Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    [Análise] - Drill Dozer (GBA)

    Compartilhe
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    [Análise] - Drill Dozer (GBA)

    Mensagem por vits em Sex 18 Mar 2016, 11:58



    Plataforma: Game Boy Advance
    Desenvolvedora: Gamefreak
    Publicadora: Nintendo
    Lançamento: 2005
    Gênero: Plataforma

     Introdução

    O Nintendo Game Boy Advance é provavelmente um dos melhores portáteis que a empresa lançou em toda a sua história, como uma biblioteca recheada de ports de clássicos do SNES/NES, assim como títulos novos.

    Hoje vamos falar um pouco de um desses jogos novos, que teve até certo reconhecimento, mas falhou em deixar uma marca realmente profunda nos jogadores. Estou falando de Drill Dozer, um título de plataforma, desenvolvido por ninguém menos do que a Game Freak, famosa desenvolvedora dos jogos da série Pokemon.


     História:

    O jogador assume o papel de Jill, o mais novo membro da equipe Red Dozer, um grupo de ladrões que utiliza brocas gigantescas para penetrar em seus objetivos, sendo notórios por sua grande eficiência. Tudo vai bem até que uma gangue rival, os Skullers, hospitalizam o pai de Jill e roubam uma peça valiosa da coleção dos Red Dozer.


    Assim a história acaba se focando no embate entre essas duas entidades, deixando o jogador responsável por reconquistar o objeto e vingar o que foi feito com o pai da protagonista. Para isso, a equipe possui uma série personagens de apoio, que enquanto não são exatamente memoráveis, acabam tendo mais voz (literalmente) que a própria protagonista, dando ao jogo um tom bastante “clássico”, como se o jogador estivesse apenas seguindo as ordens de seus camaradas.


    No final, isso não acaba sendo algo necessariamente ruim, mas diversas vezes nos leva a pensar que os obstáculos seriam muito mais facilmente vencidos, se ao invés de sermos obrigados a seguir toda e cada instrução, pudéssemos fazer como bem entendêssemos. Esse sentimento é ainda ampliado, pelo fato de não podermos interromper todas as “seções” de explicação e algumas coisas que já deveriam ter sido memorizadas pelo jogador, acabam sendo explicadas novamente, em leveis mais altos.

    Comentário: Normalmente eu não me incomodo com jogo que me oferecem algum tipo de auxilio, mas esse é um caso, onde os desenvolvedores erraram feio na medida. Diversas vezes eu senti vontade de simplesmente parar de jogar, porque um determinado personagem vinha me explicar, algo que eu já sabia e/ou era óbvio demais para requerer uma explicação tão demorada.


     Estética:

    Esse é talvez um dos jogos mais bonitinhos do GBA, os gráficos são bastante coloridos e variados, permitindo uma boa variedade de cenários. O mesmo pode ser dito da maioria dos personagens, que possuem sprite totalmente únicos, que se complementam criando um universo bastante rico. O único ponto que pode ser considerado negativo são os inimigos, apesar de cumprirem o seu papel, eles são bastante reutilizados e simplórios, felizmente o mesmo não acontece com os chefes de fase.


    Já em termos sonoros, temos aqui um jogo que faz um trabalho decente em suas músicas e efeitos. O ponto de destaque negativo acaba sendo nas músicas, que muitas vezes chamam a atenção por serem tocadas “fora de hora”, como por exemplo, músicas alegres sendo tocadas durante confrontos dentro de bases inimigas recém invadidas, algo que destoa totalmente da trama que está ocorrendo, causando uma sensação de estranheza
    .
    Comentário: O tom do jogo é bastante alegre, mas a desenvolvedora poderia ter tido um pouco mais de cuidado na hora de criar suas peças musicais, em todo caso, o resultado acaba sendo positivo, mas deixa uma sensação amarga na boca do jogador.


     Gameplay

    Aqui estão os maiores trunfos e os maiores defeitos do jogo, começando pelas mecânicas, temos um título de plataforma 2D bastante padrão. O diferencial está na ferramenta usada pela protagonista, uma armadura de combate, equipada com duas brocas gigantescas que podem perfurar por quase tudo, acionar alavancas e até permitir que pequenos momentos de “voo” durante a jogatina.


    Essas brocas são acionadas utilizando os gatilhos, cada um deles sendo responsável por faze-las girar para um determinado lado, permitindo a resolução de alguns quebra-cabeças e variando as estratégias de combate. O problema real está no level design, aqui temos um título de plataforma que toma alguma inspiração no modelo metroidvania, isso quer dizer que temos cenários grandes e labirínticos, permitindo na teoria um maior senso de liberdade.

    Porém, isso não passa da teoria, pois o jogador não tem permissão de sair por ai explorando cada uma das fases, aquela super broca que pode perfurar por paredes, muros e portas, acaba sendo apenas uma escolha estética, pois o jogo escolhe quais paredes você pode perfurar, na hora que você vai perfurar.


