Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Compartilhe
    avatar
    Hadan
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 861
    Posts Posts : 2757

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por Hadan em Ter 03 Dez 2013, 19:06

    N4N G4M3R escreveu:
    Assoprar o controle e empurrar inimigos como "diferencial"? Bitch, please! Foda, mesmo, é assoviar no mic do DS pra chamar um taxi no Chinatown Wars ou assoviar em C.O.P para chamar a atenção de um inimigo e pegá-lo de surpresa. Pode me apedrejar por puxar o saco de Tearway mas ele tá bem mais avançado no quesito "possibilidades divertidas com um console."
    Hadan, seus comentários me dão vontade de vomitar, sinceramente. 

    Se pra vc não é inovação o assoprar em um controle e jogar inimigos pra longe, ok, eu respeito vc não gostar, mas comparar Tearaway com 3D World.. Só poderia vir mesmo de vc... E ainda dizer que Mario é o Call of Duty da Nintendo... Só poderia vir de vc tbm... Vou parar de te dar audiencia, pq p*** e biscate gostam disso, e eu sempre sou idiota e te respondo...
    Dá próxima eu falo umas coisas que você goste de ouvir, daí quem sabe você argumente ao invés de insultar. Já tivemos tretas antes por conta disso. Vai rolar de novo? Muita coisa do que tu falas eu ignoro porque em algumas nunca entramos num acordo. Se não puder participar do fórum e discutir os tópicos então não sei o que mais posso fazer aqui. Faça como eu e se poupe do estresse.  
    --------------------------------------


    Em relação a "pagar" para as desenvolvedoras que alguns trouxeram sou terminantemente contra. Sou a favor, sim, dela assumir parte dos riscos do desenvolvimento já que, se o software vende hardware, o mínimo que este precisa é ter uma base minimamente instalada.


    Ninguém tá falando que os jogos da Nintendo são ruins. Ninguém quer que ela quebre as pernas, ninguém quer que ela falhe. As pisadas na bola é que são a questão aqui.


    AlexOk escreveu:
    Hadan escreveu:
    Mãe dos consoles atuais é uma, apenas, e se chama "Atari". A Atari criou um nicho de mercado que não existia. O sistema de um computador dedicado em que se pudesse trocar aplicativos somente adquirindo seus "cartões", sem necessidade de adquirir um novo console era genial - tanto que o conceito é utilizado até hoje, obviamente, em outras mídias.

    O Odyssey foi o primeiro console comercial da história mas, nem de longe, tinha a criatividade da Atari, já que seus jogos não eram apenas variações de "Pong". Inclusive, o primeiro console apto a conectar-se à Internet foi o próprio Atari 2600 - e isso lá pra 1980, uns bons anos antes da Nintendo tentar o mesmo sistema.

    O que a Nintendo fez - com relativa malícia e uma boa dose de criatividade - foi profissionalizar o setor mas o mérito de criá-lo como o conhecemos é todo da Atari.
    Sendo assim, Atari seria avó, mãe da Nintendo.
    De acordo!


    Última edição por Hadan em Ter 03 Dez 2013, 19:23, editado 2 vez(es) (Razão : Erros de concordância)
    avatar
    Shiny
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 1270
    Posts Posts : 2269

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por Shiny em Ter 03 Dez 2013, 19:32

    NPower~~ escreveu:
    Um p*** hardware vai dar um p*** prejuízo e não é o que vai atrair as thirds. No final das contas, vai ser só mais um p*** problema.

    Eu sou o único ser humano que não acha esse o grande problema?

