Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    [Análise] Half-Life 2

    Compartilhe
    avatar
    Sonic Salies
    Agent of Shadow
    Agent of Shadow

    Karma Karma : 910
    Posts Posts : 2264

    [Análise] Half-Life 2

    Mensagem por Sonic Salies em Sab 13 Set 2014, 20:44



     Half-Life 2. Esse jogo que simplesmente marcou a história dos games, e que estava anos a frente do seu tempo. Trazendo a maravilhosa engine Source, essa que é simplesmente uma obra prima da física, e na época, uma perfeição gráfica. O jogo ainda contém um incrível enredo, com personagens envolventes e que simplesmente marcaram a história dos games. Até hoje, todos conhecem e sabem a importância de Half-Life 2, e a revolução que ele causou ainda é vista até hoje.
     Inclusive, Half-Life 2 foi eleito como jogo da década, acontecimento que mostra a importância que o jogo teve.
    e sério, se você não conhece half-life...:


    hsuhasuahsuahsuah calma. Mas, seriamente, esse é um jogo simplesmente essencial.
      Essa análise está sendo feita porque ela vai ser, simplesmente, toda a construção do meu amor pela Valve, e também, servirá para apresentar a alguns que não conhecem (que já foram para lá e voltaram) e para aqueles que não jogaram (que também já deram uma passada rápida lá).

    Introdução

     
    Half-Life 2 é um jogo Sci-fi de tiro em primeira pessoa, um FPS, com elementos de terror. Lançado dia 16 de novembro de 2004 para PC (via Steam), 15 de novembro de 2005 para Xbox (não se engane é XBOX), 10 de outubro de 2007 para Xbox 360 (via pacote The Orange Box, que contém Team Fortress 2, Portal HL2, HL2: EP1 E HL2:EP2), para PS3 dia 11 de dezembro de 2007 (também via Orange Box), dia 26 de maio de 2010 para Macs e dia 9 de maio de 2013 para Linux. Inicialmente ele foi distribuído pela Vivendi Universal, mas posteriormente a Valve se tornou independente, e hoje o jogo é distribuído pela mesma.
     Half-Life 2 marcou para sempre a história dos games, e é um jogo que sempre será reverenciado por todos aqueles que...que tem um pouco de consideração por todos os jogos que hoje existem.

    História

    RISE AND SHINE...MR. FREEMAN...RISE AND SHINE!
     Para que você entenda completamente a história de Half-Life 2, é extremamente necessário que você tenha jogado Half-Life 1, e não, não vale ter jogado Black Mesa (prometo fazer análise desse depois), pois esse não contém o ponto essencial para o entendimento de Half-Life 2.
     Como Half-Life é um jogo bem antigo, e ao contrário de seu sucessor, pode não ser tão legal de se jogar hoje em dia, principalmente para aqueles que não sabem apreciar jogos antigos, deixarei abaixo um vídeo que explica de forma completa e detalhada a história de Half-Life, para que assim você tenha um entendimento completo da trama do segundo jogo. Lembrando que esse vídeo CONTÉM SPOILERS DE HALF-LIFE.




     Esse vídeo foi feito por um ótimo YouTuber, cujo canal se chama mdgameplays,
    , e sério, esse canal é indispensável para qualquer um que seja fã da Valve. Inclusive o sexto vídeo dessa série me ajudou muito na hora de contar a história de Half-Life 2 para vocês. Diria até que meu texto foi baseado nele.

     Como imagino que vocês já viram o vídeo, não precisarei explicar elementos que existem no primeiro jogo, por isso não pensem que faltam informações nessa análise.
     Sem mais delongas, vamos lá:
     
