Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Compartilhe
    avatar
    Fujoxas
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 1970
    Posts Posts : 4561

    [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por Fujoxas em Qua 05 Mar 2014, 18:56


    Você que gosta de RPGs clássicos, como Final Fantasy III e V, e esteve até hoje esperando o jogo que seria audaz o suficiente para trazer de volta essa fórmula... Você que gosta de horas e mais horas de grinding e de ver seus personagens progredindo graças ao seu esmero. Você que quer voltar a andar no bom e velho World Map. É, você mesmo. A sua espera finalmente terminou. Bravely Default está aí em uma tentativa de mostrar que o JRPG clássico ainda respira.

    Mas o jogo é realmente isso tudo que dizem? Ele realmente vale a pena? Ele irá atrair pessoas para o gênero a que pertence? Na internet, dá para ver que a opinião sobre o jogo é bem dividida, mas eu espero que esta review ajude-o a decidir se compra ou não o jogo.

    OBS: Eu irei analisar o jogo por história, jogabilidade, gráficos e áudio. Em cada um desses pontos, irei colocar a minha opinião dentro de spoiler, após a nota. Dessa forma, não irá parecer que a minha opinião pessoal influenciou na nota.
    -----------------------------------------------------------------------
    História -
    O jogo começa com uma CG de uma fadinha que começa a conversar com o jogador e pedindo que ele prometa que irá "ficar até o final". Depois o jogo vai pedir para você usar o AR Card que está no verso do guia que vem no jogo, com uma mensagem de uma das personagens do jogo (Agnès Oblige). Logo após isso, outra CG, mas essa apresenta os personagens que você controlará pelo resto da aventura e os seus destinos: Tiz Arrior, que vê sua vila sumir do nada e seu irmão mais novo morrer bem na sua frente, Agnès Oblige, Sacerdotisa do Cristal do Vento, que vê este ser corrompido pelas Trevas e escapa por pouco da morte, Ringabel, que possui um misterioso livro que conta o futuro e Edea Lee, filha do Líder da Assembléia de Eternia, que busca acabar com o "Cristalismo", religião do mundo do jogo, Luxendarc.

    Depois disso tudo, Tiz acorda em uma pousada na cidade vizinha a Norende (sua vila natal) e o jogador toma controle dele. Após alguns eventos nessa cidade, você tem que passar pela primeira Dungeon do jogo a fim de chegar aonde Norende antes se encontrava. Chegando lá, Tiz encontra Agnès, acompanhada de uma Cryst-Fairy chamada Airy. Logo em seguida, os dois são bombardeados por um "barco voador" controlado por um Monk e uma White Mage. Depois de vários eventos, Ringabel, que está com amnésia, junta-se ao grupo e eles vão para a segunda dungeon, que é onde Edea entra pra equipe. E assim, os quatro viajam por Luxendarc para acordar os quatro cristais e livrá-los das Trevas que os fizeram adormecer, afetando negativamente a natureza do mundo.
    Já nas primeiras horas do jogo, dá para perceber como o jogo realmente segue a fórmula clichê das histórias dos RPGs mais antigos: Personagem 1 junta-se ao personagem 2, os dois enfrentam um chefe, personagens 3 e 4 juntam-se ao grupo, enfrentam um chefe e viajam pelo mundo enquanto resolvem problemas internos de cidades até chegarem no chefe final. Não que isso seja ruim, já que o jogo veio com a premissa de mostrar que o RPG clássico ainda consegue respirar nos dias de hoje, mas é com muito mais horas de jogo que você vai perceber que o Universo de Bravely Default é muito mais do que aparentava...

    Como o jogo possui diversos diálogos, é de se esperar que a história avance em um ritmo mais lento. Além do mais, ela possui seus altos e baixos, mas quando algum plot twist aparecer, você vai com certeza querer continuar jogando até tudo se resolver. Em alguns momentos do jogo, você vai notar que aparece um "Party Chat" no canto inferior esquerdo na tela de cima do 3DS. Ao apertar Y, você poderá ver os personagens conversando sobre diversos assuntos. alguns sérios, alguns para desenvolver os personagens e outros de alívio cômico.

    Por falar em desenvolvimento dos personagens, eles não se afastam muito do que dá para se ver em RPGs mais atuais. Tiz é o típico protagonista que se sente responsável em proteger tudo e todos, Agnès é a típica garota relativamente reservada e que vai aprendendo mais sobre o mundo ao seu redor com o passar da história, Ringabel é o alívio cômico (pasmem, ele é um personagem importante para a história) e mulherengo e Edea é o personagem justiceiro. Embora eles sejam personagens bem simples, dá para escolher o(s) seu(s) favorito(s).