    E se a Nintendo começar a fazer tudo com "controle normal", vai perder seu diferencial e aí mesmo que não terá nenhuma salvação. Esse também não é o problema.
    Lembra do SNES? Aquele console com um p*** hardware para a época? Até cego comprava.
    Mas aí a Nintendo deve a brilhante ideia de afastar as thirdies no N64 (que tinha um hardware melhor que o do PS1) com a fantástica ideia de usar cartuchos. Sabia de Mario 64 poderia ser infinitamente maior se não fossem os cartuchos?
    Se a Nintendo não consegue agradar do jeito dela, vai ter que agradar pelo jeito dos outros.
    Cara, você tem que ter entender que a Nintendo da época do Yamauchi não é a mesma da do Iwata, são gestões completamente diferentes, eu acho que a Nintendo só muda com uma mudança de CEO.
    avatar
    El Buga
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 3662
    Posts Posts : 3048

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por El Buga em Ter 03 Dez 2013, 20:17

    Hadan escreveu:Em relação a "pagar" para as desenvolvedoras que alguns trouxeram sou terminantemente contra. Sou a favor, sim, dela assumir parte dos riscos do desenvolvimento já que, se o software vende hardware, o mínimo que este precisa é ter uma base minimamente instalada.
    Se importaria de explicar como pagar para as thirds trazerem os jogos e "assumir parte dos riscos do desenvolvimento" dos mesmos seriam coisas diferentes? Pra mim são a mesma coisa, a diferença é que em um caso a publisher receberia grana antes, e no outro depois, se vendesse pouco - que é o que vem acontecendo com a maioria dos jogos de Wii U.
    avatar
    3R0S3N1N
    Veterano Nv.4
    Veterano Nv.4

    Karma Karma : 47
    Posts Posts : 494

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por 3R0S3N1N em Ter 03 Dez 2013, 20:34

    Sinceramente, algumas pessoas precisam aprender a ser menos fanboyzinho e hater...
    sempre tem algums pra fica de ''mimimi só os jogos da nintendo presta'', ''mimimi jogo de thirdy tudo generico'', ''mimi tudo jogo sem inovação''.Me pergunto quantos que falam isso param pra jogar esses jogos que tanto falam mal, quantos realmente procuram se informa direito antes de começa a fala que é mais do mesmo, sem inovação, e entre outras varias frases de fanboyzinho da nintendo.
     Tanbem tem a mania de ficar postando como se fosse mais gamers ou superiores aos outros por joga jogos da nintendo. não saber respeita os outros e nem seus gostos, só por jogarem fps, gta, fifa e outros (com exceção quando a pessoa idolatra algum jogo da nintendo)
     Desde que entrei no forum vejo isso acontecer, agora ate deu uma moderada, mas isso continua sendo muito irritante. algums usuarios deveriam repensar no que postam aqui no forum.
     E se a nintendo tem um problema com certeza um deles e esses fãs fanboyzinhos dela....
    avatar
    Goukeban
    Veterano Nv.16
    Veterano Nv.16

    Karma Karma : 242
    Posts Posts : 781

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por Goukeban em Ter 03 Dez 2013, 22:34

    Para divertir um pouco:

    avatar
    babelbia
    Membro Nv.1
    Membro Nv.1

    Karma Karma : 7
    Posts Posts : 30

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por babelbia em Qua 04 Dez 2013, 00:03

    WiiU vai vender muito nesse final de ano, por ser um console voltado pra família, e Natal é época de família. Já começou.

    É só ver que até o Wii renasceu em vendas na última semana. A tendência é ele vender bastante até o final do ano.
    avatar
    Hadan
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 861
    Posts Posts : 2757

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por Hadan em Qua 04 Dez 2013, 09:38

    El Buga escreveu:
    Hadan escreveu:Em relação a "pagar" para as desenvolvedoras que alguns trouxeram sou terminantemente contra. Sou a favor, sim, dela assumir parte dos riscos do desenvolvimento já que, se o software vende hardware, o mínimo que este precisa é ter uma base minimamente instalada.
    Se importaria de explicar como pagar para as thirds trazerem os jogos e "assumir parte dos riscos do desenvolvimento" dos mesmos seriam coisas diferentes? Pra mim são a mesma coisa, a diferença é que em um caso a publisher receberia grana antes, e no outro depois, se vendesse pouco - que é o que vem acontecendo com a maioria dos jogos de Wii U.
    Pagar para as thirdies trazerem jogos é equivalente ao jabá que se paga às rádios, só que de forma contrária: no jabá musical, são as gravadoras que pagam à rádio para rodar em sua programação determinado artista para "lançá-lo" - inclusive é crime em muitos estados norte-americanos.

