Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Compartilhe
    avatar
    DIEGOELRIC2005
    Veterano Nv.35
    Veterano Nv.35

    Karma Karma : 164
    Posts Posts : 1260

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por DIEGOELRIC2005 em Sab 05 Out 2013, 10:11

    Wind Ice escreveu:
    Ed Kira escreveu:Torço para que aconteça algo que dê um susto em todas as empresas. Estou achando essa nova geração MUITO sem graça; está faltando algo que dê brilho e me faça dizer "uau, olha esse novo Playstation X/Xbox Y/Nintendo Z" "Olha como o Jogo A está incrível" "Nossa, esse jogo B me surpreendeu". Parece uma mudança de geração meio forçada, como se estivéssemos esticando a geração atual de uma maneira mais "moderninha".
    Pra ser sincero, o único console que até agora me deu um ar de: "Cara, preciso desse console" foi o 3DS. Todos os outros, até os que ainda vão lançar estão muito hype, mas ainda não vejo pra que tanto...
    digo o mesmo aqui
    avatar
    Weber
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 526
    Posts Posts : 3817

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por Weber em Sab 05 Out 2013, 10:29

    Concordo com o Wind também. Eu não vejo necessidade em comprar um Wii U, PS4, XONE... Talvez por ser muito caro, talvez por não ter tantos games atraentes, não sei dizer ao certo. 

    Enfim, espero que eu mude essa opinião com o tempo.
    avatar
    LegionTwo
    Veterano Nv.10
    Veterano Nv.10

    Karma Karma : 327
    Posts Posts : 635

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por LegionTwo em Sab 05 Out 2013, 13:37

    Discordo completamente da questão do crash. A questão é simples: o PS360 estão cheios de jogos e possuem uma biblioteca extensa de jogos multis e exclusivos. É provável que a oitava geração demore sim para alavancar, mas crash? Está bem longe disto. A Sony e Microsoft já demonstram um lucro bom com PS360, a Nintendo está de boa com o 3DS. Vai ter o novo console da Steam. Como raios vai ter um crash tão facilmente?
    avatar
    Convidado
    Convidado

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por Convidado em Dom 06 Out 2013, 07:25

    Acredito que exista 60% de chances de haver um "crash" na industria.

    Primeiramente, essa 7º geração começou "adiantada" em termos de potencia, todos tiveram um susto com o aumento do preço dos jogos para 50U$ (e eles ainda estavam sendo vendidos a um preço abaixo do "recomendado") e o preço dos consoles foi considerado alto, fazendo muitos chegarem na 7º geração apenas no final dela (agora que PS3 e Xbox360 estão vendendo bem mesmo).

    Levando em consideração o acima é possível afirmar que nem todos dos mais de 130 estudios fechados nessa geração foram por incopetencia, e seri muito coincidencia que apenas a nintendo (que não apostou nessa evolução de potencial brusca) não teve estudios fechado e comprou alguns, até a Ubisoft teve estudios fechados.

    Agora, nessa nova geração o que ocorreu na 7º esta se repetindo, Sony e Microsoft apostam em uma evolução de potencia que os consoles ainda não precisam, o que vai aumentar o custo de produção, tendo seus jogos vendidos a apenas 60US$ (um preço não aconselhável para o custo atual); logo, é de se esperar que ocorra o mesmo que ocorreu na 7º geração.

    Devemos nos lembrar ainda que antigamente um jogo virar Million Seller era incrível e lucrativo, hoje é uma obrigação e ainda (muitas vezes) não é o suficiente para pagar a produção; ninguém acha que tem algo errado nesses custos de produção.

    Esse aumento de potencia esta sendo ruim para todos.

    Industria - Tem que se focar em produções caras na esperança que dê um retorno mas tendo que ter vendas utra sensacionais pra isso.

    Consumidor - Além de ter que pagar caro pelos jogos, cria uma geração mal acostumada que pensa que se o jogo não for superprodução cinematográfica é casual ou infantil.

    Gamers - As gerações acabam não criando "gamers" (detesto essa palavra), mas cineastras que acham que são "gamers" por terem um console e comprarem os 3 jogos de uma trilogia de "filme interativo".


    Se nessa geração mais estudios fecharem, o "crash" ocorrerá pelo possível fim de boa parte do mercado grande de jogos, e inicio da ascensão indies e de jogos mais simples; talvez seja isso que a indutria precise para voltarmos a época em que jogos são feitos com criatividade e não com sacrificios misticos de grandes quantias de dinheiro.=D

    ---------------------------------------------------------------------------------------------------

    Só uma consideração sobre a Steam, ela não vai salvar a industria e de modo geral desenvolvedores adotam ela por falta de escolha; nenhum desenvolvedor que vender seu jogo de 60US$ (Assassins Creed 4 por exemplo) por cerca de 45US$ e depois de um mês em uma promoção de 15U$, eles fazem isso porque, ou eles fazem e lucram um pouco, ou o mercado do PC volta a ser 90% dominado por pirataria como antes; mas a steam é uma maravilha para a Valve, para as outras empresas é uma unica alternativa. (estilo Dead Trigger, que de tanto que foi pirateado se tornou gratuito no android para pelo menos lucrar um pouco).=D