     O jogo começa """logo após""" o primeiro, com o protagonista, Gordon Freeman, sendo acordado por aquele que o aprisionou, GMan.
     Salies, você vai explicar quem é o GMan? Não, até porque eu não sei. Ninguém sabe.
     Ele diz coisas bem interessantes, e suas frases também marcaram os games. Por isso, deixarei abaixo a fala dele no início do game, obviamente traduzida.
     "*Acorde e brilhe, Sr. Freeman, acorde e brilhe. Não que eu queira dizer que você vem dormindo no...trabalho. Ninguém é mais merecedor de um descanso, e todo o esforço do mundo teria sido em vão até...bem, vamos dizer apenas que a sua hora novamente chegou. O homem certo no lugar errado pode fazer toda a diferença do mundo... Então, acorde Sr. Freeman. Acorde e... sinta o cheiro de cinzas."
     *"Acorde e brilhe" é meio que uma tradução literal, sendo que "Rise and Shine" em ingês, significa algo como "Cresça e apareça", mas essa tradução não faria muito sentido, então deixei literalmente mesmo.
     O que essa fala quis dizer só fará sentido ao longo do jogo.
     Para você poder entender o que se passa durante o jogo, é necessário entender o que se passou durante o aprisionamento de Gordon, que durou nada mais, nada menos do que 20 anos. E, apesar do longo tempo, Gordon tem a mesma idade, pois ele não ficou preso apenas fisicamente, mas sim ficou preso no espaço-tempo. Ou seja, ele não envelheceu.
     Como visto no vídeo, em Half-Life, uma fenda inter
    galática se abriu nas Instalações da Black Mesa. Isso permitiu que diversas raças alienígenas soubessem da existência da raça humana, já que várias delas foram trazidas até o nosso planeta. Algumas delas, como os Vortigaunts (que eram inimigos em Half-Life) aliaram-se a raça humana com o passar do tempo, já que eles viram que os humanos estavam "desesperados", e não os considerava como inimigo.
     Mas, a raça alienígena mais importante para a história de Half-Life 2 é outra. Eles são os Combine. Os Combines invadem planetas habitáveis, ou seja, com capacidade de suportar seres vivos, e escravizam a raça do planeta invadido. Além disso, eles pegam toda a tecnologia do planeta e a evolui, utilizando-a para uso próprio, principalmente em uso militar, já que é necessário impedir que a raça habitante do planeta invadido não se rebele contra eles. Os Combines estudam a genética dos habitantes do planeta, escolhem características do DNA da raça que os interessam, e assim criam seres híbridos, misturando o DNA Combine com o da raça local. E sim, tudo isso ocorreu com a Terra.

     A imagem mostra alguns Transhumans, combinações da genética humana com a genética Combine. Esses Transhumans acabam virando soldados da raça Combine, e conforme vão subindo de patente, mais alterações genéticas são feitas e menos humanos eles ficam.

    Agora irei falar mais detalhadamente sobre essa invasão Combine.
     Utilizando as fendas que foram abertas após os experimentos da Black Mesa, os Combine vieram escravizar a Terra. Com as fendas que ficavam no fundo dos mares e oceanos, drenaram toda a água do planeta, facilitando a invasão, já que a água é o principal elemento vital para os Seres Humanos (escrevi em maiúsculo já que esse seria o nome da nossa raça). A drenagem também facilitaria a exploração dos minerais do planeta, que seriam úteis nas construções dos Combine. Obviamente, os humanos não iriam ficar parados - igual a Peach sendo sequestrada pelo Bowser - e moveram todas as suas forças militares - sim, TODAS - para lutar contra os Combine. Apesar de tudo, a humanidade foi derrotada após 7 HORAS, e toda essa luta contra os Combine ficou conhecida como "A Guerra das 7 Horas".
     Após a invasão, os Combine estabeleceram suas forças por todo o planeta terra, escravizando completamente a raça humana. Além disso, os Combine construiram vários campos de supressão, que impedia o desenvolvimento de embriões, assim impedindo a reprodução da raça humana. Para controlar
    ainda mais a população, e também protegê-la dos alienígenas selvagens - proteger? Sim, proteger, já que os humanos eram seus escravos -  eles construíram cidades fortificadas que abrigariam todos os humanos, assim impedindo o crescimento de possíveis conjuntos rebeldes. Para dar os humanos a impressão de que eles não estavam de fato sendo dominados, os Combine elegeram um representante humano para ser uma espécie de "Presidente do Planeta", esse humano era um homem chamado Wallace Breen.

    A foto mostra Wallace Breen nos tempos de Half-Life 2

     Breen era o antigo administrador da Black Mesa Research Facility, e muitos dizem que o fato dele apoiar as pesquisas que geraram a Ressonância em Cascata de Half-Life estão relacionadas a ele já ter conhecido os Combine antes dos eventos de HL, mas isso não foi exatamente provado.
      Apesar de toda a opressão, muitos humanos não aceitaram o domínio Combine e, juntamente com os Vortigaunts, formaram uma força rebelde (isso te lembra o que? Sério, falem). Os principais líderes dessa "Resistência" eram Isaac Kleiner e Eli Vance, antigos cientistas da Black Mesa.


     Alguns rebeldes vistos em Half-Life 2.
     