    No caso da Nintendo, o canal, que é ela, pagaria para que produtoras fizessem exclusivos ou, pior ainda, mantivessem essa exclusividade por dado tempo. Li em alguns lugares que a Sony fez isso com o PS2 mas não dá pra garantir algo. Vejo isso como uma aberração empresarial, já que o foco sempre será o dinheiro a curto prazo, sem garantia de retorno.

    Minha ideia é de que, sendo a base do Wii U consideravelmente aquém do que se espera - e, pra variar, necessita de um trabalho dedicado para utilizar o gamepad e valer a pena a aquisição do software pela Nintendo e, não, pela concorrência -, a Nintendo partilharia de, ao menos parte dos custos de produção, assumir parte dos riscos. Não é simplesmente "dar dinheiro" para garantir um jogo mas, sim, potencializar capital para as peculiaridades do hardware.

    A Nintendo, embora acredite no Wii U, não trouxe até o momento jogos relevantes que o consumidor olhe e diga: "ok, isso realmente não funcionaria sem o gamepad" ou "puxa, a jogabilidade com o gamepad dá outra profundidade ao jogo!". Wonderful 101 não funcionaria com outro console ou joystick, certo? Embora busque inovação, o mesmo se mostrara irrelevante. Quem explorou melhor o gamepad foi a Ubi (especialmente com Zombie U, Splinter Cell e o promissor Watch Dogs - e aquele se enquadra em ambos os fatores "não daria certo em outro console" e "profundidade"). Outra que conseguiu isso foi a Rocksteady (de Arkham City). Mesmo assim, são jogos que não impulsionaram as vendas do console (por óbvias razões, exceto Watch Dogs).

    Não vejo como razoável produtoras trazerem grandes franquias suas para um console cuja base deixa a desejar arriscando um investimento sem mínima garantia de retorno. Nem sempre é apenas um port: há toda uma reestruturação do projeto original para encaixar-se no gamepad e isso é importante. E é caro. O mínimo que a Nintendo pode é arcar com parte dos custos de produção, assumindo parte dos riscos. Um produto com base instalada não precisa desse tipo de coisa: um bom jogo vender-se-á sozinho. Duro é você arriscar uma nota alta, colocando o próprio estúdio em risco, por algo que nem mesmo o fabricante faz acontecer.

    E acho que a Sony deveria fazer o mesmo com o Vita.
    --------------------
    Nota: m
    e antecipo ao discurso que já li no fórum - não vindo de você - de que não precisa produzir pensando no gamepad (o que baratearia os custos). Se não fosse necessário, não haveria razão de lançá-lo como grande diferencial da concorrência.
    avatar
    El Buga
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 3662
    Posts Posts : 3048

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por El Buga em Qua 04 Dez 2013, 10:10

    Mas fundamentalmente continua sendo a mesma coisa, Hadan. Arcar com parte dos custos de desenvolvimento continua sendo o mesmo ato de dar dinheiro para a produtora para que esta traga o jogo para o Wii U e não saia no prejuízo, ou seja, é igual a pagar pra trazer um jogo para o Wii U evitando que a desenvolvedora saia no vermelho caso não venda. O resultado final é o mesmo.

    A Nintendo não tem que gastar um centavo com thirds. Acho, sim, que ela deve negociar com os estúdios e dar todo o apoio possível na hora de desenvolver coisas específicas para o GamePad, que eu acho que o pessoal não entendeu o sentido.

    O máximo que eu acho que pode ser feito é uma política mais agressiva de reduzir a participação da Nintendo nos lucros de jogos third, permitindo que o estúdio third receba mais oor cada unidade comprada - já ouvi falar que a Nintendo exige uma boa porcentagem de cada venda de jogo third.