    -----------------------------------------------------------------------------------------------------


    Peixe e Fritas escreveu:Sorry everybody, mas o futuro é realmente o fim dos consoles simplesmente porque eles deixaram de ser necessários, assim que a próxima geração vier(não de consoles de humanos mesmo) acho que só mesmo os nostálgicos de plantão vão querer ter um console.
    Com o surgimento da TV muitos pensaram que era o fim do rádio, quando a calculadora surgiu muitos pensaram que a humanidade ficaria "burra" e não aprenderia matemática, Com o Microondas seria o fim do fogão, etc...

    Consoles são aparelhos para a sala de estar, PCs são aparelhos para o quarto; a partir daí, já é pouco provável que PCs tomem o lugar dos consoles, e se acrescentarmos o fato de que as empresas perceberam isso e estão fortalecendo o uso de consoles na sala, os consoles podem ter seus fim pela burrice de algumas empresas (achar que potencializar é tudo), mas por falta de necessidade e uso não.

    PCs são os fazem tudo, mas não matam nada; eles não acabaram com o rádio, TV, Cinema, etc... eles fazem os papéis desses em segundo plano, mas não substituiu (e provavelmente não substituirá) o papel desses mesmos.

    Eu gosto de jogar no PC, mas não tem lógica levar um PC para a sala (pelo menso eu vejo assim).=D

    ----------------------------------------------------------------------------------------------------

    Cortex escreveu:Não quero Monopólio... o mercado fica estagnado, e a empresa monopolista vai tirar vantagem de tudo quanto é jeito... imagina se a EA fosse a única empresa... dface
    O 3DS detém um "monopólio" e nem por isso esta ruim; esse medo de monopólios deve vir quando a empresa produz bens essenciais a vida, videogame não, se a empresa começar a ditar o mercado do jeito dela, as pessoas não compram e pronto, não tem como uma empresa detentora de um monopólio de videogames "dominar o mundo".

    Videogames não são um tipo de monopólio onde a empresa faz o que quer.=D
    avatar
    Convidad
    Convidado

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por Convidad em Dom 06 Out 2013, 09:04

    Na realidade existe sim uma chance de um novo crash, os estúdios fechados nessa geração eram de vários tamanhos, tivemos gigantes como a THQ fechando as portas, mas tívemos uma série de estudios menores, que se arriscaram em um mercado de tendências e se deram mal.

    Entretanto um crash nos vídeo-games não seria causado pelo "adiantamento" da nova geração, ou mesmo pela maior potência que esses consoles vão possuir. Tanto o Xbox One quanto o PS4, possuem componentes que os aproximam dos computadores, sendo assim a margem de barateamento desses, se faz maior a cada ano. O problema também não reside nas novas tecnologias e engines, que exigem novos investimentos por parte das empresas, uma vez que esses apesar de elevados, possuem caráter pontual.

    Na realidade o maior garagalo de dinheiro das desenvolvedoras atuais é o mesmo dos grandes estúdios de cinema. A produção está ficando cada vez mais cara, para que uma empresa consiga fazer seus games, ela necessita de cada vez mais instrumentos, que por sua vez são cada vez mais caros. Coisas como as sessões de captura de movimento, a dublagem, a composição musical e o marketing, vem consumindo grande parte do capital das desenvolvedoras.

    Duco
    Veterano Nv.33
    Veterano Nv.33

    Karma Karma : 845
    Posts Posts : 1210

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por Duco em Dom 06 Out 2013, 11:55

    Hunk escreveu:Só uma consideração sobre a Steam, ela não vai salvar a industria e de modo geral desenvolvedores adotam ela por falta de escolha; nenhum desenvolvedor que vender seu jogo de 60US$ (Assassins Creed 4 por exemplo) por cerca de 45US$ e depois de um mês em uma promoção de 15U$, eles fazem isso porque, ou eles fazem e lucram um pouco, ou o mercado do PC volta a ser 90% dominado por pirataria como antes; mas a steam é uma maravilha para a Valve, para as outras empresas é uma unica alternativa. (estilo Dead Trigger, que de tanto que foi pirateado se tornou gratuito no android para pelo menos lucrar um pouco).=D
    Cara, o digital é algo que foi puxado pela Microsoft no X1 exatamente porque esses 45 dólares é muito mais do que eles recebem no retail

    No jogo em disco se desconta a fatia do vendedor, custos de transporte, fatia do publisher, entre outras despesas.

    Já li um interview com os devs do Torchlight 2 (mas não achei o link agora) onde pra eles sobrava em torno de 15 dólares por cada Diablo vendido no retail e por essa razão que a fatia de 30% do Steam era bem aceitável.

