que veio no primeiro DLC (gratuito) do jogo. A principal novidade agora é o fato de que tanto as plantas como os zumbis podem atacar e defender, sem mais aquela história de que as plantas tem que ficar tomando conta do jardim enquanto são os zumbis que invadem, agora a *** é pra todo lado, trazendo muito mais "flexibilidade"(eu juro que essa foi a melhor palavra que eu encontrei) para o jogo.


    No online não tem muito mistério, a diversão segue tão boa quanto no primeiro. Eu joguei a maior parte do tempo nos servidores do Leste da América do Norte por ser o com menor PING com boa quantidade de gente, pois o servidor da América do Sul não é muito movimentado (no modo Jardins e Cemitérios até encontrei bastante gente), e não tive problemas em encontrar salas para jogar, e nem com bugs. O balanceamento dos personagens ainda não está perfeito, mas a PopCap tem prestado bastante atenção no feedback dos jogadores e trabalhado para melhorar.

    Além disso, todos os modos de jogo agora podem ser jogados sem internet, contra inimigos de inteligência artificial (e amigos também). A adição é interessante, principalmente pela possibilidade de poder mudas as configurações do jeito que quiser.

    O único problema fica mais focado nos iniciantes, pois a PopCap removeu os pequenos "vídeos explicativos" sobre as habilidades de cada personagem, e o tutorial fica por conta de uma introdução onde você controla o Girassol. Por mais que os controles sejam os padrões de quase todo jogo de tiro, não ter um tutorial pode dificultar a vida de quem quer começar a jogar. Além disso, o matchmaking do jogo é bem desequilibrado (característica herdade do PvZ GW 1), onde uma pessoa level 300 joga com uma level 10.


    Com tantos modos, habilidades e diversidade entre as classes de personagens, fica difícil não achar pelo menos um modo que você curta.

    E o modo de obtenção de personagens continua sendo através da compra de pacotes de figurinhas. Vou repetir o que eu tinha dito na análise do jogo original: Não é de todo ruim, mas que as vezes dá uma frustração de não conseguir o que você queria, dá.

     Gráficos e sons


    Gráficos bonitos não são novidade na série. Mais uma vez a PopCap trouxe com excelência o universo de um jogo de estratégia para celulares para um mundo 3D em consoles da última geração. Os sons que cada personagem emitem, junto de suas animações são bem divertidos, e combinados com os cenários, deixam o jogo ainda mais lindo. O único ponto negativo é que o cenário é estático, seja o céu, as árvores, a água, tudo parado. Não que isso estrague o jogo (eu pessoalmente acho até que o céu estático combina mais com o jogo), mas tem gente que não gosta.


    E mais uma vez, a música do jogo é algo bem típico da série. Não é algo que mereça ser destacado, mas combina com esse universo da PopCap.


     Conclusão


    Aumentado a experiência single-player, e evoluindo muito a multiplayer, Plants vs. Zombies Garden Warfare 2 é um jogo que consegue me divertir em todos os momentos. Já fazem mais de 2 meses que tenho o jogo, e sinto que ainda vou passar muitos outros jogando. Apesar de que a maioria dos jogadores nas partidas são crianças, independente da sua idade você deve experimentar esse jogo. Os personagens tem um nível de carisma capaz de conquistar qualquer um. A não ser que você só goste de jogos envolvendo tiros, sangue e soldados reais, esse jogo é para todo mundo.

    Prós:


    -Gameplay único
    -Customizações dos personagens
    -DLCs gratuitos e suporte da PopCap
    -Gramado de Batalha


    Contras:


    -Falta de tutorial
    -Matchmaking desequilibrado


    Nota final: 9,2

      Data/hora atual: Qui 14 Dez 2017, 06:30