     Agora, vamos ao real início de Half-Life 2. Após bater aquele papo com o GMan - quer dizer, o Gordon não fala...então... - após presenciar aquele monólogo do GMan, Gordon é colocado em um trem, e não, ele não entrou no trem, GMan simplesmente o colocou lá.
     Quando saímos do trem, vemos a famosa City 17, uma das principais cidades fortificadas formadas após a invasão Combine.
     Na City 17, vemos em um telão um dos pronunciamentos de Wallace Breen, dizendo como City 17 é um um ótimo lugar para se viver e também como os Combine trouxeram benefícios e evolução a raça humana. Na City 17, também presenciamos a constante opressão que os humanos sofrem, sendo maltratados e tratados como lixo.
     Após isso, Gordon chega até um Posto de Controle Combine, e estava prestes a ser enviado até um local chamado Nova Prospeket, mas um soldado Combine o impede de ir até lá, e o convoca para ir até uma sala, onde provavelmente Gordon seria interrogado. Quando chegam na sala, o soldado diz que precisaria de um pouco de privacidade com o prisioneiro, e dessa forma, desliga as câmeras da sala. Mas, o soldado tira o capacete e revela ser Barney Calhoun, antigo amigo de Gordon e protagonista de uma das DLCs de Half-Life, Blue Shift. Barney contacta o Dr. Kleiner - já mencionado - e esse fica igualmente impressionado ao saber que Gordon ainda está vivo. Após isso, soldados chegam na sala, e Gordon foge, mas acaba sendo encurralado por um grupo de Combines.
     Após isso, você escuta alguns barulhos, e assim é salvo por Alyx Vance, filha do Dr. Eli, e uma das personagens mais importantes da série, que ganha grande destaque em HL2:EP2. Após isso, ela leva Gordon até o laboratório do Dr. Kleiner. Lá, Gordon ajuda com o teste de um novo teletransporte criado pelo Dr. Kleiner. Como "cobaias", foram Alyx e Gordon, que agora estava equipado com a sua H.E.V. Suit, a mesma que ele utilizou durante os acontecimentos de Half-Life. O experimento dá certo com Alyx, que foi levada até o laboratório de seu pai, Black Mesa East. Quando chega a vez de Gordon, o experimento falha, e ele é obrigado a ir a pé até o laboratório do Dr. Kleiner.
     E é a partir desses acontecimentos que o jogo se desenrola. A missão de Gordon é ajudar a rebelião contra os Combine, já que ele foi um herói em Black Mesa, a sua chegada deu um novo ânimo que os rebeldes precisavam, e agora eles atacam os Combine com força total.
     Todos os acontecimentos são retratados com extremo perfeccionismo, a personalidade dos personagens é muito bem construída e tudo leva até um incrível e surpreendente final.


    Jogabilidade
     
     Half-Life 2, como já dito, é um jogo de tiro em primeira pessoa. Você controla Gordon Freeman, e esse pode andar, correr, pular, se abaixar, pegar objetos atirar com armas (ah mentira) e controlar veículos.
     O jogo se constitui basicamente de combate utilizando armas de fogo, e um pé de cabra que você tem, e momentos onde parte da história é contada.
     Mas, o jogo possui a maravilhosa engine Sorce, e você praticamente pode interagir com qualquer coisa no cenário, ou seja, você pode utilizar coisas do cenário para combater os inimigos, ou até mesmo utilizar os objetos para montar algum tipo de estratégia.
     Quanto as armas de fogo, são várias - considerando a época do jogo -, existe uma de cada tipo, e Gordon é capaz de carregar TODAS de uma só vez. Essas armas são adquiridas durante o jogo. Existe pistola, escopeta, submetralhadora, a clássica Gravity Gun, besta, granadas, lança-mísseis, o clássico pé de cabra, entre outras. Com as armas de fogo, não é possível fazer ADS, o famoso "mirar" presente em Call of Duty/Battlefield ou em outros FPS atuais. O jogo segue como Counter-Strike, que por acaso só surgiu por causa de Half-Life.
     Muitos outros elementos do jogo dependem da H.E.V. Suit. Existe duas "barras de vida", que vão até 100, e podem ser recarregadas em máquinas específicas, ou via alguns objetos que você encontra nos mais diversos locais, como Kits Médicos. Uma barra representa uma espécie de "escudo" da H.E.V. Suit, e a outra, a real vida de Gordon. Caso tome dano, esse irá primeiramente afetar a H.E.V. Caso a H.E.V. zere, Gordon começa a tomar dano, e caso a vida de Gordon zere, ele morre.
     A H.E.V. também tem uma barra de energia, essa que é usada quando você corre ou quando acende a lanterna. Caso essa barra zere, ela se regenera com o tempo, e a habilidade pode ser usada novamente.
     HL2 é um jogo consideravelmente difícil, principalmente para aqueles que estão acostumados com jogo fáceis, onde o personagem é praticamente um Super Sayajin e faz tudo sozinho.
     Os inimigos que você enfrenta vão de alienígenas comuns, que estiveram presentes no primeiro jogo - como Headcrabs, bichos que te atacam na cabeça e os MALDITOS BARNACLES, bichos que tem uma língua gigantesca e que te amarram e te puxam, e no alto, te dão dano até você morrer. Como dá agonia ser puxado por algum dessas CRIATURAS DO DEMÔNIO - mas, a maioria dos inimigos que você enfrenta são os mais variados Combines. Desde soldados, que são dividios em 3 níveis, um mais forte que o outro, até Striders, animais geneticamente alterados que tem longas pernas e soltam mísseis em você.
     No jogo, existem puzzles a serem resolvidos, esses que podem ser bem complicados e tomam realmente boa parte do seu tempo.
     A física do jogo é realmente impressionante e estava décadas a frente de seu tempo. A maneira da qual os objetos reagem a qualquer ação sua é incrivelmente bem feita, e a engine Source merece um prêmio eterno, quando o assunto é física.