    Sem contar que praticas como da gamestop que em menos de 1 mês já estão vendendo jogos usados como semi novos, sempre oferecendo esse seminovo no lugar do novo, essa prática é o que mais deu o que falar nas ultimas discussões sobre games.

    E a geração anterior já limita sim, inclusive muitas empresas como EA e Ubisoft já estavam a algum tempo pressionando por uma nova geração. E para empresas de menor porte, o desenvolvimento mais fácil para esses consoles é só vantagem, no caso de Indies que poderão usar o X1 normal para desenvolvimento de seus jogos é mais prático ainda, visto que não necessitam de um devkit de 20.000 dólares para desenvolver seus jogos.

    Os consoles da nova geração estão no caminho certo e não é a toa que estão sendo bem recebidos pelas empresas tanto de grande como médio e pequeno porte. A própria Sony não tentou mais nenhum besteira investindo pesado no processador Cell e criando um monstrinho extremamente complicado para o desenvolvimento de jogos

    Outro detalhe importante é que o custo de jogos aumentou de verdade quando entrou na era HD, muitas empresas quebraram por isso e a próprio Nintendo está sofrendo agora com o WiiU por não estar adaptada a essa realidade. Digo que se com todas as complicações dessa geração atual as empresas ainda conseguiram sair lucrando, principalmente a Sony com os absurdos que fez com o PS3, essa nova geração tem tudo pra dar certo.
    avatar
    Swaguufz
    Iniciante Nv.9
    Iniciante Nv.9

    Karma Karma : 0
    Posts Posts : 22

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por Swaguufz em Dom 06 Out 2013, 12:03

    Guto V.A escreveu:Se depender de nós jogadores vai ser isso mesmo, Hoje em dia a maioria dos jogadores das das seguintes uma: ou so querem saber daqueles joguinhos bestas de celular, ou so querem saber de COD.
     mas os joguinhos de celular são fodas, pq esse preconceito? Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad Sad
    avatar
    Convidado
    Convidado

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por Convidado em Dom 06 Out 2013, 12:28

    Duco escreveu:
    Hunk escreveu:Só uma consideração sobre a Steam, ela não vai salvar a industria e de modo geral desenvolvedores adotam ela por falta de escolha; nenhum desenvolvedor que vender seu jogo de 60US$ (Assassins Creed 4 por exemplo) por cerca de 45US$ e depois de um mês em uma promoção de 15U$, eles fazem isso porque, ou eles fazem e lucram um pouco, ou o mercado do PC volta a ser 90% dominado por pirataria como antes; mas a steam é uma maravilha para a Valve, para as outras empresas é uma unica alternativa. (estilo Dead Trigger, que de tanto que foi pirateado se tornou gratuito no android para pelo menos lucrar um pouco).=D
    Cara, o digital é algo que foi puxado pela Microsoft no X1 exatamente porque esses 45 dólares é muito mais do que eles recebem no retail

    No jogo em disco se desconta a fatia do vendedor, custos de transporte, fatia do publisher, entre outras despesas.

    Já li um interview com os devs do Torchlight 2 (mas não achei o link agora) onde pra eles sobrava em torno de 15 dólares por cada Diablo vendido no retail e por essa razão que a fatia de 30% do Steam era bem aceitável.

    Sem contar que praticas como da gamestop que em menos de 1 mês já estão vendendo jogos usados como semi novos, sempre oferecendo esse seminovo no lugar do novo, essa prática é o que mais deu o que falar nas ultimas discussões sobre games.

    E a geração anterior já limita sim, inclusive muitas empresas como EA e Ubisoft já estavam a algum tempo pressionando por uma nova geração. E para empresas de menor porte, o desenvolvimento mais fácil para esses consoles é só vantagem, no caso de Indies que poderão usar o X1 normal para desenvolvimento de seus jogos é mais prático ainda, visto que não necessitam de um devkit de 20.000 dólares para desenvolver seus jogos.

    Os consoles da nova geração estão no caminho certo e não é a toa que estão sendo bem recebidos pelas empresas tanto de grande como médio e pequeno porte. A própria Sony não tentou mais nenhum besteira investindo pesado no processador Cell e criando um monstrinho extremamente complicado para o desenvolvimento de jogos

    Outro detalhe importante é que o custo de jogos aumentou de verdade quando entrou na era HD, muitas empresas quebraram por isso e a próprio Nintendo está sofrendo agora com o WiiU por não estar adaptada a essa realidade. Digo que se com todas as complicações dessa geração atual as empresas ainda conseguiram sair lucrando, principalmente a Sony com os absurdos que fez com o PS3, essa nova geração tem tudo pra dar certo.
    Bom, não irei afirmar que 70% dos 45US$ é mais do que eles recebem no retail, de todos os modos, eu não considero esse caminho de aumentar primeiramente  a potencia é o caminho mais certo, mas veremos isso no andar da geração; eu pelo menos acho que não vai dar muito certo; a EA não ficou muito bem nessa geração, com alguns rumores de vendas até; Square Enix culpou o desempenho dos consoles pelos prejuízos, etc...