    Mesmo cheia de estereótipos, clichês e história com progressão relativamente lenta (e que fica MUITO repetitiva em um certo ponto, exigindo que o jogador seja super paciente), Bravely Default consegue introduzir com maestria este Universo que será expandido em breve (Bravely Second). E a história não deixa de ser interessante também, mas ela ganha mais pontos por seguir os passos de RPGs mais antigos.
    Spoiler:
    Eu serei bem sincero...

    Peguei Bravely Default já esperando uma história do nível de FF III, mas a medida que fui jogando e conhecendo mais o jogo, percebi que eu estava completamente enganado. O jogo tem uma história mais complexa do que aparenta e isso, para mim, foi maravilhoso. Eu gosto de RPGs com um Universo bem amplo, bem aberto para continuações, então BD me cativou bastante. Foi algo que me surpreendeu bastante e que me fez gostar mais ainda do jogo.

    Jogabilidade -
    Convenhamos, é o ponto forte do jogo. E aqui, Bravely Default mostra mais uma vez que é um RPG clássico.

    Ele utiliza o famoso sistema de Jobs, que é uma herança dos Final Fantasies antigos. São, no total, 24 Jobs que você vai juntando aos poucos durante a história. A maioria você consegue na história principal, enquanto que outras você só consegue fazendo Side Quests. Cada Job possui suas habilidades que são extremamente úteis nas batalhas, o que faz com que o jogo tenha um pouco de estratégia.

    E não é só isso. O jogador também pode colocar uma "Job secundária", ou seja, dá para praticamente "fundir" duas Jobs. Você pode, por exemplo, usar um Black Mage, mas pode fazer com que ele use White Magic também. Isso aumenta mais ainda o lado estratégico de Bravely Default. Além disso, há também as habilidades passivas que você vai ganhando à medida que vai aumentando os níveis de suas Jobs. Elas vão desde um aumento de 10% no seu Ataque Físico, a causar dano no oponente quando um de seus personagens for derrotado.

    Acha que isso é tudo? Pois está enganado. Além de usar o sistema de Jobs, Bravely Default utiliza um sistema chamado "Brave & Default", que é o que obviamente dá nome ao jogo. Basicamente, Brave serve para você adicionar mais três turnos ao atual, ou seja, você terá quatro ações em uma só rodada e cada personagem pode fazer isso. Mas tenha cuidado, porque se você fizer isso, ficará com rodadas "negativas" e ficará sem ação por três rodadas seguidas, virando saco de pancadas do oponente, caso não use com moderação. Já Default, é o famoso "guard" de outros RPGs, mas ele também acumula rodadas. Nos HUDs de seus personagens, há um número ao lado de BP (Brave Points), que indica a quantidade de rodadas a serem utilizadas/rodadas acumuladas.

    Os personagens também podem executar um golpe especial no oponente com efeitos variados. O especial irá depender da arma que o seu personagem está usando e você pode customizar o elemento que o golpe terá, a espécie (Morto-Vivo, inseto, dragão...) que terá fraqueza a esse especial, buffs, debuffs, etc.
    Se acha que está apanhando demais de um chefe, você ainda tem uma carta na manga, chamada Bravely Second. Essa mecânica para o tempo no meio da luta e você pode fazer o que quiser enquanto o tempo estiver parado. Essa é a única forma de conseguir causar mais de 9999 de dano ao oponente. Infelizmente, nem tudo é um campo florido. Bravely Second gasta SP (Sleep Points), que só podem ser recuperados se você deixar seu 3DS no Sleep Mode por 8 horas. Ou, se preferir, você pode comprar com dinheiro real um SP Drink que te dá um SP instantaneamente. Vale ressaltar que você pode terminar o jogo tranquilamente sem precisar utilizar Bravely Second e/ou comprar SP Drink.
    Saindo um pouco das batalhas e indo para o overworld em si, o jogador perceberá que há mais para se fazer comparado com outros RPGs clássicos. Lembra-se de Norende, a vila natal de Tiz que foi completamente destruída? Pois é, você pode reconstruí-la em um mini-game na touch screen. São várias lojas que você pode construir, seja de armas, armaduras, acessórios... Reconstruir Norende vai lhe ser muito útil durante a aventura, já que você pode comprar os itens que vem de lá. Basta falar com os aventureiros vestidos de vermelho (os mesmos que salvam seu jogo). Porém, para você construir as lojas de Norende, você precisa de aldeões, já que leva tempo para as lojas serem construídas (tempo da vida real). Se você jogou a demo, você conseguirá logo de cara 20 aldeões. Para conseguir mais, você precisa fazer StreetPass, ou pegar na internet. Basta ir em Update Data nos aventureiros que salvam seu jogo e aí você conseguirá alguns aldeões, mas apenas uma vez por dia.

