Arquivo do Fórum Nintendo Blast

Olá visitante/usuário! Nós estamos em processo de migração e deixaremos este Fórum em breve.

A migração é para termos mais liberdade e para podermos ter um Fórum melhor! Se você ainda não é cadastrado neste Fórum e nem no novo, clique aqui e cadastre-se já no Novo Fórum!

Se você já possui uma conta aqui, clique aqui e saiba como migrar para o Novo Fórum Nintendo Blast!
Arquivo do Fórum Nintendo Blast

    [Divo Review #2] Nintendo Land

    Compartilhe
    avatar
    Felipe JJ
    Veterano Nv.MÁX
    Veterano Nv.MÁX

    Karma Karma : 2375
    Posts Posts : 3380

    [Divo Review #2] Nintendo Land

    Mensagem por Felipe JJ em Qui 11 Abr 2013, 14:14



    O fim de 2012 foi marcado por um grande evento no mundo gamer: o lançamento do Nintendo Wii U. E junto do console, era lançado Nintendo Land, primeiro e único game na época a utilizar as capacidades do console.

    Vendido separadamente, e como Bundle do Wii U Deluxe, Nintendo Land tinha a missão de ser o novo Wii Sports, em termos de sucesso e de mostrar o console e suas capacidades de jogabilidade.

    O resultado é um jogo divertido, belo, e que utiliza de maneira muito criativa o Gamepad, principal atrativo do Wii U.

    O que Nintendo Land conseguiu trazer é formidável: uma coleção de 12 minigames, de grande profundidade e fator replay alto, um jogo que é simples e complexo ao mesmo tempo.

    Usando o seu Mii, você deve explorar a área central do jogos, chamada de Plaza, e participando de vários jogos que acontecem ao seu redor. A Plaza em si é um lugar que vai ganhando vida conforme você vai jogando os minigames, e vence moedas, trocando por prêmios. Esses prêmios são estátuas de personagens e objetos icônicos em várias franquias, e variam desde a Master Sword (Zelda), a uma Banana (Yoshi).

    Na Plaza é possível perceber que a Nintendo teve um capricho incrível nesse jogo. Em nossos passeios, vemos centenas de estátuas das famosas séries com um nível de detalhe incrível (em especial as de Zelda, que parecem feitas de pano). A iluminação também tem ótima qualidade, e põe em uso os efeitos avançados do Wii U, enquanto as sombras dinâmicas são boas e ruins ao mesmo tempo, por apresentar um bug que as deixam serrilhadas em certas ocasiões. A modelagem também não foi muito bem trabalhada, lembrando até mesmo um jogo de Wii.

    Também na Plaza podemos interagir com Miis de todo o mundo, que vem nos visitar, e transmitem uma mensagem postada no Miiverse através de Nintendo Land. Além disso, podemos ver as conquistas e estatísticas dos jogadores com um simples toque na tela do Gamepad. Por falar em Gamepad, usamos seus sensores de movimento para controlar a câmera na Praça Central, e este uso é justificado pela facilidade e simplicidade de mover as mãos para observar as atrações e objetos do lugar. Além disso, Nintendo Land possui estampas, que funcionam como troféus, e instigam o jogador a se aperfeiçoar nas atrações.

    Agora, o prato principal; as atrações. Estarão divididas em 3 categorias: Individuais, Competitivas, e Cooperativas.


    ATRAÇÕES COOPERATIVAS

    The Legend of Zelda: Battle Quest

    Nessa atração, você controla o seu Mii vestido de Link, com arco e flecha (Gamepad), ou com a Master Sword (Wii Remote) e deve enfrentar hordas de inimigos que aparecem ao longo das fases. Os controles são baseados nos sensores de movimento, e funcionam perfeitamente. A atração permite que até 4 jogadores se unam para enfrentar os inimigos de Hyrule (1 com gamepad, e 3 com wiiremotes).

    É uma atração simples, porém muito divertida de se jogar com amigos, e até mesmo sozinho. A dificuldade é razoável, e muitas vezes acontece de você morrer no meio de uma fase, algo raro para esse tipo de jogo.


    Pikmin Adventure

    Aqui, você assume o papel do comandante Olimar (Gamepad), ou de um Pikmin (WiiRemote). A jogabilidade lembra a dos jogos da série, só que com um extra: a precisão da tela de toque no Wii U, que é o alvo deste minigame. Você não olhará para a TV, pois o jogo oferece uma melhor visão pelo controle do Wii U, além de ter que estar usando sempre a Stylus para comandar as pequenas criaturas. Já com o Wiimote, você controlará um Pikmin e também tentará mirar nos pontos fracos dos inimigos, só que usando os sensores de movimento.

    É uma das atrações mais longas e complexas do jogo, e extremamente profunda, a ponto de instigar o jogador a jogar várias vezes a mesma fase para desabilitar mais moedas, bater seu tempo, ou obter as estampas.