    O jeito é esperar pra ver, mas pessoalmente não estou levando fé no sucesso absoluto dessa geração.=D

    Duco
    Veterano Nv.33
    Veterano Nv.33

    Karma Karma : 845
    Posts Posts : 1210

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por Duco em Dom 06 Out 2013, 13:34

    Hunk escreveu:
    Duco escreveu:
    Hunk escreveu:Só uma consideração sobre a Steam, ela não vai salvar a industria e de modo geral desenvolvedores adotam ela por falta de escolha; nenhum desenvolvedor que vender seu jogo de 60US$ (Assassins Creed 4 por exemplo) por cerca de 45US$ e depois de um mês em uma promoção de 15U$, eles fazem isso porque, ou eles fazem e lucram um pouco, ou o mercado do PC volta a ser 90% dominado por pirataria como antes; mas a steam é uma maravilha para a Valve, para as outras empresas é uma unica alternativa. (estilo Dead Trigger, que de tanto que foi pirateado se tornou gratuito no android para pelo menos lucrar um pouco).=D
    Cara, o digital é algo que foi puxado pela Microsoft no X1 exatamente porque esses 45 dólares é muito mais do que eles recebem no retail

    No jogo em disco se desconta a fatia do vendedor, custos de transporte, fatia do publisher, entre outras despesas.

    Já li um interview com os devs do Torchlight 2 (mas não achei o link agora) onde pra eles sobrava em torno de 15 dólares por cada Diablo vendido no retail e por essa razão que a fatia de 30% do Steam era bem aceitável.

    Sem contar que praticas como da gamestop que em menos de 1 mês já estão vendendo jogos usados como semi novos, sempre oferecendo esse seminovo no lugar do novo, essa prática é o que mais deu o que falar nas ultimas discussões sobre games.

    E a geração anterior já limita sim, inclusive muitas empresas como EA e Ubisoft já estavam a algum tempo pressionando por uma nova geração. E para empresas de menor porte, o desenvolvimento mais fácil para esses consoles é só vantagem, no caso de Indies que poderão usar o X1 normal para desenvolvimento de seus jogos é mais prático ainda, visto que não necessitam de um devkit de 20.000 dólares para desenvolver seus jogos.

    Os consoles da nova geração estão no caminho certo e não é a toa que estão sendo bem recebidos pelas empresas tanto de grande como médio e pequeno porte. A própria Sony não tentou mais nenhum besteira investindo pesado no processador Cell e criando um monstrinho extremamente complicado para o desenvolvimento de jogos

    Outro detalhe importante é que o custo de jogos aumentou de verdade quando entrou na era HD, muitas empresas quebraram por isso e a próprio Nintendo está sofrendo agora com o WiiU por não estar adaptada a essa realidade. Digo que se com todas as complicações dessa geração atual as empresas ainda conseguiram sair lucrando, principalmente a Sony com os absurdos que fez com o PS3, essa nova geração tem tudo pra dar certo.
    Bom, não irei afirmar que 70% dos 45US$ é mais do que eles recebem no retail, de todos os modos, eu não considero esse caminho de aumentar primeiramente  a potencia é o caminho mais certo, mas veremos isso no andar da geração; eu pelo menos acho que não vai dar muito certo; a EA não ficou muito bem nessa geração, com alguns rumores de vendas até; Square Enix culpou o desempenho dos consoles pelos prejuízos, etc...

    O jeito é esperar pra ver, mas pessoalmente não estou levando fé no sucesso absoluto dessa geração.=D
    Tem várias matérias sobre retail vs digital mas aqui tem uma em que um dev da uma boa base sobre o assunto:
    http://www.mcvuk.com/news/read/opinion-retail-vs-steam

    Destacando essas partes:
    When would we get that money? Well, payment would be by the end of the quarter. 

    So, let’s say £10 per unit sale goes to the publisher, £3 to the developer/sub-licensor, and it’s in your bank five months after the customer has paid out £30.

    Compare that to the digital model. On a £29.99 sale, the digital partner will pay the publisher – or in many cases direct to the developer – between 60 and 70 per cent, by the end of the month following the sale. 

    Wow. To recap: on a sale over the counter today, we can have our £3 by the end of March, or on a digital sale, we can have £20 by Christmas. 
    Vendo tudo isso, fica fácil entender como muitas empresas no passado quebraram e a importância que o digital tem pra melhorar o mercado e não é a toa que investiram muito pra tornar o digital mais popular.

    Empresas menores que vendem seus jogos através de publishers perdiam e muito. Além disso, o próprio publisher recebia apenas 40% do retail.
    avatar
    lpslucasps
    Blast Plus
    Blast Plus

    Karma Karma : 2138
    Posts Posts : 1958

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por lpslucasps em Dom 06 Out 2013, 14:56

    Hunk escreveu:Acredito que exista 60% de chances de haver um "crash" na industria.
    Como alguém consegue prever uma coisa dessas matematicamente? Nem meus cursos de matemática discreta e economia me ajudam a imaginar de onde você tirou esse número certinho. .___.