    Ao ir em Update Data, há chances de você conseguir pegar para sua vila criaturas chamadas Nemesis. Eles são chefes opcionais que ficam na sua vila. Mas calma, eles não irão destruí-la nem nada. Eles estão lá apenas para você enfrentá-los. Podem vir Nemesis de level 25, de level 50, 80, 99, etc, etc. Enfim, são apenas mais uma alternativa para desafiar o jogador, mas tome cuidado. Uma vez derrotados, os Nemesis irão embora para sempre e você precisará de sorte pra conseguir outro idêntico no "Update Data". O jogador pode mandar Nemesis pelo Update Data.
    Está tendo dificuldades mesmo com Brave & Default, com as diversas Jobs, com Bravely Second e com os itens vindos de Norende? Pois não tema, caro jogador. Indo em Settings, você pode ajustar a frequência com que as batalhas aleatórias acontecem e a dificuldade do jogo (a escolha é entre Easy, Normal e Hard). Se quiser treinar mais as suas Jobs e seus personagens, basta colocar a frequência das lutas no máximo e você não irá se irritar tão facilmente com a "mesmice do grinding". O jogador também pode aumentar a velocidade das lutas e até pausá-las. Para pausar as lutas, basta apertar pra esquerda do D-Pad. Para deixar as lutas 2x mais rápidas, é só apertar pra direita e para deixá-las 4x mais rápidas é só apertar para a direita novamente. Enfim, já dá para perceber que Bravely Default é bem user friendly e isso pode ser o suficiente para atrair os que não gostam muito de gastar horas e mais horas melhorando seus personagens.
    Spoiler:
    Eu gosto de grinding, mas admito que fiquei feliz e surpreso quando vi que o jogador vai ter a liberdade de ajustar a frequência das random battles e a dificuldade do jogo. Isso é uma mão na roda na hora de upar. Para se ter ideia, eu levei só um dia para deixar todo mundo no level 99 e todas as Jobs no level máximo (usando um item que aumenta a quantidade de EXP e JP recebidos, claro). Isso fez com que eu conseguisse aproveitar bem mais o jogo.

    Gráficos -
    Muitas pessoas, ao verem o estilo gráfico de Bravely Default, torcem o nariz e tentam passar o mais longe possível do jogo. Talvez seja porque os personagens estão em formato SD (Super Deformed). Mas não sabem o que estão perdendo. A grande maioria dos cenários são desenhados, algo semelhante a Legend of Mana e isso dá um charme singular ao jogo. Uma coisa interessante é que se o jogador ficar alguns segundos sem mexer no 3DS, a câmera dará um zoom out, mostrando boa parte do cenários. Nos que são desenhados, o zoom é bem maior, mostrando toda a área. É como se os desenvolvedores quisessem que o jogador apreciasse cada detalhe que foi desenhado e pintado com esmero. Existem até itens escondidos pelos mapas. Mais um motivo para apreciar e explorar os belíssimos cenários que o jogo te mostra.
    Embora os cenários sejam ricos em detalhes, os personagens são bem simples, mas isso não significa que eles também não tenham um certo charme. Talvez, por causa da simplicidade deles, muita gente acredita que o jogo seja "feio".
    Spoiler:
    Eu geralmente não ligo para gráficos, mas os que possuem cenários desenhados, como os de Bravely Default, me encantam profundamente. Eu adoro admirar o estilo artístico de quem se empenhou em fazer cenários super detalhados e belos. As vezes eu deixava a câmera dar zoom out de propósito para eu poder ver cada detalhe das cidades. Para mim, vale a pena admirar os cenários.
    Áudio -
    A trilha sonora é composta por Revo, da Sound Horizon (Sim, o mesmo cara das aberturas de Shingeki no Kyojin). Já nos primeiros minutos de jogo, dá para notar que fizeram um trabalho espetacular. A trilha sonora passa a sensação de que o jogador está participando de uma história épica e que está em uma grande aventura. E aparentemente, não impuseram nenhuma limitação nele. Em RPGs mais antigos, nota-se a presença de trompetes, mas em Bravely Default, temos guitarra, bateria, teclado, etc. Mas embora o jogo utilize instrumentos mais modernos, não significa que as BGMs não combinem com a ambientação do jogo ou com as cenas. Elas conseguem passar com tranquilidade as emoções da situação.