    Mas além disso, eu não acho correto. =/

    A Nintendo, embora acredite no Wii U, não trouxe até o momento jogos relevantes que o consumidor olhe e diga: "ok, isso realmente não funcionaria sem o gamepad" ou "puxa, a jogabilidade com o gamepad dá outra profundidade ao jogo!". Wonderful 101 não funcionaria com outro console ou joystick, certo? Embora busque inovação, o mesmo se mostrara irrelevante. Quem explorou melhor o gamepad foi a Ubi (especialmente com Zombie U, Splinter Cell e o promissor Watch Dogs - e aquele se enquadra em ambos os fatores "não daria certo em outro console" e "profundidade"). Outra que conseguiu isso foi a Rocksteady (de Arkham City). Mesmo assim, são jogos que não impulsionaram as vendas do console (por óbvias razões, exceto Watch Dogs).
    Mas mesmo que não tenham vindo da Nintendo, esses jogos são capazes de mostrar a nova proposta e podem ser usados como argumento pra quem diz que é irrelevante ou defende que a Nintendo troque o GP pelo Pro Controller num bundle "value". Ou seja, não dá pra dizer que não há potencial ou que o GP é inútil. É uma grande sacada, mas acho que só os jogos de 2014 poderão explorá-lo direito.
    avatar
    Ulukai
    Special Blast
    Special Blast

    Karma Karma : 3288
    Posts Posts : 3096

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por Ulukai em Qua 04 Dez 2013, 10:57

    Nossa, quantos textos O_O

    Alguém argumentou o "são apenas dois dias" do tópico anterior? hahahaah

    Esse jogo, pra mim, deveria ter sido lançado em Outubro, quando o povo ainda estava decidindo para qual pré-venda iam comprar (PS4 ou XOne), daí com um p*** jogaço já lançado (e não apenas prometido), as vendas para mim seriam diferentes.
    E no Japão, fugiria das vendas de um FF feito para base instalada.
    avatar
    Hadan
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 861
    Posts Posts : 2757

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por Hadan em Qua 04 Dez 2013, 14:26

    El Buga escreveu:Mas fundamentalmente continua sendo a mesma coisa, Hadan. Arcar com parte dos custos de desenvolvimento continua sendo o mesmo ato de dar dinheiro para a produtora para que esta traga o jogo para o Wii U e não saia no prejuízo, ou seja, é igual a pagar pra trazer um jogo para o Wii U evitando que a desenvolvedora saia no vermelho caso não venda. O resultado final é o mesmo.

    A Nintendo não tem que gastar um centavo com thirds. Acho, sim, que ela deve negociar com os estúdios e dar todo o apoio possível na hora de desenvolver coisas específicas para o GamePad, que eu acho que o pessoal não entendeu o sentido.

    O máximo que eu acho que pode ser feito é uma política mais agressiva de reduzir a participação da Nintendo nos lucros de jogos third, permitindo que o estúdio third receba mais oor cada unidade comprada - já ouvi falar que a Nintendo exige uma boa porcentagem de cada venda de jogo third.

    Mas além disso, eu não acho correto. =/

    A Nintendo, embora acredite no Wii U, não trouxe até o momento jogos relevantes que o consumidor olhe e diga: "ok, isso realmente não funcionaria sem o gamepad" ou "puxa, a jogabilidade com o gamepad dá outra profundidade ao jogo!". Wonderful 101 não funcionaria com outro console ou joystick, certo? Embora busque inovação, o mesmo se mostrara irrelevante. Quem explorou melhor o gamepad foi a Ubi (especialmente com Zombie U, Splinter Cell e o promissor Watch Dogs - e aquele se enquadra em ambos os fatores "não daria certo em outro console" e "profundidade"). Outra que conseguiu isso foi a Rocksteady (de Arkham City). Mesmo assim, são jogos que não impulsionaram as vendas do console (por óbvias razões, exceto Watch Dogs).
    Mas mesmo que não tenham vindo da Nintendo, esses jogos são capazes de mostrar a nova proposta e podem ser usados como argumento pra quem diz que é irrelevante ou defende que a Nintendo troque o GP pelo Pro Controller num bundle "value". Ou seja, não dá pra dizer que não há potencial ou que o GP é inútil. É uma grande sacada, mas acho que só os jogos de 2014 poderão explorá-lo direito.
    Comercialmente falando, são totalmente diferentes. O que seria feito no "jabá" seria entregue à softhouse sem qualquer tipo de qualidade ou compromisso, somente para ter o jogo no console. A posse de risco é assumir a responsabilidade no desenvolvimento do produto, com a possibilidade de exigir-se compromisso quanto às especificidades do próprio gamepad. Pode crer, cara, tem absolutamente nada a ver "a" com "b". Adiantaria nada a Nintendo reduzir sua margem em relação ao software se o mesmo continua vendendo pouco no hardware. Ainda assim a softhouse teria toda a responsabilidade no sucesso de um produto seu que depende do produto de outra. 
    ------------------------------------
    Ainda sou do tipo que prefere um joystick convencional, com meu traseiro num sofá. O gamepad pra mim, ainda soa como perfumaria já que não ampliou as capacidades de jogatina, não é algo tão fora do convencional (e diferenciado) como foi o wii remote. O público comprou a ideia imediatamente, o que não ocorreu com o gamepad. Volto a afirmar: compraria um Wii U somente pelo Zombie U já que o nível de imersão do mesmo é algo incrível e, pelo conceito do jogo, não daria certo com outro hardware ou joystick convencional. Embora em outros jogos ele seja legal, diferente e prático, ainda assim, é produto em boa parte.. dispensável, não essencial para a diversão.