    Hunk escreveu:Primeiramente, essa 7º geração começou "adiantada" em termos de potencia,
    Assim como todas as anteriores. A norma geral sempre foi um salto de potência para aumentar a longevidade dos consoles. O Mega Drive, por exemplo, tinha uma velocidade de processamento impressionante para época, do tipo que só era usada em workstations. O SNES tinha co-processadores dedicados para o som e áudio - numa época em que o conceito de múltiplos núcleos de processamento não existia, isso era considerado uma revolução.
    Veja a geração 32-bit, então. Provavelmente nunca houve um salto de potência de gerações como a da quarta para a quinta. A diferença entre o SNES e N64 chega a ser difícil de mensurar.
    Mesma coisa com a sexta geração. O PS2, na época de lançamento, era considerado uma revolução em potência. Para você ter uma noção, até hoje, com os milhões de núcleos que os processadores atuais possuem, emular um PS2 é difícil devido ao trabalho que dá sincronizar o tanto de unidades dedicadas que o console tinha para diferentes coisas.

    Em todos esses casos, os consoles ficaram defasados rapidamente. Mesmo os consoles dessa geração possuem elementos risíveis para os padrões modernos. Lembro de uma entrevista em que o diretor da Microsoft se perguntava se valia mesmo à pena investir milhões em 512mb de ram, quando os planos originais eram apenas 256mb. Não consigo sequer olhar para esse números sem rir por dentro.

    Hunk escreveu:todos tiveram um susto com o aumento do preço dos jogos para 50U$ (e eles ainda estavam sendo vendidos a um preço abaixo do "recomendado")
    O aumento não foi para $60? No mais, o aumento foi até pouco. Esse preço de 50 dólares era o praticado desde a quarta geração. Corrigidos com a inflação, os jogos deveria custar 75 dólares. A realidade é que nunca pagamos tão pouco por jogos.

    Hunk escreveu:e o preço dos consoles foi considerado alto, fazendo muitos chegarem na 7º geração apenas no final dela (agora que PS3 e Xbox360 estão vendendo bem mesmo).
    No caso do PS3, indubitavelmente foi bem alto. Já os outros consoles da geração tiveram preços bem amenos, se ajustarmos o preço com a inflação.

    Hunk escreveu:Levando em consideração o acima é possível afirmar que nem todos dos mais de 130 estudios fechados nessa geração foram por incopetencia, e seri muito coincidencia que apenas a nintendo (que não apostou nessa evolução de potencial brusca) não teve estudios fechado e comprou alguns, até a Ubisoft teve estudios fechados.
    Todas as first-party abriram e compraram novos estúdios. No caso da Microsoft e Sony, eles de fato fecharam alguns, mas foi mais um caso de realocação de pessoal do que qualquer outra coisa.
    É algo extremamente raro first-parties fecharam estúdios, já que elas têm dinheiro de sobra para sustentá-los e seus devs trabalham diretamente com a manutenção das propriedades intelectuais da empresa.

    Hunk escreveu:Agora, nessa nova geração o que ocorreu na 7º esta se repetindo, Sony e Microsoft apostam em uma evolução de potencia que os consoles ainda não precisam,
    Sério que achou o salto de potência dessa geração grande? Achei o mais discreto que tivemos até o momento. A única coisa "impressionante" foi a RAM - que, assim como no início da 7ª geração, vai rapidamente virar algo defasado.

    Hunk escreveu:o que vai aumentar o custo de produção,
    Segundo alguns devs, os custos de produção podem diminuir, já que eles não terão que fazer gambiarras e milagres em hardwares defasados.

    Hunk escreveu:tendo seus jogos vendidos a apenas 60US$ (um preço não aconselhável para o custo atual);
    60 obamas já não é o preço atual de lançamentos? i.i

    Hunk escreveu:Só uma consideração sobre a Steam, ela não vai salvar a industria e de modo geral desenvolvedores adotam ela por falta de escolha; nenhum desenvolvedor que vender seu jogo de 60US$ (Assassins Creed 4 por exemplo) por cerca de 45US$ e depois de um mês em uma promoção de 15U$,
    Hum, nops. As devs são justamente as mais interessadas no modelo digital. Não é à toa que as principais publishers (EA, Ubisoft) fizeram suas próprias lojas online (Origin, uPlay) e que estúdios japoneses têm começado a ingressar no ramo também (estúdios esses que nunca tiveram interesse no mercado de PCs, diga-se de passagem). O modelo digital dá margens de lucro maiores e mais rápido. Estamos falando de um modelo praticamente sem intermediários, sem problemas de logística, produção, armazenamento, exportação, etc, etc, etc. Quem não tem interesse nisso são as retailers - because, of course.
    Por que você acha que lojas online de consoles (PSN, Nintendo Network, Live) praticam o retail price em seus lançamentos digitais? Para não canibalizar as lojas físicas, principais parceiras das first-parties.