    O resultado disso é um título que funciona como 90% dos demais jogos de plataforma, só que aqui, além de destruir seus inimigos, o jogador ainda tem a enfadonha tarefa de quebra blocos, que por algum motivo são recarregados toda vez que entramos na área novamente.  O lado positivo, é que quando finalmente nos cansamos dessas tarefas ordinárias, o jogo acaba, já que a sua duração é de pouco mais de 4horas.

     Veredito

    A GameFreak tentou fazer algo diferente, conseguindo criar uma mecânica bastante interessante, mas a falta de um level design e obstáculos interessantes, acabou criando uma experiência monótona, que só não chega a incomodar por conta de sua curtíssima duração.

    É um estilo de jogo que eu pessoalmente não recomendaria na época em que o GBA ainda era uma potência, já que existiam opções muito melhores de jogos a serem adquiridas. E sendo sincero, mesmo com a difusão dos emuladores, fica difícil recomenda-lo para qualquer um que esteja procurando algo divertido, todavia, se você está estudando produção de jogos, esse é um material didático bastante interessante de como não desenhar os cenários do seu jogo.

    Nota Técnica Final: 70/100


    Satisfação Pessoal: Baixa (30/100)


     Entenda a Nota

    A Nota Técnica é baseada nos aspectos mensuráveis do jogo, como visuais, gameplay e qualidade narrativa. Ou seja, é dada pelo esforço em realmente entregar um produto decente aos jogadores.

    Já a Satisfação Pessoal é medida baseada na minha própria experiência, sendo que mesmo jogos com notas técnicas elevadas, podem ter sido experiências frustrantes para mim, recebendo assim uma média baixa.


    Última edição por vits em Sex 18 Mar 2016, 17:48, editado 2 vez(es)
    avatar
    Felipe_Vieir4
    Special Blast
    Special Blast

    Karma Karma : 1799
    Posts Posts : 4209

    Re: [Análise] - Drill Dozer (GBA)

    Mensagem por Felipe_Vieir4 em Sex 18 Mar 2016, 12:46

    Wow, esse é um daqueles jogos que eu jamais iria saber que existiu
    O Gameboy tem muitos jogos ótimos, mas também recebeu muitos jogos ruins, esse até deve ser divertidinho comparado a alguns outros
    Bela review o/
    avatar
    Brake
    Administrador
    Administrador

    Karma Karma : 1550
    Posts Posts : 3712

    Re: [Análise] - Drill Dozer (GBA)

    Mensagem por Brake em Sex 18 Mar 2016, 13:07

    Não tinha conhecimento deste jogo, ainda mais feito pela Game Freak. Game Boy Advance teve uma vasta biblioteca, talvez isso justifique a quantidade de jogos ruins que tenham sido lançados a ele, mas vale lembrar claro da boa quantidade de jogos bons que ele teve também. Entretanto, ainda não se compara com o DS que recebeu dezenas mesmo de jogos totalmente dispensáveis por ter tido uma biblioteca de jogos ainda maior. Enfim, ótima análise, Vits.
    avatar
    Chazzy
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 1787
    Posts Posts : 7415

    Re: [Análise] - Drill Dozer (GBA)

    Mensagem por Chazzy em Qui 24 Mar 2016, 06:19

    Também não conhecia o jogo, mas pela análise aparenta ser bem chatinho.
    avatar
    Sum41
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 369
    Posts Posts : 2473

    Re: [Análise] - Drill Dozer (GBA)

    Mensagem por Sum41 em Qui 24 Mar 2016, 09:43

    Mano do céu, não quero atrapalhar sua análise mas vc esqueceu o principal: o cartucho!

    Esse é um jogo que faz parte do seleto grupo de "cartucho especiais" de GBA. No caso do Drill Dozer o cartucho tem a função rumble! Ou seja, esse fuckin cartucho vibra! Isso dá todo o charme do jogo. Minha esposa costuma chamar de: "o jogo com barulho de dentista". Essa característica é muito legal, ainda mais qd vc vai fazendo os upgrades da broca,  imagina na época!

    Olha a foto dessa lindezura I love you :


    Olha como fica depois de espetado no GBA:


    Peguei um cartucho "normal" pra fazer a comparação:


    Desculpa se atrapalhei seu tópico, pois só de vc ter lembrado desse jogo e feito uma análise já merece meu muitíssimo obrigado! Eu amo esse jogo!

    Agora tive uma idéia de fazer um tópico com os jogos de GBA com cartuchos especiais, verei se consigo ter tempo!
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: [Análise] - Drill Dozer (GBA)

    Mensagem por vits em Qui 24 Mar 2016, 19:38

    @Sum41, que atrapalhou o que, quanto mais gente comentando em um tópico de conteúdo melhor. Sinceramente, eu descobri desse cartucho especial depois que joguei o jogo, porque fiquei "encucado" como um jogo tão medíocre, tem um fã base tão razoavelmente grande... Dois minutos no google e eu entendi o porque, "ah o cartucho vibrava".

    Mas não coloquei na análise porque... Bem, não vi como isso influenciaria na análise de um jogo, já que é uma perfumaria sem impacto em mecânicas e afins... 

    Conteúdo patrocinado

    Re: [Análise] - Drill Dozer (GBA)

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab 21 Out 2017, 06:45