    Gráficos


     Lembre-se que Half-Life 2 é um jogo de 2004.
     Half-Life 2, para a sua época, possuía um gráfico lindíssimo. Suas texturas são muito detalhadas, sua iluminação é belíssima, sua ambientação é incrível e o nível de detalhes em cada objeto é impressionante.
     Não irei ficar descrevendo aqui, pois como eu sempre falo para questão gráfica, imagens falam melhor do que palavras.
     A única coisa que realmente merece um grande destaque, são as expressões faciais. As expressões faciais de Half-Life 2 são até hoje impressionantes. O movimento dos olhos, da boca é incrível, e passam a impressão de que os personagens estão realmente falando com você, jogador. A imersão que isso passa é praticamente indescritível, e isso é um dos pontos mais brilhantes do jogo. Você fica feliz quando a Alyx - que te acompanha boa parte do jogo - fica também, e isso é ao mesmo tempo impressionante, quando ao mesmo tempo bizarro, já que a interação é muito alta.
     Note que ainda há uma "destrutibilidade" no ambiente, sendo que alguns objetos são sim destrutíveis. E os que você manuseia geralmente tem ótimas reações, como: quando o Gordon pega, por exemplo, um barril inflamável, e o explode, a reação da explosão e a forma como ela ocorre é muito detalhada, e até mesmo o fogo do jogo é muito bonito.
    AQUI VOCÊ PODERÁ VER UM POUCO MAIS DO GRÁFICO DE HALF-LIFE 2:






    Trilha Sonora e Dublagem



     Em grande parte do jogo, a trilha sonora é ausente, para dar um tom de solidão ou até mesmo de medo. Como eu disse, o jogo tem uma pitada se Survival Horror. Mas, quando há trilha sonora, ela é simplesmente incrível. Com uma pegada de música eletrônica, vai de músicas animadas até músicas silenciosas e que novamente passam um tom de solidão.
     Quanto a dublagem do jogo, não existem tantos personagens a serem dublados, já que o próprio Gordon não fala. Mas, os personagens são incrivelmente bem dublados e representados, passando toda a emoção que eles sentem naquele exato momento, e isso, unido as expressões faciais incríveis, te dão uma sensação de imersão ainda maior.

     Conclusão

      Half-Life 2 é um jogo sensacional, digno do Selo Delícia de Suco Mestre de Aprovação. Não é a toa que ele marcou toda a história dos games. Com uma história envolvente e bem desenvolvida, personagens carismáticos, jogabilidade e física inovadoras, gráficos fantásticos, trilha sonora absurdamente boa, Half-Life 2 é simplesmente uma revolução, e um dos melhores, senão o melhor jogo de tiro de todos os tempos, e é um jogo que, caso seja eleito o melhor jogo de todos os tempos, não há motivos para se chatear, porque toda a sua fama e popularidade não foram mais que merecidos para essa obra-prima da Valve, a melhor produtora de todos os tempos.

    Notas:
    História:
    10/10 - SELO AHHH QUE DELÍCIA DE APROVAÇÃO!
    Jogabilidade: 9.5/10
    Gráficos: 10/10
    Trilha Sonora/Dublagem: 10/10
     Eu sei que eu dei 9.5 para a jogabilidade. Por que? Porque ás vezes o jogo fica meio chato, principalmente por intercalar ação intensa/puzzles. Eu tinha dito que a próxima análise seria de Skyrim, mas eu desisti de fazer, e tinha dito também que Bioshock Infinite seria o último jogo recente - que eu analisei - que eu daria 10. Mas quer saber?
    Nota Final: 10/10 - Esse jogo é f0da paaaa car$#*@!