    Hunk escreveu:eles fazem isso porque, ou eles fazem e lucram um pouco, ou o mercado do PC volta a ser 90% dominado por pirataria como antes;
    Se as duas únicas opções realmente fossem essas (pouco lucro ou pirataria comendo solta), as publishers iriam simplesmente parar de fazer versões pra PC, oras. Se os lucros fossem tão negligenciáveis assim, provavelmente sequer cobririam os custos do port. Se cada vez mais produtoras entram no mercado de PC é porque algo tem dado certo.

    Hunk escreveu:Videogames não são um tipo de monopólio onde a empresa faz o que quer.=D
    Acho que alguém nunca ouviu falar das tetras da Nintendo na terceira geração...
    avatar
    Convidado
    Convidado

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por Convidado em Dom 06 Out 2013, 16:32

    Duco escreveu:Tem várias matérias sobre retail vs digital mas aqui tem uma em que um dev da uma boa base sobre o assunto:
    http://www.mcvuk.com/news/read/opinion-retail-vs-steam

    Destacando essas partes:
    When would we get that money? Well, payment would be by the end of the quarter. 

    So, let’s say £10 per unit sale goes to the publisher, £3 to the developer/sub-licensor, and it’s in your bank five months after the customer has paid out £30.

    Compare that to the digital model. On a £29.99 sale, the digital partner will pay the publisher – or in many cases direct to the developer – between 60 and 70 per cent, by the end of the month following the sale. 

    Wow. To recap: on a sale over the counter today, we can have our £3 by the end of March, or on a digital sale, we can have £20 by Christmas. 
    Vendo tudo isso, fica fácil entender como muitas empresas no passado quebraram e a importância que o digital tem pra melhorar o mercado e não é a toa que investiram muito pra tornar o digital mais popular.

    Empresas menores que vendem seus jogos através de publishers perdiam e muito. Além disso, o próprio publisher recebia apenas 40% do retail.
    Bacana, essa eu não sabia (não li ainda a fonte mas lerei assim que puder); mas só uma duvida, isso é em questão de empresas menores que precisam de publishers "thirdies" ou de empresas que publicam seus próprios jogos (EA, UBI, etc...)?

    --------------------------------------------------------------------------------------------------

    lpslucasps escreveu:
    Hunk escreveu:Acredito que exista 60% de chances de haver um "crash" na industria.
    Como alguém consegue prever uma coisa dessas matematicamente? Nem meus cursos de matemática discreta e economia me ajudam a imaginar de onde você tirou esse número certinho. .___.
    Isso é modo de dizer, e me baseando na minha opinião apenas lol! 

    lpslucasps escreveu:
    Hunk escreveu:Primeiramente, essa 7º geração começou "adiantada" em termos de potencia,
    Assim como todas as anteriores. A norma geral sempre foi um salto de potência para aumentar a longevidade dos consoles. O Mega Drive, por exemplo, tinha uma velocidade de processamento impressionante para época, do tipo que só era usada em workstations. O SNES tinha co-processadores dedicados para o som e áudio - numa época em que o conceito de múltiplos núcleos de processamento não existia, isso era considerado uma revolução.
    Veja a geração 32-bit, então. Provavelmente nunca houve um salto de potência de gerações como a da quarta para a quinta. A diferença entre o SNES e N64 chega a ser difícil de mensurar.
    Mesma coisa com a sexta geração. O PS2, na época de lançamento, era considerado uma revolução em potência. Para você ter uma noção, até hoje, com os milhões de núcleos que os processadores atuais possuem, emular um PS2 é difícil devido ao trabalho que dá sincronizar o tanto de unidades dedicadas que o console tinha para diferentes coisas.

    Em todos esses casos, os consoles ficaram defasados rapidamente. Mesmo os consoles dessa geração possuem elementos risíveis para os padrões modernos. Lembro de uma entrevista em que o diretor da Microsoft se perguntava se valia mesmo à pena investir milhões em 512mb de ram, quando os planos originais eram apenas 256mb. Não consigo sequer olhar para esse números sem rir por dentro.
    Mas mesmo nessas gerações, o salto do custo de produção não foi tão impactante quanto na 7ª, nessa época eles não faziam dublagem em vários idiomas (as vezes nem tinha dublagem), eles não precisavam pagar empresas de armas (COD no caso, por exemplo), não tinha que fazer captações de movimentos, etc...

    eu não quis dizer apenas da potencia em si, mas das "perfumarias" que foram necessárias com esse aumento.

    lpslucasps escreveu:O aumento não foi para $60? No mais, o aumento foi até pouco. Esse preço de 50 dólares era o praticado desde a quarta geração. Corrigidos com a inflação, os jogos deveria custar 75 dólares. A realidade é que nunca pagamos tão pouco por jogos.
    não... eu estava falando da 7ª geração (o aumento para 50US$), sobre o resto, nessa época os preços não eram padronizados, as empresas cobravam de acordo com o que era necessário, hoje em dia tudo (a não ser indies e algumas exceções) é 50 US$ (e no caso agora, 60US$); esse preço é considerado alto pelo consumidor, mas é abaixo do aconselhável para as thirdies.

