Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    Os Ports dos Jogos da Capcom pela SEGA

    Compartilhe
    avatar
    Convidad
    Convidado

    Os Ports dos Jogos da Capcom pela SEGA

    Mensagem por Convidad em Qui 16 Maio 2013, 21:00

    Em 1988 a SEGA tinha acabado de lançar o seu mais novo console doméstico de 16 bits no mercado – o Mega Drive. Contudo o desenvolvimento desse console esbarrava em um grande problema: o contrato que as softhouses tinham que assinar com Nintendo, que obrigava exclusividade, caso quisessem que seus jogos fossem publicados para o NES.


    Assim sendo, restou a SEGA pedir autorização as softhouses para reprogramação dos jogos. Dentre dessas empresas estava a Capcom, e são desses jogos, produzidos pela Capcom e reprogramados pela SEGA que falaremos aqui. Lembrando que jogos como Super Street Fighter II não serão citados, pois estes foram portados pela própria Capcom e não pela SEGA.


    GHOULS 'N GHOSTS (1989)


    O primeiro jogo a ser reprogramado pela SEGA foi Ghouls ‘n Ghosts. Foi lançado em 03/08/89 e estava na lista de jogos do Lançamento do Mega Drive nos Estados Unidos (onde é conhecido como SEGA Genesis). O jogo é a sequência direta de Ghosts ‘n Goblins, que foi lançado para os Fliperamas em 1985. Foi reprogramado por Yuji Naka, que ficou conhecido anos depois como o pai do Sonic. Neste jogo você entra na pele de Arthur, que deve salvar todas as almas aprisionadas no castelo do Loki. Conhecido por sua imensa dificuldade, o jogo é aclamado pelos jogadores, marcando sempre presença nas listas de melhores jogos do Mega Drive.


    FORGOTTEN WORLDS (1989)


    Forgotten Worlds foi o segundo jogo a ser reprogramado pela SEGA e lançado em 17/11/1989. Foi o primeiro jogo da CPS-1, e estava alguns meses depois do lançamento do Mega Drive nos EUA. O jogo conta a história de dois guerreiros de nomes desconhecidos, que lutam para libertar a terra de um exército de alienígenas. O jogo recebeu uma leve adaptação nos sistemas de controle, já que a versão de Fliperama possuía um comando especial para rotacionar o personagem.


    STRIDER (1990)


    Após quase um ano do lançamento do Mega Drive, chega ao console da SEGA um estrondoso sucesso dos Fliperamas – Strider, que surgiu como um mangá de autoria de Tatsumi Wada e foi adaptado em um jogo pela Capcom. Foi o primeiro a ter 8 Megabits de espaço de cartucho, contendo ótimos gráficos e trilhas sonoras. Aqui você é Hiryu, um valente guerreiro Strider, armado com sua poderosa espada Cypher, que tem a missão de derrotar Grandmaster Meio, um ser de outra galáxia, que intenciona dominar a terra. Jogo que foi eleito o melhor de 1989 foi lançado para o Mega Drive em 29/09/1990, numa conversão quase que perfeita.


    MERCS (1991)


    Jogo estilo Shoot ‘em Up, continuação do famoso Commando (não confundir com Captian Commando). MERCS tem como protagonista um mercenário que tem como missão resgatar o ex-presdiente de Zutulu, que foi sequestrado por guerrilheiros. O jogo foi lançado para os fliperamas em 1990 e recebeu a conversão para o Mega Drive, sendo lançado em 27/07/1991. A versão de Mega Drive não contém o multiplayer da versão de Fliperama, mas contém um modo de jogo extra, exclusivo, onde os mercenários recebem ordens para destruir mísseis nucleares criados por um país chamado Quira.


    CHIKI CHIKI BOYS (1993)


    Chiki Chiki Boys foi o último port feito pela SEGA dos jogos de Fliperama da Capcom. Foi uma conversão tardia, visto que o jogo original foi lançado em 1990, mas não peca em nada na ótima qualidade de gráficos e trilha sonora. Conta a história de dois irmãos, que lutam contra inimigos que dominaram o reino onde viviam. Infelizmente, assim como MERCS, o jogo não conta com o Multiplayer, mas é bem divertido, sendo um ótimo jogo para quem gosta do estilo plataforma.


    Após alguns anos, a Nintendo foi condenada pelas leis anti-truste Americanas por suas atitudes que não permitiam a livre concorrência. Desta forma não só a Capcom, mas outras empresas passaram a fazer jogos para o console da SEGA. A partir daí tivemos vários jogos, tais como: Megaman: The Wily Wars, Street Fighter II Special Champion Edition, The Great Circus Mystery e The Punisher; mas certamente, a atitude de SEGA em converter os sucessos da Capcom foi certeira, fazendo a alegria dos jogadores no início da vida do Mega Drive.
    avatar
    ari789
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 1975
    Posts Posts : 6452

    Re: Os Ports dos Jogos da Capcom pela SEGA

    Mensagem por ari789 em Sex 17 Maio 2013, 01:04

    Sega e Capcom eram ótimas em ports ^^ , Na verdade não eram muitos os jogos de antigamente que eram ruins portados
    até jogos de Arcade portados para Nes ou Master System ficava ótimo lol


    Hoje me dia a qualidade dos ports diminuiram muito D:
    So olhar Bayonetta do PS3 , Cod Black Ops do Wii , Assasins Creed 3 do Wii U etc... , A Sorte do X360 é a mesma do Xbox original lol

    Mais enfim , me pergunto por que o velho mega nunca recebeu um port da série MegaMan X , sorte que os fans fizeram um MegaMan X3 lol
    avatar
    Deejay!
    Veterano Nv.30
    Veterano Nv.30

    Karma Karma : 204
    Posts Posts : 1137

    Re: Os Ports dos Jogos da Capcom pela SEGA

    Mensagem por Deejay! em Sex 17 Maio 2013, 01:52

    ... faltam ports de qualidade hoje em dia. Triste.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Os Ports dos Jogos da Capcom pela SEGA

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab 16 Dez 2017, 22:36