     Então é isso, essa é mais uma análise do Salies muleki transanti. Deem sua opinião abaixo, lembrando que Half-Life 2 é um jogo tão grandioso que posso ter esquecido de mencionar algo, já que são muitos detalhes. Mas, deixa aí que eu posso até fazer uma edição e acrescentar alguma informação.
     Um forte abraço, e muito obrigado Very Happy

     ACABEEEI Sou Foda
    avatar
    Ulukai
    Special Blast
    Special Blast

    Karma Karma : 3288
    Posts Posts : 3096

    Re: [Análise] Half-Life 2

    Mensagem por Ulukai em Sab 13 Set 2014, 21:09

    Excelente tópico!
    Sério que já fazem 10 anos do lançamento?

    Lembro como se fosse hoje, povo até comentava que quase não existia um computador capaz de rodar full.

    É uma delícia de jogo, com certeza. Sinto nostalgia forte ao lembrar.
    avatar
    Bferrari350
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 856
    Posts Posts : 5283

    Re: [Análise] Half-Life 2

    Mensagem por Bferrari350 em Sab 13 Set 2014, 23:46

    10 anos depois do lançamento do jogo e mesmo assim os gráficos não podem ser considerados ruins.

    Apenas imagino como será a próxima Source.


    Última edição por Bferrari350 em Dom 14 Set 2014, 12:23, editado 1 vez(es)
    avatar
    Felipe Fabricio
    Great Revival
    Great Revival

    Karma Karma : 2182
    Posts Posts : 7565

    Re: [Análise] Half-Life 2

    Mensagem por Felipe Fabricio em Dom 14 Set 2014, 00:07

    Um dos meus games favoritos, plz ;-; Não dava nada pra série HL até me apaixonar pelo 1 e fazer do 2 um dos meus jogos favoritos Razz

    E legal que você começa e não para mais. Eu continuei uma partida numa área lá onde você tinha que sobreviver tempo suficiente para Alyx abrir um troço, você pegar uma bola de energia e explodir uma porta, antes mesmo de invadirmos a Citadel. Quando parei de jogar, já tinha zerado o game, nem vi o tempo passar EHAUHEAHUAEHUAE

    (só perde pra Civ em "não ver o tempo passar", Civ você começa na hora do almoço e quando vê já é meia-noite eahueahuuhae)

    Enfim, uma ótima análise para um ótimo game. Quem nunca jogou, jogue Razz Comecem pelo 1, também é muito bom, acho até mais difícil Razz
    avatar
    Sonic Salies
    Agent of Shadow
    Agent of Shadow

    Karma Karma : 910
    Posts Posts : 2264

    Re: [Análise] Half-Life 2

    Mensagem por Sonic Salies em Dom 14 Set 2014, 08:19

    Ulukai escreveu:Excelente tópico!
    Sério que já fazem 10 anos do lançamento?

    Lembro como se fosse hoje, povo até comentava que quase não existia um computador capaz de rodar full.

    É uma delícia de jogo, com certeza. Sinto nostalgia forte ao lembrar.
     haha eu lembro que também aconteceu a mesma coisa com o Crysis. Até hoje tem muitos PCs que não rodam Full.
    Bferrari350 escreveu:10 anos depois do lançamento do jogo e mesmo assim os gráficos não podem ser considerados ruim.

    Apenas imagino como será a próxima Source.
    Nem precisa imaginar amigo, nem precisa:
    avatar
    shaocam
    Membro Nv.32
    Membro Nv.32

    Karma Karma : 138
    Posts Posts : 343

    Re: [Análise] Half-Life 2

    Mensagem por shaocam em Seg 15 Set 2014, 13:14

    Até um ano atras eu nunca havia jogado jogo algum da serie.

    Resolvi começar pelo primeiro, primeiro mesmo sem ser o source.
    Achei q ia ser um jogo bem sem graça e com gráficos terríveis, me surpreendi.
    O que mais me surpreendeu foi o gameplay mesmo, a maneira que você vai descobrindo os acontecimentos, não é atoa que virou referencia.


    Depois fui jogar o 2, que p*** jogo. É até difícil de descrever, jogo muito bom te ganha em todos quesitos possíveis.


    Hoje tenho como Half-Life 2 o melhor jogo que eu já joguei na vida.
    E olha que foi 10 anos após seu lançamento.

    Conteúdo patrocinado

    Re: [Análise] Half-Life 2

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter 24 Out 2017, 02:07