    mas não entendi, nesse caso parece que você concordou comigo que os jogos estão sendo vendidos por um preço "baixo", o qual prejudica as thirdies...

    lpslucasps escreveu:No caso do PS3, indubitavelmente foi bem alto. Já os outros consoles da geração tiveram preços bem amenos, se ajustarmos o preço com a inflação.
    No caso dessa geração ter tido um preço alto, eu não estou contando com o wii...

    sobre o PS3 e Xbox360, a população considerou o preço deles alto, e muitos não compraram; tipo, não estou dizendo que foi alto ou não, mas muitos acharam (que nem o 3DS que os japoneses acharam 250US$ alto).

    lpslucasps escreveu:
    Todas as first-party abriram e compraram novos estúdios. No caso da Microsoft e Sony, eles de fato fecharam alguns, mas foi mais um caso de realocação de pessoal do que qualquer outra coisa.
    É algo extremamente raro first-parties fecharam estúdios, já que elas têm dinheiro de sobra para sustentá-los e seus devs trabalham diretamente com a manutenção das propriedades intelectuais da empresa.
    Essa parte não entendi muito bem, mas a sony mais precisamente teve prejuízos no inicio de geração, prejuizos maiores do que o normal e que só acabaram quase no fim da geração.

    A Microsoft teve alguns prejuízos também, mas não vem ao caso citar...

    lpslucasps escreveu:Segundo alguns devs, os custos de produção podem diminuir, já que eles não terão que fazer gambiarras e milagres em hardwares defasados.
    Segundo outros o custo vai aumentar, isso não é algo que dá para se saber muito bem, entretanto, é quase certo que o custo irá aumentar, só não sabemos o quanto.

    E levando em conta que nessa geração jogos a 50US$ estavam sendo vendidos "a prejuízo", 60US$ não será o suficiente para deixar as empresas "relaxadas" com um preço tranquilo.

    lpslucasps escreveu:
    Hunk escreveu:tendo seus jogos vendidos a apenas 60US$ (um preço não aconselhável para o custo atual);
    60 obamas já não é o preço atual de lançamentos? i.i
    sim, e não é o melhor para as empresas.

    lpslucasps escreveu:Hum, nops. As devs são justamente as mais interessadas no modelo digital. Não é à toa que as principais publishers (EA, Ubisoft) fizeram suas próprias lojas online (Origin, uPlay) e que estúdios japoneses têm começado a ingressar no ramo também (estúdios esses que nunca tiveram interesse no mercado de PCs, diga-se de passagem). O modelo digital dá margens de lucro maiores e mais rápido. Estamos falando de um modelo praticamente sem intermediários, sem problemas de logística, produção, armazenamento, exportação, etc, etc, etc. Quem não tem interesse nisso são as retailers - because, of course.
    Por que você acha que lojas online de consoles (PSN, Nintendo Network, Live) praticam o retail price em seus lançamentos digitais? Para não canibalizar as lojas físicas, principais parceiras das first-parties.
    Sim, nesse caso eu não estou falando da midia digital em si, é da Steam literalmente.

    lpslucasps escreveu:
    Se as duas únicas opções realmente fossem essas (pouco lucro ou pirataria comendo solta), as publishers iriam simplesmente parar de fazer versões pra PC, oras. Se os lucros fossem tão negligenciáveis assim, provavelmente sequer cobririam os custos do port. Se cada vez mais produtoras entram no mercado de PC é porque algo tem dado certo.
    sim, mas nesse caso seriam usados emuladores; as empresas lançam as versões de PC para conseguir o que puderem na steam (não estou dizendo que é muito pouco, mas é menos que nos consoles).

    lpslucasps escreveu:
    Hunk escreveu:Videogames não são um tipo de monopólio onde a empresa faz o que quer.=D
    Acho que alguém nunca ouviu falar das tetras da Nintendo na terceira geração...
    Cara, a população aceita porque quer, videogames não são necessário como alimentos, se a empresa esta fazendo algo e a população aceitando, a empresa não esta simplesmente fazendo o que quer no monopólio, a população esta aceitando tudo que a empresa dá.

