Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    [Análise] Transistor.

    Compartilhe
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    [Análise] Transistor.

    Mensagem por vits em Ter 20 Maio 2014, 21:00

    Para melhorar sua experiência de leitura é recomendado que aperte o botão Play abaixo e aproveite essa linda composição:




    Atualmente jogos Indies já deixaram de ser aquela coisa underground e assumiram um lugar de respeito junto aos consumidores. Essa transição ocorreu justamente por conta de alguns pequenos, porém excelentes estúdios, dentre os quais podemos destacar a Super Giant Games que deliciou os jogadores com Bastion.

    Hoje essa mesma empresa lançou o que parece ser mais uma obra prima, disponível para computadores e para o PS4 por U$19,90, Transistor veio para encantar jogadores de todos os tipos.


    Mecânica de jogo:




    Transistor emprega elementos já cultuados de jogos de ação isométricos, temos um personagem com grande variedade de técnicas, que usa de vários os artifícios para despachar seus inimigos. Usando um sistema parecido com o V.A.T.S presente na série Fallout, o jogador tem a possibilidade de orquestrar seus ataques e planejar uma estratégia eficiente ao mesmo tempo que abre pouco espaço para o amassar de botões.

    O leque de ataques da protagonista é vasto, sendo que uma delas pode funcionar como efeito secundário para uma mais poderosa, combos e táticas pouco nobres tão estão presentes, premiando os jogadores que as usarem bem. Para aqueles que gostam de um desafio maior, o novo jogo da Super Giant Games traz consigo um excelente sistema de nivelamento, permitindo ao jogador aumentar o desafio em troca de um pouco mais de experiência nos combates e também conta com uma série de desafios, que testam desde a velocidade do jogador, até a capacidade deste de realizar combos.
    10/10

    Gráficos e Visuais:


    Cores vivas se misturam a tons mais escuros criando um efeito visual incrível, um verdadeiro carnaval eletrônico em um deserto urbano futurístico. Nesse aspecto a direção de arte foi simplesmente perfeita e criando um estilo único para o estúdio, que além de esteticamente bonito também cumpre muito bem o seu papel ao permite grande imersão por parte do jogador.

    Infelizmente toda essa beleza acabou vindo com alguns pequenos problemas, apesar de não serem muito frequentes o jogador pode se deparar com cenários parcialmente carregados e até mesmo travamentos. Pequenos bugs que impedem esse quesito de atingir a perfeição, mas que podem ser sanados por meio de atualizações.
    8/10


    Efeitos sonoros e Músicas:



    Os efeitos sonoros são condizentes e presentes ao longo de toda jogatina, cada uma das habilidades possui um som característicos, assim como os inimigos e os cenários. O ponto de destaque fica por conta do personagem de suporte, que diferente de Bastion, não narra as aventuras do protagonista, mas a guia ao longo desta.

    Já as músicas são um show a parte, o cuidado com que elas foram implementadas é sentido logo no inicio da aventura, as músicas variam de melodias suaves para tons frenéticos conforme a situação que o jogador se encontra.  Entretanto é nas cenas de corte que temos as joias da trilha sonora, com obras fantásticas como a que se encontra no início desse tópico.
    10/10

    Controles e Level Design:


    Os controles de Transistor são extremamente simples, usamos o analógico para mover o personagem, enquanto que os botões frontais servem para interagir com objetos e conceber ataques. Já a parte estratégica do game fica a cargo dos gatilhos, que além de selecionar/desselecionar uma ação, também podem ser usados em momentos específicos da jogatina.

    Já o level design se mostrou extremamente simplório, temos cenários lindos, mas que prezam por uma enorme linearidade, permitindo pouca ou nenhuma exploração. Essa linearidade é ainda ampliada pela falta de variação, de forma geral tudo o que fazemos ao entrar em uma área é matar todos os inimigos e depois seguir para a próxima.
    7/10


    História e progressão:


    Outro aspecto que merece destaque, já que foi uma atitude extremamente corajosa da desenvolvedora de simplesmente não explicar nada no começo. A história nos é dada de forma fragmentada conforme progredimos, vários aspectos importantes, no entanto, só serão absorvidos pelos jogadores que lerem o perfil de cada habilidade (nada de narração).