    Metroid Blast

    Na pele de Samus, ou melhor, na armadura de Samus, sua missão é derrotar os Metroids, Zebesians, e outras criaturas em vários estágios que remetem ao universo da famosa caçadora de recompensas. Com o Gamepad, é possível controlar a nave de Samus, e dar apoio aos jogadores que estão em terra firme controlando réplicas da Samus (usando Wiiremote). Mas é possível jogar sozinho em ambos modos, seja com o Gamepad e a nave, ou com o Wii Remote a a armadura.

    Este é sem dúvidas o maior e mais complexo minigame de Nintendo Land, tanto que por si só acaba tendo uma longevidade maior que muitos jogos da atualidade. O jogo permite até 5 jogadores simultaneamente.



    ATRAÇÕES COMPETITIVAS

    Mario Chase

    Atração do popular encanador, uma pessoa assume o controle de Mario, e tenta capturar os outros Toads, que basicamente fogem de você. O interessante, é que enquanto os Toads (pessoas com wiiremotes) tentam te capturar cegamente, você que está fugindo (usando o gamepad) pode ver um mapa na tela de toque que mostra a localização dos outros Toads.

    A atração é para no mínimo duas pessoas, e permite até 5 jogadores. O maior problema, é que o jogo as vezes sofre de desequilíbrio quando há muitos ou poucos jogadores, por vezes acaba ficando fácil ou difícil demais capturar o fugitivo.

    Luigi's Ghost Mansion

    Explorando mansões assombradas, seu Mii ganha o boné e a lanterna de Luigi (Wii Remote), e você deve iluminar e achar o fantasma (gamepad). O conceito é parecido com o de Mario Chase. Enquanto os jogadores com Wii Remotes, que contram Luigis procurando pelo fantasma cegamente, o jogador do Gamepad, que é o fantasma, pode ver na tela do controle, ou na tela da TV, onde estão os Luigis, e tudo o que ele tem a fazer, é chegar próximo e apertar A, para que os Luigis desmaiem até que o jogo acabe.

    Também para no mínimo duas pessoas, e permite até 5 jogadores. O problema é que sofre de um grande desbalanceamento, a favor do jogador com o Gamepad.


    Animal Crossing: Sweet Day

    Em estágios baseados no mundo de Animal Crossing, você usar seu Mii para coletar frutas e fugir dos guadiões, que são jogadores com o gamepad, usando os analógicos para controlar 2 deles ao mesmo tempo!

    Controlar 2 guardiões no começo é complicado, pois é um exercício de coordenação e concentração, mas se prova muito divertido. Os miis vão ficando mais pesados conforme coletam as frutas, então tudo é questão de agilidade e inteligência, para saber a hora de coletar e de largar frutas. Aqui os gananciosos se são mal.

    Ao contrário das outras duas atrações, esta é mais equilibrada, mas não livre de desbalanceamento. É necessário no mínimo 2 jogadores, e permitido até 5.


    ATRAÇÕES INDIVIDUAIS

    Yoshi's Fruit Cart

    Controle um cart em forma de yoshi através da tela de toque do Gamepad. Tudo o que tem a fazer é traçar uma linha na tela visando coletar as frutas e chegar ao portal. Parece simples, e no começo é, mas conforme as fases vão passando, o desafio vai ficando cada vez mais intenso e criativo.

    O problema é que parece daqueles minigames de iPhone, exageradamente simples e repetitivo, o que pode afastar alguns.


    Octopus Dance

    A atração mais polêmica e esquisita de Nintendo Land. Em Octopus Dance, você usará seu Mii e tentará copiar os movimentos do instrutor de dança usando os analógicos e o sensor de movimento, e por fezes o Octopus mudará sua perspectiva, forçando o jogador a olhar as vezes só na tela do Gamepad, além de cuspir tinta na tela, atrapalhando a visão e forçando a alternar entre TV e Gamepad.

    Parece um jogo sem graça e vida, mas o conceito é tão criativo e usa tão bem o gamepad, que não tem como não se impressionar. A dificuldade é moderada, mas se torna altíssima nos últimos dois níveis.

    Donkey Kong Crash Course

    A atração mais difícil do jogo inteiro, faz jus ao nome: Crash, porque aqui você vai se colidir muitas, muitas vezes. Você controlará um veículo triangular com o rosto de seu Mii, que terá que subir, descer, e rolar entre os traçados do jogo. A física é bastante realista aqui, portanto qualquer colisão maior, ou movimento exagerado, seu personagem "quebra". O jogo também faz uso bastante criativo do Gamepad. Você jogará olhando apenas para ele, e usará o sensor de movimento para andar para os lados, mas não é só isso: conforme o nível de dificuldade vai aumentando, você tem que usar sensores de movimento, analógicos para girar plataformas, e até mesmo soprar no microfone para levantar pistas! Vale notar que o sensor e os controles funcionam perfeitamente.

    A dificuldade é tanta, que muitos revisores classificaram o minigame como ruim, por ser frustrante. Porém, em tempos onde os jogos são excessivamente fáceis, é um alívio ver um game como antigamente, e por isso foi um dos que mais joguei e me diverti entre todos.