    Um exemplo é o 3DS que foi inicialmente vendido por um preço considerado injusto, e os japoneses engoliram o vicio por pokemon e não compraram até ser do jeito que eles queriam.=D

    De resto, tenho que melhorar minha escrita, teve partes que você não entendeu e aparentemente concordou com o que eu queria dizer lol!
    avatar
    VirtualBoy
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 1293
    Posts Posts : 4581

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por VirtualBoy em Dom 06 Out 2013, 16:34

    Não acho que vai acontecer.Hoje em dia,temos a internet para buscarmos informações,vídeos e imagens sobre um jogo que desejamos comprar.Logo,o mercado não sofrerá com isso...
    avatar
    lpslucasps
    Blast Plus
    Blast Plus

    Karma Karma : 2138
    Posts Posts : 1958

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por lpslucasps em Dom 06 Out 2013, 17:33

    Hunk escreveu:De resto, tenho que melhorar minha escrita, teve partes que você não entendeu e aparentemente concordou com o que eu queria dizer lol!
    Não, não concordei. Você vê a discrepância entre o preço que as publishers querem cobrar e o preço que os consumidores querem pagar como possível catalisador de uma futura crise. Meu ponto é simples: isso é pura bullshit. Jogos são mais baratos do que nunca, mas rendem mais do que nunca também - não à toa a indústria de jogos cresce exponencialmente e provavelmente é a única indústria que faz isso fora a de smartphones.
    Claro que a publisher vai querer cobrar o mais caro possível, e claro que o consumidor vai querer pagar o mínimo possível. É assim que o mercado funciona. Videogames não estão imunes às leis de oferta e procura.

    Hunk escreveu:Cara, a população aceita porque quer, videogames não são necessário como alimentos, se a empresa esta fazendo algo e a população aceitando, a empresa não esta simplesmente fazendo o que quer no monopólio, a população esta aceitando tudo que a empresa dá.
    "A população aceita, logo, a empresa não está fazendo o que quer".
    Você não tem ideia de como funcionam monopólios, né? E não, o fato do produto não ser essencial não muda o cenário. O produto pode ser a coisa mais inútil do mundo, se há procura, aplicam-se as mesmas leis de mercado.

    Edit: Ah, apenas uma ressalva, o caso do 3DS não é de monopólio, é de liderança de mercado, pessoas.
    avatar
    LiveinRiot
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 950
    Posts Posts : 2206

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por LiveinRiot em Dom 06 Out 2013, 18:39

    Concordo com algumas coisas que o Hunk disse, mas outras eu discordo fortemente. 

    Eu acredito que esse crash irá acontecer por conta das IPs saturadas (como o lançamento anual de fifa/cod/pes/ac) ou uso extremo de uma marca (como uma chuva de IPs com o nome Mario). O exemplo disso foi a explosão de vendas do GTA 5, que levou um bom tempo de produção, o que faz pensar que houve vontade de deixar algo bom, de trazer algo novo. Agora, por mais que séries anuais tragam novidades, elas viram jogos secundários na frente de novas IPs ou jogos que não são lançados com frequência. Pior é ver que jogos de esporte poderiam usar os dlcs como método para atualizar os elencos, era só colocar um custo baixo, meio que simbólico, como 10 dólares. 

    Apesar de alguns serem contra os crash, eu já vejo como algo bom, quebra essa zona confortável que estão as produtoras (um novo F-zero seria, facilmente, million seller no 3DS, mas a Nintendo insiste em laçar sempre um novo Mario, porque tem tendência a vender mais, não que isso seja ruim, entretanto poderia dar um espaçamento maior)
    avatar
    prince_nagato
    Membro Nv.26
    Membro Nv.26

    Karma Karma : 150
    Posts Posts : 281

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por prince_nagato em Dom 06 Out 2013, 19:16

    desenvolvedoras que faliram desde quando essa modinha do melhor hardware/melhor gráfico pegou força!
    Um ponto importante é que antigamente, quando a tecnologia não era capaz de por gráficos nos PCs e ao mesmo tempo multitarefa, falo da 6° geração, ainda era possível os consoles terem o melhor desempenho, porém, isso não importava, pois na época as pessoas queriam era games... Foi na 7° geração que a Sony e Micro começaram com essa disputa, com grande influência da Epic, que botou lenha na fogueira, a Nintendo, por sua vez,  começou a sacar que estava na hora de correr atrás de outros públicos, só o gamer não daria mais..... A Sony meio que ta sacando agora na 8° gen que não tem como colocar o Hardware mais top a um preço acessível., porém ela insiste em dizer que o PS4 é o mais potente....


    Essa batalhinha de hardware tem muito haver com algumas 3ths (Epic, THQ) que querem o hardware a seu gosto, e a partir da Setima sony e micro sederam.... A Nintendo saiu dessa com o Wii, e com o Wii U ela se mantém firme, ou seja, com a proposta dela, com o hardware dela, assim como era na época do SNES e GENESIS, cada empresa se fazia unica criando o hardware para seus games, consequentemente as 3ths vinham...

    O mercado precisa de um novo SNES

    Eu penso igual, e digo isso por ai também, a Nintendo pouco antes do lançamento do Wii U disse que com ele estava a tentar um hardware "casa dos games", ou seja, de jogos, indiferentemente do tipo. E se conseguir pra mim ta perfeito, porém as 3ths estão muito mal acostumadas...

    Conteúdo patrocinado

    Re: Estudo aponta risco de um novo crash no mercado de videogames

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg 23 Out 2017, 11:48