    Como você bem disse, eles têm o poder em mostrar qual a proposta do console mas não é nada (fora ZU) "WOW!" que o justifique. Talvez ainda. Talvez nunca. Como eu tinha ficado encantado com o Nintendo Land na E3 e as possibilidades do gamepad nele (inclusive muitos nintendistas desceram a lenha no jogo quando anunciado ao passo que poucos como eu queríamos vê-lo mais de perto) que não foram cumpridas pela Nintendo. Você ainda fica limitado a um gamepad e todos os outros com o wii move. ¬¬' Nesse caso, pra Nintendo, antes nunca do que tarde.
    avatar
    djbereta
    Veterano Nv.3
    Veterano Nv.3

    Karma Karma : 191
    Posts Posts : 451

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por djbereta em Qua 04 Dez 2013, 14:40

    Ulukai escreveu:Nossa, quantos textos O_O

    Alguém argumentou o "são apenas dois dias" do tópico anterior? hahahaah

    Esse jogo, pra mim, deveria ter sido lançado em Outubro, quando o povo ainda estava decidindo para qual pré-venda iam comprar (PS4 ou XOne), daí com um p*** jogaço já lançado (e não apenas prometido), as vendas para mim seriam diferentes.
    E no Japão, fugiria das vendas de um FF feito para base instalada.
    Pra acontecer o que aconteceu com PKM X e Y, que foi lançado as pressas com bugs e lags? Não, foi melhor ter lançado em novembro.
    avatar
    El Buga
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 3662
    Posts Posts : 3048

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por El Buga em Qua 04 Dez 2013, 15:20

    Isso continua sendo o ato de investir grana para que o jogo venha para o Wii U. Com ou sem controle de qualidade. E isso é algo que sou radicalmente contra, porque as outras duas não fazem isso - que eu saiba. Independente da situação que esteja o Wii U, me soa antiético usar essa "mala branca" para que os jogos saiam - porque sem ela não estão saindo.

    Ainda sou do tipo que prefere um joystick convencional, com meu traseiro num sofá. O gamepad pra mim, ainda soa como perfumaria já que não ampliou as capacidades de jogatina, não é algo tão fora do convencional (e diferenciado) como foi o wii remote. O público comprou a ideia imediatamente, o que não ocorreu com o gamepad. Volto a afirmar: compraria um Wii U somente pelo Zombie U já que o nível de imersão do mesmo é algo incrível e, pelo conceito do jogo, não daria certo com outro hardware ou joystick convencional. Embora em outros jogos ele seja legal, diferente e prático, ainda assim, é produto em boa parte.. dispensável, não essencial para a diversão.
    Mas como aconteceu com alguns jogos, mesmo que não sejam todos, já não dá pra dizer que é apenas uma perfumaria. Porque já existem jogos que, independente do número, provaram que esse seu argumento está incorreto. O conceito existe e foi comprovado, cabe cobrar que novos jogos levem o GP em consideração. Mas perfumaria, mesmo, ele não é.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Super Mario 3D World cai para 7º e Final Fantasy XIII Light Returns se mantem no topo dos mais vendidos no Japão

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua 18 Out 2017, 16:45