    Bravely Default também é praticamente todo dublado e vem em diversas línguas. Se você é fã de animes e/ou não gosta de dublagem americana, pode colocar a dublagem original do jogo. Se você é do tipo que gosta de dar uma chance a equipe de localização, vá em frente sem medo, porque a dublagem americana é relativamente boa, comparada com o que se vê em muitos jogos. Mas, obviamente, nada é perfeito e em alguns momentos a dublagem americana falha em demonstrar as emoções dos personagens com naturalidade.
    Spoiler:
    Devo admitir que eu fiquei em dúvida se eu deixava dublagem americana ou se eu colocava a japonesa, porque eu sei que a qualidade da dublagem americana dificilmente é ótima. Mas tirando alguns momentos em que eu ficava com raiva da voz da Agnès, eu fiquei satisfeito com o trabalho feito pelos dubladores, no geral. Btw, eu ainda acho que a dublagem poderia ser um pouco melhor.
    Conclusão -
    Bravely Default consegue modernizar o gênero, mesmo sendo um RPG tradicional. Mas nota-se que os desenvolvedores foram bastante atenciosos e mantiveram a mesma qualidade dos RPGs antigos. Não é um jogo super revolucionário, mas é o suficiente para fazer com que fãs antigos do gênero sintam-se confortáveis do começo ao fim, ainda mais com a curva de dificuldade do jogo. Entretanto, se você não gosta de encontros aleatórios e de gastar horas treinando seus personagens, o jogo provavelmente não é para você, a não ser que você goste de experiências novas.
    História - 8
    Gameplay - 10
    Gráficos - 8
    Áudio - 9

    Nota final - 9
    ----------------------------------------------------
    E está aí minha análise sincera de Bravely Default. Eu realmente espero que ela seja útil para alguém o/
    avatar
    Lucasmon
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2970
    Posts Posts : 6039

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por Lucasmon em Qua 05 Mar 2014, 20:50

    Boa análise! Deve ser chato escrever tudo isso, e ninguém comentar, né?  Razz 

    Mas pode ter certeza, acho que me ajudou sim. Eu já estava decidido que iria comprar o game, até mais por gostar do gênero (aliás estou perto de zerar pela primeira vez FF V, nunca tive a oportunidade de jogar o título, e provavelmente vou jogar o III agora). Agora só estou esperando ganhar mais grana, porque já investi tudo no meu Wii U que deve chegar em breve... Queria ter pego a edição de colecionador, porque realmente sou apegado a trilha sonora destes tipo de jogo, mas infelizmente o $$$ me impediu de obtê-la. Mas enfim, pelo que você escreveu realmente é um RPG de qualidade, com moldes tradicionais e ainda que inova um pouco, então é compra mais do que certa quando der. Ah, e o que mais gosto destes RPG's é de ficar upando meus personagens também xD
    avatar
    FunnK
    Membro Nv.8
    Membro Nv.8

    Karma Karma : 22
    Posts Posts : 102

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por FunnK em Qua 05 Mar 2014, 21:18

    Muito boa a análise cara, está de parabéns e ótimo jogo!

    Abraço.
    avatar
    Shiny
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 1270
    Posts Posts : 2269

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por Shiny em Qua 05 Mar 2014, 21:23

    Essa analise foi muito bem escrita, e realmente me deixou interessado pelo jogo.
    avatar
    Mr. Mudkip
    Membro Nv.20
    Membro Nv.20

    Karma Karma : 65
    Posts Posts : 227

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por Mr. Mudkip em Qui 06 Mar 2014, 07:50

    Estou doido pra pegar esse jogo, devo ganhá-lo esse mês pelo meu aniversário. Ótima review, falou sobre o jogo sem dar spoilers e ainda colocou sua visão do jogo, parabéns.
    avatar
    Mastxadows
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 1471
    Posts Posts : 3903