    Takamarus's Ninja Castle

    Star, star star! Não, não tem uma popstar aqui. O minigame mais gimmicky de todos, é perfeito para mostrar aos amigos e familiares as coisas malucas que o Gamepad é capaz. Controle um Mii ninja, e lance estrelas através da tela de toque do Gamepad. Tudo que tem a fazer é mirar nos personagens inimigos diretamente na tela da TV, aumentando a precisão e realismo do jogo. Isso é possível, porque ao contrário do Wii, que usava uma barra de sensor, o Wii U usa o sensor Geomagnético, que calcula a posição do controle em relação ao planeta, oferecendo maior precisão.

    O problema é que as vezes os braços dos jogadores doem nas fases longas, de tanto arremessar estrelas repetidamente e ficar em posição desconfortável. A jogabilidade também é repetitiva e cansativa, e não evolui muito ao longo do jogo.


    Captain Falcon's Twister Race

    Provavelmente a pior atração de Nintendo Land. O jogador assume o controle da nave de Captain Falcon, e tenta desviar dos obstáculos e passar pelos portais no tempo determinado. Aqui o Gamepad é usado na vertical, ao invés da posição tradicional, que é a horizontal, e usará mais uma vez os sensores para desviar dos obstáculos.

    Não bastasse o conceito simples e repetitivo, o Gamepad descalibra na maioria das fases, pois o jogo exige uma movimentação intensa nas curvas fechadas, e com isso ele perde a orientação. Isso atrapalha demais, pois o jogo é baseado em sensores, e os mesmos falham miseravelmente na maioria das fases, especialmente Nas mais difíceis.


    Ballon Trip Breeze

    Na atração final de Nintendo Land, o jogador controlará o vento. Sim, o vento. Apesar de você movimentar seu Mii, que está com balões nas costas, o que você fará é usar a tela de toque do Gamepad para controlar o vento, e com isso movimentar seu personagem.

    O conceito é simples, e lembra alguns jogos de Smartphones, porém o jogo vai aumentando o nível de dificuldade drasticamente, e as fases vão se tornando criativas, e mostrando porque esse jogo não poderia ser feito se não fosse no Gamepad.

    O jogo oferece um bom desafio, e conta com um dos visuais e músicas mais agradáveis dos últimos tempos.

    --------------------------

    Nintendo Land é a coletânea obrigatória a todos os fãs da Nintendo, e a todos os gamers que buscam um jogo divertido, leve e agradável de se jogar em família. Mas não se engane, Nintendo Land tem excelentes atrações para o single player que fazem valer a compra para quem joga sozinho.

    Entre na brincadeira nessa nova geração, e divirta-se como nunca.

    Gráficos: 8.0
    Jogabilidade: 9.5
    Trilha sonora: 8.5
    Longevidade: 10

    NOTA FINAL: 9.0


    Última edição por Felipe JJ em Qui 11 Abr 2013, 22:27, editado 1 vez(es)
    avatar
    lasrio
    Veterano Nv.1
    Veterano Nv.1

    Karma Karma : 21
    Posts Posts : 405

    Re: [Divo Review #2] Nintendo Land

    Mensagem por lasrio em Qui 11 Abr 2013, 14:28

    Adoro esse jogo o melhor é o Metroid Blast

    Boa analise 8)
    avatar
    Convidado
    Convidado

    Re: [Divo Review #2] Nintendo Land

    Mensagem por Convidado em Qui 11 Abr 2013, 14:43

    Resumindo: só pra aproveitar o Nintendo Land ao maximo tu ja gasta uma boa parte de um mês.
    avatar
    silverreis
    Veterano Nv.33
    Veterano Nv.33

    Karma Karma : 402
    Posts Posts : 1222

    Re: [Divo Review #2] Nintendo Land

    Mensagem por silverreis em Qui 11 Abr 2013, 18:40

    Tópico perfeito, amor! Ops, quase. Você errou na terceira divisão! Divando

    GUEI! rsrs

    Colocou de novo individuais, rs.

    :< MAS ISSO NÃO TIRA A IMPORTÂNCIA!

    Deveria fazer um official. FIKA A DIKA! rs Fods
    avatar
    Snow-X
    Membro Nv.16
    Membro Nv.16

    Karma Karma : 87
    Posts Posts : 186

    Re: [Divo Review #2] Nintendo Land

    Mensagem por Snow-X em Sex 12 Abr 2013, 21:07

    Ótima análise, muito completa!

    As melhores atrações são The Legend of Zelda: Battle Quest e Metroid Blast!

    De qualquer forma, parabéns Felipe!
    avatar
    Convidad
    Convidado

    Re: [Divo Review #2] Nintendo Land

    Mensagem por Convidad em Dom 28 Abr 2013, 08:57

    Irei comprar esse game, parece ser muito bom para um coop local.

    Conteúdo patrocinado

    Re: [Divo Review #2] Nintendo Land

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua 18 Out 2017, 22:08