    Normalmente esse tipo de estratégia se mostra ineficiente para prender o jogador. Felizmente esse não é o caso, em Transistor temos uma história muito bem amarrada e cada pedacinho dela nos motiva a conhecer ainda mais desse incrível universo.
    8/10


    Gameplay e Estética (resumo):


    Em meio a um mar de títulos Indies, a desenvolvedora Super Giant Games acabou criando uma obra singular, que redefine os padrões normalmente atrelados ao gênero.

    A dinâmica do jogo é uma experiência única, permitindo que cada jogador criar variações para a própria jogatina ao mesmo tempo que premia aqueles que buscam combos e táticas mais ardilosas. O principal aspecto negativo da obra se encontra em seu level design, que apesar de artisticamente impecável, se mostra simplório em sua construção, prejudicando em muito o fator replay.

    Já a estética se mostrou uma verdadeira obra prima, são visuais lindos que dançam harmoniosamente ao som de incríveis melodias. O resultado final é capaz de fazer os olhos de qualquer pessoa brilharem e até mesmo os pequenos bugs acabam se tornando irrelevantes.

    Nota Final: 8.5


    Comentário do autor:
    Transistor acabou se mostrando extremamente competente em tudo que se propôs a fazer, valendo cada centavo do investimento. Recomendado para todos os tipos de jogador, mas principalmente para aqueles que buscam uma experiência singular.


    Última edição por vits em Qua 21 Maio 2014, 08:31, editado 1 vez(es)
    avatar
    pikachuboy'
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 649
    Posts Posts : 2349

    Re: [Análise] Transistor.

    Mensagem por pikachuboy' em Ter 20 Maio 2014, 21:39

    Estou muito interessado em comprar, pretendo adiquiri-lo até semana que vem.

    Muito boa analise por sinal, comprei a trilha sonora do jogo que é muito boa (10dolares).

    Uma pergunta: quanto tempo tem o jogo?


    @edit recomendo a musica "The Spine" também.
    avatar
    Aspen
    Membro Nv.14
    Membro Nv.14

    Karma Karma : 64
    Posts Posts : 165

    Re: [Análise] Transistor.

    Mensagem por Aspen em Ter 20 Maio 2014, 21:59

    O jogo realmente parece bem bom, vou esperar um promoção na Steam para comprá-lo.


    @edit 

    Estava vendo a página de Transitor na Steam e me deparo com isso

    avatar
    Convidado
    Convidado

    Re: [Análise] Transistor.

    Mensagem por Convidado em Ter 20 Maio 2014, 23:28

    Para aqueles que gostam de um desafio maior, o novo jogo da Super Giant Games traz consigo um excelente sistema de nivelamento, permitindo ao jogador aumentar o desafio em troca de um pouco mais de experiência nos combates e também conta com uma série de desafios, que testam desde a velocidade do jogador, até a capacidade deste de realizar combos.

    Ótimo. Isso funcionava muito bem em Bastion. Legal que eles levaram para outros jogos da franquia.

    O ponto de destaque fica por conta do personagem de suporte, que diferente de Bastion, não narra as aventuras do protagonista, mas a guia ao longo da aventura.

    Sinceramente, apesar de muitos elogiarem, as vezes achava aquela voz pertubando em todos os momentos muito chata, mas ela criava um bom ambiente para o história.

    Já as músicas são um show a parte, o cuidado com que elas foram implementadas é sentido logo no inicio da aventura, as músicas variam de melodias suaves para tons frenéticos conforme a situação que o jogador se encontra. Entretanto é nas cenas de corte que temos as joias da trilha sonora, com obras fantásticas como a que se encontra no início desse tópico.

    Característica da Super Giant Games, não me impressiona em nada.