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por Mastxadows em Qui 06 Mar 2014, 08:43

    Adorei a review,ficou perfeita,descreve exatamente o que é o jogo.
    avatar
    Vampiria
    Membro Nv.3
    Membro Nv.3

    Karma Karma : 1
    Posts Posts : 57

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por Vampiria em Qui 06 Mar 2014, 22:22

    Otima analise! Quem nao comprou pode comprar sem medo , o jogo e perfeito e rende varias horas!
    avatar
    Kenny²
    × Heartless Girl ×
    × Heartless Girl ×

    Karma Karma : 1803
    Posts Posts : 3515

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por Kenny² em Ter 11 Mar 2014, 21:27

    Parece ser bem nice, joguei a demo por completo (entenda completo como level máximo, todas job's masters e todos bônus possíveis para se iniciar o jogo completo). Vou ser sincero, o jogo é tão viciante a ponto de você zerar a DEMO e querer jogar mais dela. Sem dúvidas vou comprar, provavelmente nessa semana/que vem.

    Só uma dúvida mesmo : Quando você disse que conseguiu pegar level 99 com todos personagens no primeiro dia/Todas jobs masters, isso significa que o jogo é relativamente "Fácil" ? Ou ele realmente rende bastante gameplay, e na verdade, você que "avançou" demais ?
    avatar
    Visionnaire
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 1278
    Posts Posts : 1842

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por Visionnaire em Qui 13 Mar 2014, 01:16

    Show! Eu estava procurando algo assim e só encontrei esse artigo hoje!

    Parabéns! Ficou muito bem escrito e muito sensato!
    avatar
    supertupi
    Membro Nv.25
    Membro Nv.25

    Karma Karma : 191
    Posts Posts : 279

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por supertupi em Ter 29 Abr 2014, 01:33

    Muito bem escrito o review. Estou jogando na manha e já estou com mais de 60 horas no jogo. Estou tentando fazer todas as sidequests e achei o jogo espetacular.

    Vou postar minha opinião em modo spoiler.

    Bravely Default - Minha opinião:

    Gráficos: 9
    Graficamente o jogo é muito bonito em se tratando de ser um game pro 3DS. Gostei do estilo SD e acho que foi extremamente adequado pro jogo.
    Sons:10
    Muito boa a trilha sonora. Ótimo trabalho de tradução pro inglês. Gostei das músicas.
    Gameplay: 10
    Viciante. O sistema de jobs ( e um sendo secundário) gera uma diversidade de personagens criados muito legal. Achei mais divertido que muito jrpg que joguei nos últimos tempos. Gostei da idéia do mapinha de reconstrução de Norende, pois gera uma variação da jogabilidade principal te levando a manter o videogame em sleep mode entre as jogadas.
    História: 8
    A história principal é boa, mas nada de excepcional. Existem muitas sidequests que aumentam a vida do jogo e te dão jobs novas em sua maioria. Acho que a história é bem montada até o capítulo 4 e o 9 (final). Do 5 ao 8 eles tentam elevar o tempo de jogo de uma forma artificial, gerando um pouco de backtraking que, apesar de estar relacionado e bem explicado com a história, acaba cansando um pouco. Sem isso o tempo de jogo cairia pela metade, mas com essa artimanha eles conseguiram dobrar o número de horas de jogo sem aumentar o custo de desenvolvimento do jogo. Não curto este tipo de artimanha pra elevar tempo de jogo, mas pelo menos serviu pra upar os outros jobs e entender melhor a história.
    Últimos comentários:
    Curti as quests, mas algumas se excederam na minha memória: como a do Red Mage em Florem, e a do Vampire Castle, e do assassinato no jantar da Ninja.
    Curti fazer combos de jobs como usar Monk/Dark Knight (excesso de hp do monk/ com o dano alto que o Dark Knight causa quanto mais vida perde) ou Arcanist/Black Mage (que um amplifica a força do outro e gera alguns combos) entre diversas outras possibilidades. Muito legal.

    Avaliação Final: 9.4


    Quando sai o 2?
    avatar
    xiredi1
    Membro Nv.11
    Membro Nv.11

    Karma Karma : 2
    Posts Posts : 138

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por xiredi1 em Seg 19 Maio 2014, 23:05

    p/ noobao, o jogo é dificil ou nao com os ajustes?

    Conteúdo patrocinado

    Re: [Review] Bravely Default: Where the Fairy Flies

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab 21 Out 2017, 15:49