    Já o level design se mostrou extremamente simplório, temos cenários lindos, mas que prezam por uma enorme linearidade, permitindo pouca ou nenhuma exploração. Essa linearidade é ainda ampliada pela falta de variação, de forma geral tudo o que fazemos ao entrar em uma área é matar todos os inimigos e depois seguir para a próxima.

    Realmente é uma pena. Acho que se permitessem a exploração o fator de replay do jogo aumentaria consideravelmente.

    Outro aspecto que merece destaque, já que foi uma atitude extremamente corajosa da desenvolvedora de simplesmente não explicar nada no começo. A história nos é dada de forma fragmentada conforme progredimos, vários aspectos importantes, no entanto, só serão absorvidos pelos jogadores que lerem o perfil de cada habilidade (nada de narração).

    Sinceramente, amo esse tipo de narrativa. Creio que se for bem feita, chama ainda mais a atenção do que aquela que é contada de uma vez só no inicio, pois abre maior possibilidades para reviravoltas.

    -x-

    Eu não estava interessado nesse jogo, apesar de já ter visto nos destaques do Steam. Até que um dia (semana passada), quando estava fazendo um trabalho na universidade e abri a Steam na frente de um amigo meu. Fomos ver as promoções, e na aba de anúncios de novos jogos estava escrito: Transistor.

    Meu amigo apontou para o jogo é disse: "Olha, esse jogo é bom.". Perguntei a ele o por quê, e respondeu: "Não, olha o nome. Transistor. É um jogo de engenheiro".

    Muitos não sabem, mas faço curso de engenharia elétrica, assim como meu amigo, e Transistor é um dos principais componentes eletrônicos existentes, se não for o principal.

    Com essa piada, ainda rindo, abri a página do jogo na Steam, quando me deparei com a frase:

    "Dos mesmos criadores de Bastion"

    Por incrivél que pareça, estava jogando Bastion na época Laughing E simplesmente por isso, por uma brincadeira de um amigo meu, resolvi deixar reservado o jogo para a compra. Não o boletei no dia por estava sem dinheiro e ainda com receio de que o jogo fosse bom.

    Vendo sua análise, como uma pessoa que assim como eu, gostou de Bastion, fico aliviado e comprarei o jogo o mais rápido possível.
    avatar
    vits
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2542
    Posts Posts : 4922

    Re: [Análise] Transistor.

    Mensagem por vits em Qua 21 Maio 2014, 12:40

    @pikachuboy

    A média é 6 horas para a história principal, somada a 2 ou 3 para completar os desafios, o que dá algo próximo a 9 horas (mesma duração de Bastion). Mas logo que eu terminar todas as conquistas, eu atualizo o tópico com o tempo para fechar com 100%.

    @Aspen

    Olha alguém me encontrou na Steam.  Laughing 

    @Hayt

    Que piadinha ruim, ein? Esse povo de elétrica é realmente muito sem graça. x:
    avatar
    shaocam
    Membro Nv.32
    Membro Nv.32

    Karma Karma : 138
    Posts Posts : 343

    Re: [Análise] Transistor.

    Mensagem por shaocam em Qua 21 Maio 2014, 14:44

    @Hayt escreveu:
    ...
    ...
    Eu não estava interessado nesse jogo, apesar de já ter visto nos destaques do Steam. Até que um dia (semana passada), quando estava fazendo um trabalho na universidade e abri a Steam na frente de um amigo meu. Fomos ver as promoções, e na aba de anúncios de novos jogos estava escrito: Transistor.

    Meu amigo apontou para o jogo é disse: "Olha, esse jogo é bom.". Perguntei a ele o por quê, e respondeu: "Não, olha o nome. Transistor. É um jogo de engenheiro".

    Muitos não sabem, mas faço curso de engenharia elétrica, assim como meu amigo, e Transistor é um dos principais componentes eletrônicos existentes, se não for o principal.

    ...

    Eu também me deparei com a mesma coisa, impossivel ouvir transistor e não lembrar do componente eletronico.

    Faço Eng da computação e nesse exato momento estou estudando sobre esse bendito.

    Conteúdo patrocinado

    Re: [Análise] Transistor.

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter 22 Ago 2017, 21:50